AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


quarta-feira, 31 de julho de 2019

Filho de Osama bin Laden morreu

Os serviços de informação dos Estados Unidos receberam relatórios a indicar que morreu Hamza bin Laden, filho de Osama bin Laden e considerado um dos atuais líderes da Al-Qaida, noticiou a televisão NBC







De acordo com a estação televisiva, a morte de Hamza bin Laden foi confirmada por três fontes do governo norte-americano, que pediram anonimato, sem avançar quando e em que circunstâncias o filho de Osama bin Laden morreu.
A agência noticiosa espanhola Efe assinala que não é claro se os Estados Unidos, que ofereceram uma recompensa de um milhão de dólares (900 mil euros) por qualquer informação que levasse à localização de Hamza bin Laden, tiveram algum papel na sua morte.
Apesar de desconhecer o paradeiro do filho de Osama bin Laden, de 30 anos, as autoridades norte-americanas suspeitavam que podia estar nalgum sítio da fronteira entre Afeganistão e Paquistão, possivelmente à espera de uma oportunidade para atravessar o Irão.
O secretário-adjunto para a Segurança Diplomática dos Estados Unidos, Michael Evanoff, disse em fevereiro que Osama bin Laden, que morreu em maio de 2011 numa operação militar norte-americana, demorou vários anos a preparar Hamza para assumir a liderança da organização Al-Qaida.
Michael Evanoff citou correspondência de Osama bin Laden encontrada no complexo paquistanês de Abbottabad, onde o ex-líder da Al-Qaida morreu.
Apesar de ultimamente a Al-Qaida viver na sombra do grupo extremista Estado Islâmico, Washington considera que a organização terrorista mantém a capacidade e a intenção de lutar contra os Estados Unidos e os seus aliados, pelo que defendia como prioridade a captura de Hamza bin Laden.


sicnoticias.pt


HISTÓRIA DA ESCULTURA




 
                   David de Michelangelo
 
                 Escultura Moderna

Considerada a terceira das artes clássicas, a escultura é a técnica de representar em relevo total ou parcial, objetos e seres através da reprodução de formas. Utiliza-se de materiais como gesso, pedra, madeira, resinas sintéticas, aço, ferro, mármore e das seguintes técnicas: cinzelação, fundição, moldagem ou a aglomeração de partículas para a criação de um objeto. Embora possam ser utilizadas para representar qualquer coisa, ou até coisa nenhuma, tradicionalmente o objetivo maior foi sempre representar o corpo humano, ou a divindade antropomórfica. 

                              Cinzelação
 
                                Fundição
 
                         Modelagem
A escolha do material envolve a técnica utilizada. Novas técnicas como dobra e solda de chapas metálicas, moldagens com resinas, plásticos, materiais tridimensionais tem sido-empregadas.
Vários materiais se prestam a esta arte, uns mais perenes como o bronze ou o mármore, outros mais fáceis de trabalhar, como a argila, a cera ou a madeira.
A escultura na Pré-História foi associada à magia e à religião. No período paleolítico, o objetivo era moldar animais e figuras humanas, geralmente femininas.
 


 
 


A escultura, como é conhecida atualmente, surgiu no Oriente Médio, foi uma das últimas artes a serem desenvolvidas durante a Idade Média, talvez pelo apelo sensual.
A Grécia Clássica é o berço ocidental da arte de esculpir, desde os seus primeiros artefatos em mármore ou bronze a partir do século 10 a.C., até o apogeu da era de Péricles, com as esculturas da Acrópole de Atenas. Posteriormente, os romanos aderiram à cultura clássica e continuaram a produzir esculturas até o fim do império, difundindo o trabalho em mármore por todo o império.

 
 

Foi no Renascimento que a escultura se destacou, com a famosa estátua de Davi, de Michelangelo. Donatello e Verocchio foram outros mestres importantes do período. Entre os séculos XIX e XX, destacam-se os artistas Constantin Brancuse e August Rodin, dois mestres da escultura que influenciaram vários outros artistas.
Modernamente, novas técnicas, como dobra e solda de chapas metálicas, moldagens com resinas, betão armado ou plásticos, ou mesmo a utilização da luz coerente para dar uma sensação de tridimensionalidade, tem sido tentadas e só o tempo dirá quais serão perenes.


 
 
 
 
 

Através do tempo, algumas formas especificas de esculturas foram mais utilizadas que outras: O busto, espécie de retrato do poderoso da época; a estátua eqüestre, tipicamente mostrando um poderoso senhor em seu cavalo; Fontes de água, especialmente em Roma, para coroar seus fabulosos aquedutos e onde a água corrente tinha um papel a representar; estátua, representando uma pessoa ou um deus em forma antropomórfica; Alto ou Baixo-relevo, o modo de ilustrar uma história em pedra ou metal ; mobiliário, normalmente utilizado em jardins.
 
 
 

AS TÉCNICAS
As primeiras esculturas são predominantemente de pedra, argila e madeira. A técnica inicial da pedra lascada instigou o homem a criar alternativas, ao longo da história, para aperfeiçoar a elaboração de suas peças: num primeiro momento através da abrasão da areia e mais tarde através da criação de peças em cobre, bronze e ferro. A escolha de um material normalmente implica na técnica a se utilizar.
 
MODELAGEM
Na modelagem, as mãos do artista são o principal instrumento e os materiais mais comuns são a argila, a cera e o gesso. A modelagem nesses materiais é muito utilizada como um meio auxiliar do escultor para estudos prévios ou como base para as técnicas do vazado em metal, cimento ou plástico.
Para a modelagem em argila, o material é trabalhado ainda úmido e, dependendo da escala do objeto a ser modelado, pode ser fixado sobre suportes de madeira, arame, borracha, cortiça ou qualquer outro material não absorvente. No caso em que a própria argila é o material final para a realização da escultura, se utilizam as técnicas cerâmicas de cozimento. Essa técnica era utilizada por muitas culturas antigas – tais como a Suméria e a Chinesa – na elaboração de esculturas de Terracota (terra cozida).


 

 

TALHA EM MADEIRA
Considerada arte menor, a escultura em madeira oferece um desafio maior ao escultor para dar o naturalismo desejado à figuração, devido ao veios e nós da madeira e à precisão que deve ser trabalhada. Com isso, o uso do policromado (técnica de pintura à têmpera sobre base de gesso, aplicada na escultura em madeira) condicionou de forma decisiva a evolução da escultura em madeira. Essa técnica foi muito utilizada no Barroco brasileiro na confecção do imaginário (santos do pau oco). A técnica da talha consiste no desgaste de um tronco de madeira através do uso de instrumentos como o cinzel, serras, foices, machados, isovela e brocas. Geralmente, a madeira é trabalhada a partir de um único tronco que tem seu interior esvaziado para evitar problemas com a umidade. No acabamento final, a peça é lixada e polida.



Artesão
 
Goivas e formões


Talha
 
ESCULTURA EM PEDRA
A técnica, considerada nobre, consiste em desgastar um bloco de pedra com uso de cinzéis, martelos, pontas, bouchardes , puas, furadeiras e abrasivos. Na escultura em pedra os erros são irreparáveis e, para garantir o sucesso da sua confecção, se deve fazer um esboço em argila, gesso ou cera, com posterior maquete, que passará para o bloco de pedra através de um sistema chamado “ponteado”.
 
 
 

VAZADO EM BRONZE
Nessa técnica, o uso passa a ser industrial e não é mais só a mão do artista que dá origem às formas. É preciso criar moldes e a figura vai nascer do interior do molde, com a fundição do cobre em conjunto com o estanho, o zinco e o aço, em quantidades exatas, para se criar a liga apropriada de bronze. A fluidez dessa liga é o que dará características próprias a cada escultura.
O vazado em bronze, para esculturas tridimensionais pode ser feito de três formas: a fundição à cera perdida, o modelado e a galvanotipia.
A técnica da cera perdida consiste em construir um modelo em cera que é coberto por um molde de argila de uma única peça; depois, a cera é derretida e o espaço é preenchido com o bronze. A partir desse método, conhecido como direto, são realizadas peças maciças de menor porte.
O método indireto consiste em modelar em barro a figura e, a partir daí, criar um molde em gesso dividido em várias peças. O interior do molde em gesso é recoberto por uma fina camada de cera e o vazio preenchido por terra. Após essa etapa, desmonta-se o molde de gesso, que deixa descoberto o modelo de cera para ser retocado. Cobre-se então a peça com a argila – mantendo-se um sistema de canais de coado e respiradouros – que servirá de molde definitivo. O bronze então vertido, substitui a cera. Esse método permite que a peça tenha uma espessura variável e é utilizado na confecção de esculturas de grande porte.


 
O pensador de Rodhin
 
 
O boi de Wall Street

Na arte moderna o objetivo não é mais o naturalismo e, com isso, a escultura ganhou novas formas de expressão, possibilitando a pesquisa de novos materiais e o emprego diferenciado das técnicas tradicionais.
Uma descoberta inovadora foi a aplicação do concreto na escultura – uma mistura de cimento, areia e áridos (pó de pedra ou partículas de granito ou mármore, que proporcionam diferentes texturas ao concreto). O concreto pode ser trabalhado na modelagem ou nos vazados. Na modelagem o processo é semelhante àquele da argila, a diferença é a armação que deve se adequar ao peso e à forma da escultura. Os vazados são realizados com moldes de gesso, madeira ou formas, que recebem a massa homogeneizada e depois são cobertos com sacos molhados até que a peça endureça.
Na escultura em metal a evolução foi marcante após a Revolução Industrial. Os artistas passaram a utilizar diversos tipos de materiais: chapas de ferro, pregos, arames, chapas de aço, lata, latão, alumínio, ferro-velho, tubulações e até automóveis prensados. Tudo isso obriga a utilização de ferramentas industriais – soldagem, maçarico, rebitadoras, brocas elétricas, máquinas para corte e dobradura do metal. O artista pode pintar, disfarçar soldas, polir e oxidar suas peças em metal.
Outros materiais, como os plásticos e a celulose, foram utilizados inicialmente na escultura pelos Construtivistas, a partir da década de 20. Ainda hoje, os materiais plásticos, acrílicos e sintéticos constituem base de pesquisa de muitos artistas contemporâneos, coordenando-os com outros materiais ou simplesmente utilizando-se da sua plasticidade e textura.
A arte contemporânea oferece tal liberdade ao escultor na escolha das técnicas, que a própria técnica se confunde com o objeto artístico: a escultura hoje se utiliza de meios mecânicos, eletromagnéticos, fenômenos naturais e da própria estrutura física do ambiente onde a obra será instalada.
 
 
 
 



 https://pointdaarte.webnode.com.br/news/a-historia-da-escultura/

As incríveis esculturas super realistas feitas em madeira de Peter Demetz





© Peter Demetz
© Peter Demetz
Peter Demetz 01
© Peter Demetz



VÍDEO


Do grande mestre escultor de artesanato Eronildo José Carlos Honorato que começou como apanhador de cana de açucar



www.artesanatodepernambuco.pe.gov.br

Carro “aterra” na rotunda do Aeroporto de Faro


Trânsito está a circular sem problemas
Um carro foi parar, esta quarta-feira, 31 de Julho, dentro da rotunda do Aeroporto de Faro. O condutor, de 25 anos e nacionalidade inglesa, ficou ferido sem gravidade.
Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro disse ao Sul Informação que o alerta foi dado às 13h05.
O jovem apresentava ferimentos leves e foi «transportado para o Hospital de Faro». Ao que o Sul Informação apurou, o automóvel era de uma rent-a-car.
Nas imagens é possível constatar como o carro ficou com graves danos, nomeadamente na parte dianteira. Já das estátuas, que há anos embelezam a rotunda, não há relatos de que tenham ficado afetadas…
No local estiveram oito operacionais e cinco veículos, dos Bombeiros Sapadores de Faro, Cruz Vermelha, PSP e GNR.
O trânsito está a circular sem problemas.


www.sulinformacao.pt

Fotógrafo regista locais inspirado pela Guerra dos Tronos que se esconde pela Europa

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger, foi em busca de lugares na Alemanha e arredores da Europa em que pudesse capturar o espírito da série de “Game of Thrones”.
Nas sua busca ele encontrou castelos, ruínas, mosteiros, vilarejos antigos e florestas cobertas de neve que faz te lembrar imediatamente de alguns dos episódios da série.
Muitas das fotos feitas pelo alemão realmente parecem cenas de divulgação da HBO. O curioso é que as imagens feitas por ele não correspondem os lugares usado pela equipe de produção da série.
Embora muitas cenas realmente tenham sido filmadas na Europa, boa parte dos cenários vistos são de países como Espanha e Croácia, além das paisagens naturais da Islândia.
Agora vale muito a pena conferir essas imagens e viajar pela série.
Confira abaixo uma amostra das fotos. O set completo está disponível no Behance do alemão Schonberger.
O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 01

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 02

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 03

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 08

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 07

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 06

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 05

O fotógrafo alemão Kilian Schonberger 04
Para quem planeia viajar pela Europa e busca por um fotógrafo brasileiro em Roma, saiba que há poucas opções de profissionais qualificados. Porém, todo esforço é válido para registar de forma tão bela, momentos importantes da sua viagem.
Possui alguma foto inspirada em Game of Thrones? Conseguiu registar suas fotos nestes locais cinematográficos?

marketingcomcafe.com.br