AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


domingo, 27 de janeiro de 2019

PS diz que Ambifaro é saco azul da Câmara




www.cmjornal.pt




Fusão com o Mercado serviu para “agilizar as despesas de propaganda municipal”, acusam os socialistas.


O PS/Faro diz que a Ambifaro é usada como "saco azul" da Câmara. Os socialistas dizem que a fusão da empresa municipal com o Mercado "apenas serviu para agilizar as despesas de propaganda municipal", e justificam, desta forma, o veto, em Assembleia Municipal, à atribuição das receitas dos parquímetros na cidade à Ambifaro.


Recordando que ainda está por avançar a auditoria às contas da empresa, pedida em julho de 2018, o PS destaca que, "apesar da diminuição dos juros, desde a fusão [com o Mercado] em 2015, o aumento consecutivo dos gastos em Fornecimentos e Serviços Externos - mais de 400% de 2014 para 2017 - e em Outros Gastos, especialmente em 2017, levaram ao resultado de um buraco de 2 milhões e 200 mil euros".

Os socialistas dizem ainda que a Ambifaro, até 2019, "despendeu com terceiros mais de 1 milhão e 690 mil euros em contratos de prestação de serviços, a maior parte constituído por ajustes diretos". 

E concluem que o foco principal da empresa, nos últimos anos, foi "o de assumir despesas que a Câmara não queria ou não podia assumir em áreas da animação, publicidade e mais empregos para a clientela de proximidade".

Esta verdadeira ‘Guerra dos Parquímetros’ surgiu depois do PSD/Faro classificar o chumbo da proposta como "política bota-abaixista", defendendo que a entrega das receitas do estacionamento à superfície à empresa seria "a única forma" da Ambifaro "iniciar a recuperação financeira". Já ontem, Rogério Bacalhau, presidente da Câmara (PSD), afirmou que "Ambifaro sem parquímetros pode fechar portas".

Sem comentários: