AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Contagem decrescente dos melhores fogos-de-artifício do réveillon


12 lugares de rara beleza onde as festas são iluminadas com grande exuberância durante a passagem de ano. Um lugar por cada passa e por cada desejo.
Contagem decrescente dos melhores fogos-de-artifício do réveillonContagem decrescente dos melhores fogos-de-artifício do réveillon
Um lugar por cada passa, uma cidade por cada badalada, uma escolha por cada país - só que não, porque Portugal tem muita beleza e somos peritos em fogos-de-artifício, festas e paisagens, pelo que escolhemos três sítios, mesmo correndo o risco de acusarem a nossa lista de ser caseirinha. Sem mais delongas, aqui vai a nossa contagem decrescente dos mais belos e entusiasmantes fogos-de-artifício do mundo.
  1. Dubai
Era o que faltava, o Dubai não mostrar exuberância numa hora tão festiva quanto a da entrada no ano novo. Os dubaienses, que têm o edifício mais alto do mundo, aproveitam-se da circunstância e não fazem por menos: o enorme Burj Khalifa, com os seus 800 metros de altura (diz-se altura ou altitude quando a referência é a um prédio desta dimensão?), ilumina-se e incendeia-se, dando início a um circuito de fogos-de-artifício por todo o centro da cidade. É mesmo um circuito e os prédios e outros lugares icónicos vão-se acendendo à vez.
  1. Singapura
A Marina Bay ilumina-se na noite de ano novo, com os seus prédios altos e modernos. Muitas cidades oferecem vistas mais ou menos semelhantes, mas poucas - ou, talvez, nenhuma outra - oferecem tantos lugares de onde se pode assistir ao festival de luz e cor. Dos luxuosos terraços dos edifícios às centenas de piscinas infinity view, para não falar nos barcos ancorados na própria marina ou ainda dos próprios Gardens by the Bay, são muitas opções disponíveis.
  1. Lisboa
Se vai ver fogo-de-artifício no réveillon, não se esqueça que Portugal é um país não só de poetas, mas também de pirotécnicos. Comecemos por Lisboa, cidade de frondosa frente ribeirinha (são mais de 24 quilómetros de frente para o estuário do Tejo). A festa do fogo vai do Parque das Nações a Belém, passando pela Praça do Comércio, centro do desfile e epicentro da festa. A capital tem ainda um bónus raro, que é a vista das dezenas de fogos da Margem Sul ou, como se diz agora, na Lisbon South Bay.
  1. Orlando
É o Walt Disney World, na Florida, EUA, e os seus castelos encantados, e as suas personagens, efeitos especiais e pessoas que assistem, a alumiar todo o cenário com os seus smartphones para não perderem pitada. Imperdível.
  1. Taipé
Na linha do Dubai e de Singapura, é o ambiente de pós-modernidade luminosa e vertical que tornam a passagem de ano da capital de Taiwan tão especial. Neste cenário, o Taipei 101, um dos mais altos arranha-céus do planeta, destaca-se dos restantes prédios envolventes, que são altos, sim, mas que ficam bastante aquém dos 500 metros do gigante onde o fogo-de-artifício tem o seu centro - os prédios em redor acompanham numa coreografia difícil de descrever.
  1. Paris
Se uma lista de paisagens e lugares mais belos não contivesse Paris, não seria uma lista de confiança. Não custa imaginar a Torre Eiffel e fogos a sair dela, iluminando o vasto e abençoada céu parisiense, cidade das luzes que, nesta noite, ilumina com mais cores e mais rasgo. Mais romântico é difícil.
  1. Porto
Voltamos a Portugal e a um dos cenários mais privilegiados do país, o Rio Douro, ali, antes de chegar à sua foz, deixando Porto e Gaia de olhos nos olhos e, nesta noite, de olhos postos no céu e não só. A Ponte de D. Luís assume habitualmente um papel central na magnífica coreografia dos fogos.
  1. Moscovo
Não será o primeiro lugar do mundo a surgir na mente, mas a Praça Vermelha, em Moscovo, é um lugar com tanto de especial quanto de belo e imponente. A grande praça moscovita - aproximadamente com a mesma dimensão que a Praça do Império, em Lisboa, entre os Jerónimos, o CCB e o Tejo - tem à vista a Catedral de São Basílio, o Kremlin, que inclui o Mausoléu de Lenin, o Museu Histórico e o imponente GUM, uma espécie de centro comercial, de Moscovo, edifício mandado construir por Catarina II da Rússia. No topo de tudo isto, tem, claro, um exuberante fogo-de-artifício à meia-noite, hora do fuso horário de Moscovo, um dos 11 da Rússia.
  1. Rio de Janeiro
Claro que a 'cidade maravilhosa' tinha de surgir nesta lista, não há como não estar. O fogo-de-artifício de Copacabana é, muito possivelmente, aquele, de entre todos os que há no mundo, que é visto por mais gente in loco. Nunca ninguém conseguiu contar todas as pessoas, pelo que não existe um número exato, mas as autoridades e os promotores de eventos estimam que sejam, todos os anos, mais de dois milhões de pessoas a preencher na totalidade o longo areal de Copacabana - para que conste, são mais de quatro quilómetros de extensão.
  1. Sidney
Não vem em primeiro no top, mas é, de entre os mais belos e importantes, o primeiro do ano, todos os anos, já que as badaladas soam na Austrália antes de soarem em (quase) todo o mundo. O cenário é deslumbrante, com a Baía de Sidney a albergar a Harbour Bridge e voltada para a sumptuosa e inconfundível Opera House. São muitos os milhares que viajam até à cidade, vindos de todo o planeta, só para assistir a este momento.
  1. Londres
Porque Londres é Londres. O Big Ben, a Tower Bridge, o London Eye, o edifício do Parlamento, todas as curvas iluminadas do Tamisa, milhares e milhares de pessoas nas margens e nas pontes. Dizem que a festa que se segue nem sempre é grandiosa - mas o fogo-de-artifício é extraordinário.
  1. Funchal
É um espetáculo especial e que, embora possa ser desfrutado de qualquer ponto da cidade, ganha muito se for visto de dentro de um dos cruzeiros, ao largo. Foi isso que o tornou famoso e diferente de muitos outros, o facto de ser concebido para ser visto desde o mar. O próprio alinhamento dos cruzeiros no porto enriquece o cenário, que é obviamente deslumbrante. Uma vez mais, fica demonstrado que o melhor do mundo é da Madeira.


www.gqportugal.pt

Sem comentários: