AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


sábado, 1 de dezembro de 2018

01 de Dezembro de 1955: Rosa Parks é presa por desobediência civil


Em Montgomery, capital do Alabama, as primeiras filas dos autocarros eram, por lei, reservadas a passageiros brancos. Atrás vinham os assentos nos quais os negros podiam sentar-se. No dia 1 de Dezembro de 1955, Rosa Parks entrou num desses autocarros  e  sentou-se num dos lugares situados a meio do autocarro.  Quando o motorista – branco – exigiu que ela e outros três negros se levantassem para dar lugar a brancos que tinham entrado no autocarro, Rosa Parks  negou-se a cumprir a ordem. Ela continuou sentada e, por isso, foi detida e levada para a prisão.


O protesto silencioso de Rosa Parks propagou-se rapidamente. O Conselho Político Feminino organizou, a partir daí, um boicote aos autocarros urbanos, como medida de protesto contra a discriminação racial no país. Martin Luther King Jr. foi um dos que apoiaram a acção. 

O activista e músico Harry Belafonte lembra-se como a sua vida mudou, após o dia em que King lhe telefonou para pedir apoio à acção da mulher que ficou conhecida como a "mãe dos movimentos pelos direitos civis" nos EUA.


"A atitude de Rosa Parks permitiu-nos reagir contra as pressões políticas e sociais que caracterizavam a nossa sociedade. Quando King me telefonou,  comecei, pela primeira vez, a lutar oficialmente por essa causa."
Poucos dias depois da atitude espontânea de Parks, milhares de negros  recusaram-se a apanhar o autocarro a caminho do trabalho. Enquanto as empresas de transporte colectivo começaram a ter prejuízos cada vez maiores, os negros andavam  a pé vários quilómetros, acenando e cantando pelas ruas, sendo também frequentemente insultados e agredidos.


No dia 13 de Novembro de 1956, o Supremo Tribunal norte-americano aboliu a segregação racial nos autocarros de Montgomery. Poucas semanas mais tarde, a nova lei entrou em vigor em Montgomery. Em 21 de Dezembro de 1956, Martin Luther King e Glen Smiley, sacerdote branco, entraram juntos num autocarro e ocuparam os lugares na primeira fila.


Em Junho de 1999, o então presidente Bill Clinton condecorou Rosa Parks, então com 88 anos, com a medalha de ouro do Congresso norte-americano. Durante a cerimónia da condecoração, Clinton acentuou que Parks foi capaz de lembrar aos EUA que a promessa de liberdade  estava apenas a ser uma ilusão para milhares de cidadãos do país. No seu discurso de agradecimento, Parks ressaltou que a homenagem deveria servir para encorajar todos os que lutam pela igualdade de direitos em todo o mundo.

Fontes: DW
wikipedia (imagens)


Rosa Parks num autocarro de Montgomery no dia 21 de Dezembro de 1956
 O Autocarro de Montgomery em que Rosa Parks se recusou a ceder seu lugar

Sem comentários:

Enviar um comentário