AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

A NATO QUER ENVOLVER A EUROPA NUMA GUERRA COM A RÚSSIA - NATO garante apoio a Kiev e convoca reunião para debater tensão com Rússia




www.tsf.pt



O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, garantiu esta segunda-feira ao Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, que a organização mantém o apoio ao país sobre a integridade territorial, incluindo o direito de navegação nas suas águas e nas internacionais.


Segundo um comunicado da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla inglesa), Stoltenberg, para além de reiterar o apoio a Kiev, anunciou a convocação de uma reunião extraordinária da comissão Nato-Ucrânia, a nível de embaixadores, em Bruxelas, para debater a recente escalada de tensão entre Kiev e Moscovo.

O telefonema de Stoltenberg a Poroshenko deveu-se ao recente aumento da tensão entre a Rússia e a Ucrânia, nomeadamente no estreito de Kersch, que une o Mar Negro e o Mar de Azov.

A Rússia reabriu hoje de manhã o estreito de Kerch, após o ataque contra navios da Armada da Ucrânia no domingo.
"O estreito foi aberto esta manhã", disse Alexei Volkov, diretor geral da empresa dos Portos Marítimos da Crimeia, em declarações a vários órgãos de comunicação social russos.

Moscovo ordenou o encerramento do Estreito de Kerch depois de ter acusado a Armada da Ucrânia de violação das águas territoriais.

O escalar da tensão aumentou desde que Moscovo concluiu a construção de uma ponte entre a Península da Crimeia e a Rússia.

Sem comentários: