AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


sábado, 11 de agosto de 2018

Centenas de produtores protestam contra cortes no leite


Mais de meio milhar de produtores de leite manifestaram-se esta quinta-feira contra a administração da Lactogal, que acusam de estar a prejudicar o sector e a conduzir ao fecho das explorações.
https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/7909.jpg?itok=gIsxUz7-
Manifestação foi convocada por várias associações e cooperativas agrícolas, para demonstrar «a revolta dos produtores face a mais uma descida do preço do leite»
Manifestação foi convocada por várias associações e cooperativas agrícolas, para demonstrar «a revolta dos produtores face a mais uma descida do preço do leite»
«A lavoura em defesa do leite nacional», «basta de ditadura na produção de leite», «paguem a quem trabalha» ou «insucesso da Lactogal abre portas ao leite estrangeiro» foram algumas das frases hoje inscritas nas faixas levantadas pelas várias centenas de trabalhadores e produtores do sector do leite.
«Já temos contabilizadas 160 explorações que fecharam desde 1 de Janeiro até hoje», avançou à Lusa Jorge Oliveira, presidente da Associação de Produtores de Leite de Portugal (APROLEP), durante a manifestação que decorreu no Porto, onde está localizada a sede administrativa da Lactogal.
A título de exemplo, a redução de um cêntimo numa exploração que produza «75 mil litros de leite mensal representa 750 euros», explica Marisa Costa, referindo que esses 750 seriam o «salário de uma pessoa da exploração», que já desde 2015 passa por períodos «muito negativos».
As largas centenas de manifestantes que chegaram ao Porto em 12 autocarros, vindos de todo o Norte de Portugal, tomaram recentemente conhecimento da decisão da Lactogal em baixar o preço do litro de leite em um cêntimo, a partir de 1 de Agosto, propondo ainda aos produtores pagar-lhes para desistirem de fornecer leite ou reduzirem os seus contratos.
Segundo Jorge Oliveira, a Lactogal «não se preparou para as exigências do mercado» e isso é demonstrado pelas medidas que têm sido tomadas, como as «baixas de preço de leite e redução da produção», cujas consequências estão à vista com os encerramentos das explorações.
Por sua vez, Marisa Costa, vice-presidente da APROLEP, afirmou «que não há capacidade [da Lactogal] de resolver ou de olhar para o produtor de forma diferente, (...) isto porque têm necessidade de reduzir 60 milhões de litros de leite à produção e, além disso, reduzir um cêntimo ao produtor», medidas que têm «impacto considerável nas explorações», frisou.

CNA solidária com produtores de leite

Em comunicado, a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) demonstrou a sua solidariedade para com os «produtores de leite nacionais, que têm muitos motivos para estar descontentes».
Segundo a CNA, a descida do preço do leite «volta a provar a ineficácia das opções – em especial as direcionadas para a redução e o abandono de produção - tomadas alegadamente para melhorar o escoamento e o preço», sobretudo quando conjugada com o «grande impacto da especulação promovida pelas cadeias de grandes hipermercados».
Para a estrutura, «é necessário repor mecanismos públicos de controlo da produção e do mercado, como foram as "quotas leiteiras​​​", (...) uma medida a retomar na reforma da PAC, que já está em marcha para o pós-2020».
«A CNA não só protesta contra as baixas do preço na produção como reclama o aumento do preço do leite na produção. É esta uma condição fundamental para assegurar o trabalho produtivo da grande maioria dos produtores nacionais de leite e para defender a soberania alimentar do nosso País também neste sector, que aliás, é bastante emblemático no plano nacional», lê-se.

www.abrilabril.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário