AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


domingo, 1 de julho de 2018

AINDA HÁ PROFESSORES, ENFERMEIROS E OUTROS QUE VÃO NA CANTIGA DESTA FASCISTA !? -35 horas? Para Cristas, os portugueses precisam de "trabalhar muito"


Em Ponte de Lima, à margem de uma visita à Feira do Cavalo, a líder centrista expressou o seu desacordo face à implementação das 35 horas semanais no Estado. "Infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à competitividade", recordaA presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou este sábado que os portugueses precisam de "trabalhar muito", quando questionada sobre o regresso dos profissionais de saúde às 35 horas semanais de trabalho. "No país, precisamos de trabalhar muito, porque infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à competitividade da nossa economia", disse Cristas aos jornalistas em Ponte de Lima, à margem de uma visita à Feira do Cavalo.

A partir deste domingo, enfermeiros, assistentes e técnicos de diagnóstico vão regressar às 35 horas de trabalho semanais, em vez das 40 atuais, numa altura de férias e em que estão marcadas greves às horas extraordinárias. Para Cristas, esta diminuição de horas de trabalho irá conduzir à degradação dos serviços, "caso o Governo não abra os cordões à bolsa" para a contratação de mais profissionais.
"Ou o Governo abre os cordões à bolsa para fazer mais contratações, e isso não está a acontecer (...), ou serão os mesmos de sempre a terem de sofrer mais e a serem penalizados com esta opção", referiu. Lembrou que o CDS-PP já vem alertando há dois anos para as "dificuldades" decorrentes da implementação das 35 horas na função pública, que tem conduzido à "degradação enorme" dos serviços".

expresso.sapo.pt

1 comentário:

  1. Infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à competitividade, diz essa senhora mal amada com toda a desfaçatez duma hipócrita sem vergonha. Agora digo eu: Infelizmente continuamos a estar atrás dos outros países no que diz respeito à qualidade dos nossos políticos, especialmente àqueles que emanam do C.D.S. cujas iniciais poderão querer dizer: Centro Difusor Salazarista.

    ResponderEliminar