AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


terça-feira, 12 de junho de 2018

ALGAR vai investir 45 milhões até 2021– c/áudio e vídeo






Até 2021, a ALGAR, empresa responsável pelo tratamento e valorização dos Resíduos Urbanos na região algarvia, prevê investir mais de 45 milhões de euros.
A completar o seu primeiro ano de mandato à frente da entidade, Telma Robim, Administradora Delegada da ALGAR, conversou com o diáriOnline Região Sul.
A aquisição de novos equipamentos e a expansão dos aterros sanitários são alguns dos investimentos previstos.





Telma Robim - Administradora ALGAR

A melhoria da capacidade dos Aterros Sanitários do Barlavento e Sotavento são a meta mais imediata.

Expansão dos Aterros Sanitários

No que respeita à expansão do Aterro Sanitário do Sotavento, o custo da empreitada é de 4 milhões de euros e deverá ficar concluída em outubro de 2018.
A nova célula C, prevista no projeto inicial de construção do aterro, está a ser construída com o propósito de ampliar a capacidade de deposição dos resíduos indiferenciados recolhidos nos concelhos do Sotavento Algarvio.
“Com este investimento espera-se obter um volume de encaixe de 1 milhão de m3 para a deposição de resíduos, o que permitirá uma capacidade estimada de 130 mil toneladas de resíduos rececionados por ano”, explica Telma Robim.
“Prevê-se um tempo de vida útil mínimo de exploração da célula de 10 anos, sendo expectável que tenha uma duração superior face à entrada em funcionamento de outros equipamentos que irão retirar matéria orgânica e recicláveis para valorização”.





ALGAR

A Barlavento, o investimento será de 3,6 milhões de euros, para construção da célula D, com capacidade para 1 milhão de m3.
A obra de expansão do Aterro Sanitário do Barlavento deverá ter inicio ainda este mês (junho de 2018).

Reciclar, Reciclar, Reciclar

Telma Robim, Administradora Delegada da ALGAR, elege a reciclagem como o grande objetivo da empresa e seu pessoal.
A responsável mostrou-se contente com as taxas de reciclagem e reutilização, alcançadas pelos algarvios.
Tendo por valor de referência na reutilização os 70 Kg por habitante/ano, a região algarvia atingiu, em 2017, os 71 Kg por habitante, de materiais reutilizados.





ALGAR

Embora este seja um valor indicativo das boas práticas conseguidas no sul do país, “a tarefa de reciclar e reutilizar é um trabalho contante”, explica Telma Robim.
“O Algarve é das regiões do país que mais recicla, mas temos de ir sempre mais longe. Acredito que seja uma mistura de fatores. Há um elevado número de residentes (estrangeiros) no Algarve com bons hábitos de reutilização. A população urbana é sempre a que mais reutiliza”, explica a responsável.

som audio 




Telma Robim realça o facto de ainda existir uma elevada percentagem de contaminação nos resíduos recolhidos. Em alguns casos, essa contaminação ultrapassa mesmo os 30%. A responsável pela ALGAR dá como exemplo o vidro, que embora seja o material há mais tempo recolhido para reciclagem, é também o que chega mais contaminado, principalmente com matéria orgânica.
som audio

Gostava de ver duas coisas”, afirma Telma Robim. “Gostava que os resíduos que nós recolhemos nos ecopontos tivessem menor taxa de contaminação e gostava de não encontrar embalagens recicladas nos indiferenciados”.
Numa declaração que pode ver em vídeo, Telma Robim lembra que “só temos este planeta” e fala no espírito de missão que a ALGAR, e quem trabalha na área, coloca na reciclagem. Uma tarefa que dá trabalho, mas que compensa
VÍDEO







Novos Ecopontos e Viaturas
A ALGAR está a reforçar a rede de ecopontos em todos os Municípios do Algarve. A empresa vai investir perto de 1,5 milhões de euros na aquisição de 781 ecopontos de superfície (de 2,5 e 5 m3 - Financiamento POSEUR).
“Com este projeto a empresa está a permitir um crescimento de 7 827m3 na capacidade de deposição, o correspondente a um aumento de cerca de 30% no número de contentores disponibilizados à população Algarvia”, explica Telma Robim.
Com a instalação destes equipamentos, os 16 municípios do Algarve vão poder contar com uma rede de cerca de 3 500 ecopontos, o que se traduz no rácio de um ecoponto por cada 126 habitantes.





ALGAR

A ALGAR prevê ainda a aquisição de 12 novas viaturas, melhorando assim a rede de recolha e transporte.
A par do investimento em equipamento e instalações, a ALGAR aposta em varias campanhas de sensibilização, com o intuito de cativar toda a população

SOM AUDIO



O Plano de Investimento para o triénio de 2019/2021, tem ainda previsto um conjunto de novos projetos, num valor superior a 32 milhões de euros, destinados à melhoria contínua do serviço público na região, com especial foco na atividade da Recolha Seletiva e no reforço dos equipamentos.
Com um volume de negócio a rondar os 20 milhões de euros por ano, a ALGAR tinha, em 2017, um valor acumulado de 458 mil toneladas de resíduos reciclados e tinha tratado 7,9 milhões de toneladas de resíduos.





Telma Robim - ALGAR

Em termos energéticos, a ALGAR produziu 39 mil toneladas de composto agrícola e produziu 104 GWh de energia elétrica através do biogás produzido nos aterros sanitários do sotavento e barlavento.


regiao-sul.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário