AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


domingo, 29 de abril de 2018

Se não foi assim poderia ter sido (1): as ansiedades do demagogo



De manhã, ao fazer a barba o demagogo pensou: «Espelho meu! Existe populista mais populista do que eu?». E logo começou  a congeminar a  malfeitoria quotidiana contra o seu ódiozinhos de estimação, esse rival que, com as suas políticas acertadas e os resultados correspondentes, punha em risco a superioridade dos favores do povo.

















É que lá viria o dia em que algum daqueles com quem se esforçava por multiplicar selfies e abraços lhe perguntaria o que realmente fizera em seu favor, se nenhuma lei, nenhum projeto, nenhuma coisa concreta se lhe devia em tantos anos de vã glória de se ter como servidor do interesse público. Sim que diria? Como contrariar a ideia de que o outro é que melhorava a vida das pessoas e ele apenas se lhe impunha no palco como compère  de uma representação, que só lhe atribuía papel secundário?
A ideia luziu-se de repente. Aonde é que hoje posso ser apanhado por câmaras de televisão? Onde replicar o número, sempre de sucesso garantido, de aparecer inesperadamente? E foi assim que, consolado com a ideia luminosa, desceu para o pequeno-almoço com o projeto de ir ao CCB, ao encontro das multidões melómanas junto das quais poderia replicar, uma vez mais, a sua habitual  desfaçatez.
À noite, nas televisões, não faltaram notícias sobre um novo banho de multidão junto de gente sorridente e obsequiosa com a oportunidade de recolher um momento de fama.
A bebericar o cházinho de camomila a tia Genoveva ficou comovida: este senhor é um querido!


ventossemeados.blogspot.pt

Sem comentários: