AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


sexta-feira, 27 de abril de 2018

(Aproveito para colocar aqui esta conversa que tive com um amigo) 25 de Abril O MFA e o Golpe Militar


Fernando Soares

(Aproveito para colocar aqui esta conversa que tive com um amigo)
25 de Abril
O MFA e o Golpe Militar
"
Os oficiais, maioria de Capitães, formaram o Momento das Forças Armadas para derrubar o Regime Fascista do Estado Novo porque já entendiam que o fascismo só se derrota com um amplo movimento.
Em Portugal, desde o início (1926) tinha havido muitas tentativas dos militares que julgavam que saindo uma Companhia ou um Batalhão os outros vinham atrás. Falharam sempre é foram para as cadeias.
Mesmo em 1974, já com os preparativos do 25 de Abril, houve em 16 de Março uma "antecipação" já que um grupo de oficiais de direita quiseram controlar o futuro Poder e fizeram eles uma marcha sobre Lisboa, mas o Regime derrotou essa coluna militar às portas de Lisboa.
Como já se sabia, os outros Quartéis não alinharam. Tinha que ser combinado entre todos.
Esse Movimento das Forças Armadas (MFA) era muito heterogêneo: havia Oficiais Democratas, de Esquerda, não muitos, e até de extrema direita.
O que os unia era estarem contra a Guerra Colonial que, para todos não podia ser vencida militarmente mas, para alguns, as Colónias eram propriedade de Portugal e, portanto não podiam ser Independentes.
Ora, os Movimentos Independentistas das Colónias fizeram a Guerra para se tornarem Independentes portanto, a Guerra continuava sempre sem Independência.
Em 25 de Abril, o MFA triunfou porque tinham combinado com quase todas as Unidades Militares em Portugal e todas foram ocupar as suas posições.
A Aeronáutica e a Marinha só não participaram militarmente porque dadas as Características do Golpe não havia lugar para elas. Nem mesmo os Paraquedistas participaram.
Mas, foi tudo discutido com eles, tiveram responsáveis em diversos sectores durante o Golpe e depois do Golpe foram eles que foram Ocupar algumas Posições derrotadas. "

Sem comentários: