AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 14 de julho de 2017

ATAQUE VIOLENTO FOI A PRIVATIZAÇÃO





António Costa assinalou o seu receio pelo que possa acontecer à PT nas mãos da Altice, comparando-a à Cimpor, dados os riscos para a integridade de uma grande empresa de base tecnológica, criada pelo tal Estado empreendedor português, e para os seus cada vez mais pressionados trabalhadores, terminando com um “olhe, eu por mim já fiz a minha escolha da companhia que utilizo”. Estes comentários merecem meia dúzia de notas meio críticas.

Em primeiro lugar, quero apostar que o Negócios, que fica perturbado com críticas justas a certos negócios, daqui a uns tempos repetirá a manchete, mas com uma alteração – “Primeiro-Ministro faz ataque violento à Lone Star” –, já que predadores há mesmo muitos.

Em segundo lugar, o destino da PT é a enésima ilustração dos riscos que impendem sobre empresas crucialmente estratégicas quando são privatizadas e reduzidas a geradores de lucros de curto prazo para accionistas impacientes.

Em terceiro lugar, o PS, que foi um dos entusiastas participantes do ciclo de privatizações, a começar na revisão constitucional que o permitiu há quase três décadas, tem de reconhecer que sem propriedade pública não há regulação, nem estratégia de desenvolvimento, que nos valha.

Em quarto lugar, o governo tem de ser consequente com o diagnóstico, mobilizando todos os instrumentos ainda ao seu dispor.

Em quinto lugar, a greve dos trabalhadores da PT merece todo o apoio, indicando que o trabalho organizado é um dos freios à predação em curso.

Em sexto lugar, temo que as declarações de Costa sejam inconsequentes, dada a convocação da ideia da “liberdade para escolher”, confundindo de forma reveladora a realidade da deliberação política, que tem lugar na AR, com a ilusão ideológica da soberania do consumidor privado, que não deve ter lugar no debate público.

 ladroesdebicicletas.blogspot.pt

CINCO ATAQUES COM ÁCIDO EM LONDRES

Um adolescente foi detido por suspeita de envolvimento em cinco ataques com ácido no nordeste de Londres, na noite desta quinta-feira.
Os relatos dão conta de dois homens, numa mota, a atirar substâncias corrosivas para o rosto das vítimas.
As agressões tiveram lugar no espaço de 90 minutos nos bairros de Hackney, Stoke Newington e Islington.
As autoridades acreditam que os acontecimentos estejam interligados.
As vítimas foram transportadas para o hospital – algumas com ferimentos faciais profundos.
As investigações continuam em andamento e os envolvidos enfrentam acusações por danos corporais e roubo.

VÍDEO

video
pt.euronews.com

O mundo visto do céu: Escócia [Ilha de Skye até Fort Willian]


Hoje sobrevoaremos a Escócia e descobriremos maravilhosas paisagens desse lindo país.


Saberemos mais sobre a história das construções mais importantes e nos deslumbraremos com vistas espetaculares da natureza dessa região, vendo tudo do céu.

Sem mais delongas, vamos ao vídeo:


tudorocha.blogspot.pt

A Nova Ordem Mundial Começará com a Alemanha e a China


Em vários artigos ao longo dos anos, esbocei em graves detalhes a agenda de um futuro sistema econômico e governamental de um mundo liderado principalmente por elites e globalistas bancários; uma agenda que às vezes se refere como a "Nova Ordem Mundial". O termo ganhou tal exposição pública e notoriedade recentemente já que os globalistas voltaram a usar diferentes terminologias. Alguns deles, como Christine Lagarde, do Fundo Monetário Internacional, refere-se à NOM como o "reinício econômico global". Outros a chamam de "novo multilateralismo". Ainda outros se referem à ela como o "fim da ordem unipolar", referente à morte lenta da economia dos EUA como o pilar central da economia global.


Seja qual for o rótulo que eles decidam usar, todos eles sinalizam uma desestabilização do espectro completo do sistema financeiro e geopolítico do "antigo mundo" e a ascensão de um mundo fortemente controlado e dominado abertamente por centros globalizadores como o FMI e o BIS.

Muitas pessoas, mesmo no movimento da liberdade, tendem a examinar apenas a aparência desta agenda. Alguns se enganaram pensando que os EUA e o dólar são realmente o núcleo da NOM e, portanto, são indispensáveis ​​para os globalistas. Como mostrei uma e outra vez, o Federal Reserve está agora em uma via rápida para completar sua sabotagem da economia dos EUA; eles não estariam instigando a instabilidade e crise para esvaziar as massivas bolhas fiscais que eles criaram a menos que os EUA fosse pelo menos parcialmente dispensável.

Alguns acreditam que a NOM é uma construção puramente "ocidental" e que as nações orientais estão se defendendo contra um império globalista invasor. Eu também mostrei que isso é sem sentido, e que as nações orientais trabalham em estreita colaboração com os mesmos exatos globalistas em que eles estão supostamente em guerra. Isso inclui o russo Vladimir Putin, uma figura muitas vezes ignorantemente elogiada por ativistas de liberdade selecionados.

O que vemos na mídia mainstream é o conflito, sim; mas é um conflito teatralNo final do dia, os líderes orientais adulam os altos sacerdotes globalistas do FMI e do BIS e almoçam com ícones da NOM como Henry Kissinger, assim como os líderes do Partido Republicano e, até mesmo a família de Donald Trump vai a festas com estrategistas democratas e George Soros.



É tudo uma peça de kabuki. Todo o mundo é um palco...

Então, a questão permanece, uma vez que a NOM e um sistema econômico de um mundo são, de fato, uma ameaça real provada para existir através de evidências consideráveis, incluindo as próprias palavras de globalistas proeminentes, como isso começa? Se os EUA são apenas um membro que os globalistas estão dispostos a sacrificar no comércio para obter uma centralização ainda maior, onde a NOM realmente se enraizará? Conforme observado, as nações orientais e ocidentais estão à disposição dos financiadores internacionais, por isso não deve surpreender que a NOM aparentemente esteja tomando forma em torno da relação entre duas nações; uma de cada lado.

Como o site Bloomberg anuncia com aparente alegria em um artigo intitulado "China, Alemanha se levantam à medida que os EUA se apossam da liderança mundial", Donald Trump arrisca-se "unindo aliados e inimigos da guerra fria contra ele". Em outras palavras, o futuro é o socialismo extremo, o Os populistas são uma raça perigosa e moribunda e a globalização marcha sem eles. A narrativa está claramente sendo estabelecida.

A relação entre a China e a Alemanha pode parecer estranha, mas os dois países são muito mais parecidos do que muitas pessoas compreendem. A Alemanha é a peça central industrial e econômica da União Européia. A China é o pilar econômico e industrial da Ásia. A China se vende como uma sociedade comunista com passatempos capitalistas. A Alemanha se vende como uma sociedade capitalista que integra programas socialistas (comunistas) e mantras de justiça social. Na realidade, ambas as nações são buracos coletivistas, mas esse é exatamente o tipo de modelo que os globalistas querem para todo o mundo.



A Alemanha preparou o cenário para o modelo auto-flagelante do "multiculturalismo". Angela Merkel é obsessiva na busca do ideal, e isso faz sentido a partir de uma perspectiva globalista. O multiculturalismo requer movimentos absolutamente desinibidos de ideologias e populações através das fronteiras, tornando as fronteiras essencialmente obsoletas. Os idiota esquerdistas enganados por puras fantasias do tipo "é preciso uma aldeia para criar uma criança" foram explorados pelos globalistas como uma ferramenta para promover o fim da soberania nacional. A Alemanha de Merkel esteve na vanguarda deste movimento na Europa e, aparentemente, está sendo preparada como uma antítese para Trump.



A Alemanha também manteve-se, há muitos anos, como uma espécie de paraíso socialista, com mais de 25% de seu PIB entrando em programas de direito tão abrangentes, que é possível para os cidadãos alemães (mulheres em particular) viverem a maioria de suas vidas sem ter que trabalhar. Foi esse fluxo constante de dólares nos programas de assistência social que atraiu uma grande quantidade de chamados "refugiados" dos países islâmicos para a UE, praticamente esmagando o sistema de direito e forçando a Alemanha a colocar restrições sobre os novos cidadãos.

A China tem servido como modelo da NOM como mais um campo de testes econômicos opressivos. Bem-estar e seguro de saúde universal está realmente na vanguarda do último programa de "cinco anos" do governo chinês. É claro que, com centenas de milhões de chineses que vivem com menos de um dólar por dia, a população não tem escolha senão confiar na generosidade do estado. Isso moldou uma economia que quase não é tolerável para muitos, mas é tolerável o suficiente para evitar revoltas. É uma dinâmica que as elites gostariam de aplicar em todas as nações.

O governo chinês supervisiona todos os aspectos das redes corporativas que compõem sua economia. Um negócio chinês é, na maioria dos casos, um negócio do governo chinês. Não existe uma empresa livre na China. O relacionamento da China com instituições globalistas é bem conhecido. Eles são uma das primeiras nações a solicitar abertamente um novo sistema monetário global liderado pelo FMI e com base na cesta SDR. A China também foi recentemente induzida a ser membro da cesta do SDR pelo FMI, mostrando que a metáfora "uma mão lava a outra" é mútua.

É essa a estratégia de elevar a cesta de SDR e substituir o status de reserva mundial do dólar por ser um precursor de uma moeda global que foi gerada repetidamente por globalistas. Recentemente, Mohamad El-Rian, ex-CEO da PIMCO em um artigo intitulado "A Moeda Mundial do FMI pode ajudar a encorajar a Unidade Global?" Tome nota especialmente que El-Erian sugere a mudança para um sistema monetário global como forma de lutar contra o recente "aumento do populismo".


Para que esse plano seja lançado, deve haver alguma estabilidade em algum lugar do mundo. Enquanto muitas nações enfrentam crise financeira em uma escala não vista desde a Grande Depressão, os globalistas ainda precisam ter lugares para consolidar o capital e estabelecer uma cabeça de ponte para o próximo ataque à soberania. Esta cabeça de ponte pode assumir a forma de uma união econômica entre a Alemanha e a China, as duas favoritas da NOM.

A China é o maior parceiro comercial da Alemanha, e a Alemanha foi o primeiro lugar para o investimento chinês na Europa. No mês passado, Merkel e o primeiro-ministro chinês Li Keqiang encontraram-se com a intenção de "aprofundar laços" diante do "protecionismo" promovido por Donald Trump. Merkel afirmou:

China tornou-se um parceiro mais importante e estratégico...

Vivemos em tempos de incerteza global e vemos nossa responsabilidade expandir nossa parceria em todas as diferentes áreas e pressionar por uma ordem mundial baseada na lei ...

O embaixador da Alemanha em Pequim, em um recente encontro com repórteres que levaram ao G20, afirmou:

A dinâmica econômica e política da perspectiva alemã está se movendo em direção ao leste.

Os EUA deixaram um pouco de vácuo na região ao abandonar o acordo de comércio livre da Parceria Transpacífica de 12 países proposto ...

Como discuti desde antes das eleições de 2016, o trabalho de Donald Trump deve ser o catalisador de múltiplos programas globalistas que, de fato, estão em andamento há décadas. Trump agora é a desculpa para tudo. Trump e o populismo são a desculpa para o "multilateralismo" renovado, a desculpa para a cooperação alemã e chinesa, a desculpa para um novo sistema monetário global e, provavelmente, o bode expiatório para o estágio final inevitável do colapso econômico em curso.


Enquanto Trump está representando a antiga ordem mundial e sua "barbárie", a Alemanha e a China, obviamente, estão sendo encenadas como o símbolo de algo novo; uma nova ordem mundial em que a cooperação e a interdependência são as grandes virtudes da nossa época. A minha suspeita é que, juntamente com a Rússia e a China, a Alemanha será uma das primeiras nações a abandonar totalmente o dólar dos EUA como a moeda de reserva mundial quando chegar a hora de mudar para o sistema de cesta SDR. E, esse tempo está se aproximando rapidamente. Também é minha suspeita que os globalistas busquem uma base de poder econômico para projetar sua NOM, e a Alemanha e a China se encaixam perfeitamente no projeto.

Eu sugiro que os analistas alternativos observem a relação entre esses dois países de forma muito próxima. Seus comportamentos podem sinalizar muitas mudanças e perigos à frente.

http://www.anovaordemmundial.com

ALGARVE - Aldeia de Alte vai a votos para ser uma das 7 Maravilhas de Portugal®




No âmbito de uma candidatura promovida pela Câmara Municipal de Loulé, Alte é uma das pré-finalistas do Concurso das 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias, na categoria de “Aldeia Autêntica”.
São 49 aldeias as pré-finalistas deste concurso, divididas em 7 categorias, selecionadas por um painel de especialistas escolhidos pela organização desta iniciativa, formado por 21 elementos de cada uma das 7 regiões e de diversas áreas científicas, que escolheram as 7 aldeias por cada categoria, por ordem de preferência.
A votação decorre durante as 7 Galas Especiais transmitidas pela RTP aos domingos, após o Telejornal das 20h00, a partir de 9 de Julho até agosto. Em cada gala estará uma categoria a votação, sendo a de “Aldeia Autêntica”, em que Alte participa, no dia 6 de agosto, em Podense.
A votação é exclusivamente feita através de chamada telefónica durante as galas (chamada de valor acrescentado), sendo os números de votação disponibilizados sensivelmente 5 minutos depois do início de cada gala. Não há limites de votos em cada aldeia, podendo votar-se através do mesmo número de telefone tantas vezes quantas o utilizador pretender.
A partir de 20 de agosto serão conhecidas todas as 14 aldeias finalistas apuradas, que irão novamente a votação até ao dia 3 de setembro com a Gala Final onde serão eleitas as 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias (apuradas pelo maior número de votos em cada categoria).
Para os responsáveis municipais, pretende-se com esta candidatura de Alte às 7 Maravilhas de Portugal® – Aldeias, promover o património histórico e cultural, a natureza, a gastronomia, as gentes e os costumes, atraindo mais pessoas para o interior do Concelho de Loulé, contribuindo assim para a valorização e dinamização desta que já foi considerada como a “Aldeia mais portuguesa de Portugal” e também do próprio Município de Loulé.



planetalgarve.com

ALGARVE - Exército português patrulha floresta são-brasense


O Exército português iniciou ontem, 12 de julho, ações de patrulhamento e prevenção de fogos florestais na zona serrana de São Brás de Alportel que vão decorrer até 30 de setembro.
Este é o quarto ano que o concelho de São Brás de Alportel conta com as patrulhas do exército que decorrem no âmbito do protocolo de cooperação existente entre o município e o Exército português, e integram o Plano de Ação de Prevenção de Incêndios Florestais do município.
A presença da equipa de militares destacada pelo Exército complementa as ações de prevenção de incêndios constituindo uma ajuda primordial nesta missão prioritária, na defesa da floresta e das populações da zona serrana do concelho.
“Pretende-se essencialmente um patrulhamento de visibilidade e de vigia relacionado com os fogos no sentido de acautelar ou de alertar para alguns comportamentos menos adequados e de prevenção para incêndios possam deflagrar na serra de São Brás”, explicou o Tenente-Coronel Rui Oliveira.
O patrulhamento da equipa do Exército arranca durante o período crítico para o risco de incêndio.
Recorde-se que dois terços do concelho de São Brás de Alportel são constituídos por Serra do Caldeirão, património natural que importa salvaguardar pela sua importância ambiental mas também por ser uma das principais fontes de riqueza económica do município.
“Conseguimos reunir esforços e fazer este serviço de vigilância na nossa serra em contacto direto com as populações. A presença dos militares acaba por ser um elemento importante na vigilância da nossa serra e todo o cuidado é pouco para protegermos a nossa maior riqueza: o nosso território, a vida e os bens das pessoas”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Vitor Guerreiro.
A defesa do território e a segurança da população são encaradas como prioritárias para a Câmara Municipal de São Brás de Alportel que com esta medida pretende garantir uma resposta presencial e eficaz na prevenção dos incêndios florestais.

planetalgarve.com

Oito secretários de Estado tomam posse esta sexta-feira


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acompanhado pelo primeiro-ministro, António Costa, assiste à tomada de Álvaro Novo, o último secretário de Estado a ingressar no Governo, ficando com a pasta do Tesouro. Palácio de Belém, Lisboa, 6 de Fevereiro de 2017

A tomada de posse está marcada para as 19h30, no Palácio de Belém, indica nota oficial da Presidência da República. Aos três secretários de Estado que se demitiram no passado domingo, somam-se novas caras em quatro pastas, para além do titular da nova Secretaria de Estado da Habitação, anunciada pelo primeiro-ministro no debate sobre o Estado da Nação, na quarta-feira.
Para além de Fernando Rocha Andrade (Assuntos Fiscais), João Vasconcelos (Indústria) e Jorge Costa Oliveira (Internacionalização), estão de saída os secretários de Estado Margarida Marques (Assuntos Europeus), João Prata Roque (Presidência do Conselho de Ministros), Carolina Ferra (Administração e Emprego Público) e Amândio Torres (Florestas e Desenvolvimento Regional).

Novas caras no Executivo

Assuntos Europeus

Ana Paula Zacarias ocupava o lugar de embaixadora da União Europeia (UE) na Colômbia, depois de uma passagem pelo Brasil. É diplomata de carreira e foi assessora diplomática de Mário Soares na Presidência. Antes de integrar o Serviço de Acção Externa da UE, esteve na Representação Permanente de Portugal na UE (Reper).

Internacionalização

Eurico Brilhante Dias era, até agora deputado, e foi o relator da comissão parlamentar de inquérito ao Banif. Professor no ISCTE, foi porta-voz do PS com António José Seguro como secretário-geral.

Presidência do Conselho de Ministros

Tiago Antunes é jurista e ocupava o lugar de chefe de gabinete de um deputado do PS no Parlamento Europeu. Dos nomes que tomam posse hoje, é o único que vai depender directamente de Costa, tendo já ocupado lugares em gabinetes de secretários de Estado sob tutela directa de José Sócrates, entre 2005 e 2011.

Assuntos Fiscais

António Mendonça Mendes é adovgado e dirigente regional do PS. Passou por vários gabinetes ministeriais em governos do seu partido e foi director da REFER, entre 2011 e 2013. As alterações nos impostos, designadamente o reforço da progressividade fiscal sobre os rendimentos do trabalho, são uma das expectativas em relação ao próximo Orçamento do Estado.

Administração e Emprego Público

Fátima Fonseca trabalha desde os anos 90 na Câmara Municipal de Lisboa e era, actualmente, directora de Recursos Humanos da autarquia. Tem pela frente a resolução dos problemas que persistem para os trabalhadores da Administração Pública, como sejam o combate à precariedade, o descongelamento das carreiras e dos salários.

Indústria

Ana Teresa Lehmann dirigia a InvestPorto, uma entidade na dependência do presidente da Câmara Municipal do Porto e direccionada para a captação de investimentos para o concelho. Foi eleita, nas listas de Rui Moreira, para a Assembleia Municipal do Porto, em 2013. É professora na Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

Florestas e Desenvolvimento Regional

Miguel Freitas é engenheiro agrónomo, já foi deputado e dirigente do PS, e ocupou diversos cargos relacionados com o sector na Administração Pública e na Reper. Era, até agora, secretário da Comunidade Intermunicipal do Algarve.

Habitação

Ana Pinho dirigia, até ao momento, o Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado, criado pelo actual Governo para apoiar a reabilitação urbana. Foi investigadora no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) e é consultora na área, tendo trabalhado para a Câmara Municipal de Lisboa entre 2010 e 2015.


www.abrilabril.pt


PJ faz buscas na Câmara Municipal de Cascais

Presidente da Câmara de Cascais disse tratar-se de um "ato normal do poder judiciário"

A Polícia Judiciária está a fazer buscas na Câmara Municipal de Cascais. Os inspetores estarão a consultar documentos e computadores de membros da autarquia. O presidente da Câmara de Cascais avaliou a situação como um "ato normal do poder judiciário, como tantos outros".
"Desde que sou presidente de Câmara já recebi dezenas de visitas dos agentes da Polícia Judiciária na sequência de denúncias. Todas elas inconsequentes", indicou Carlos Carreiras numa nota escrita enviada à Lusa.
As investigações, esclareceu, surgem na sequência de uma denúncia sobre o processo de revisão, em 2015, do Plano Diretor Municipal, entretanto já aprovado e publicado em Diário da República.
"Concluídas as diligências de hoje, não houve constituição de arguidos nem imposição de qualquer medida de coação", contou.
Carlos Carreiras adiantou que o assunto é "antigo" e que já valeu ao executivo "algumas idas a tribunal por participações de grupos de interesse mais ou menos explícitos".
"Tivemos sempre ganho de causa. Perante gritante incapacidade política, há quem queira utilizar a Justiça para fazer oposição. Perderam sempre", sublinhou.
O autarca afirma-se "intransigente" perante os grupos de interesse e promete continuar a defender o município.

www.dn.pt

Ao lado de Macron, Trump sinaliza que pode alterar decisão sobre Acordo do Clima



Presidente norte-americano está em Paris, onde em 2015 quase todos os países do mundo assinaram um tratado para combater o aquecimento global. Lista de signatários incluía os EUA, até Trump ter retirado o país do acordo há um mês

O Presidente francês disse ontem que "respeita" a decisão de Donald Trump em retirar os Estados Unidos do Acordo do Clima de Paris, sublinhando contudo que o seu país continua empenhado em combater as alterações climáticas.
"Sobre o clima sabemos quais são as nossas diferenças", disse Emmanuel Macron ao lado de Donald Trump, durante uma visita oficial do Presidente norte-americano à capital francesa, a mesma onde, no final de 2015, 195 países assinaram um histórico acordo para limitar a subida da temperatura do planeta.
Ao lado de Macron, Trump sugeriu logo a seguir que poderá reverter a sua postura quanto às alterações climáticas, sem avançar como nem quando. "Algo pode vir a acontecer no que toca ao Acordo de Paris", disse aos jornalistas. "Vamos ver o que acontece."
No final de maio, depois de uma conturbada cimeira do G7 em Itália, o líder dos EUA decidiu abandonar o Acordo do Clima, dizendo que queria negociar um novo tratado mais "justo" que não represente desvantagens para as empresas norte-americanas. Vários líderes da Europa e do resto do mundo garantem que não estão dispostos a renegociar o acordo.
Após a reunião de ontem, uma semana depois de se terem cruzado na cimeira do G20 em Hamburgo, Macron disse que decidiu pôr a questão das alterações climáticas de lado para que pudessem debater questões em que existe cooperação, entre eles um cessar-fogo na Síria e as trocas bilaterais.
"Temos divergências", reconheceu o Presidente de França, antes de acrescentar: "O sr. Trump tinha promessas que fez aos seus eleitores e eu as minhas — deverá isto impedir o progresso em todos os assuntos? Não."
Com o tema do Ambiente posto de parte, os dois líderes discutiram estratégias conjuntas de combate ao terrorismo, em particular as operações militares contra o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) no Iraque e na Síria.
"Os EUA estão extremamente envolvidos na guerra do Iraque", declarou Macron. "Gostaria de agradecer ao Presidente tudo o que as tropas americanas têm feito naquela área. Concordámos em dar continuidade ao nosso trabalho conjunto, em particular na preparação de um roteiro para o pós-guerra."
Aos jornalistas, Macron também disse que França vai tentar "assumir várias iniciativas robustas" para que haja maior estabilidade e "mais controlo na região".

Gaffe e protestos

Em Paris para uma visita oficial de dois dias, Trump foi recebido na quinta-feira por Macron com uma cerimónia oficial militar, antes de ser conduzido ao túmulo de Napoleão. O dia acabaria por ficar marcado por um comentário do Presidente norte-americano à "ótima forma física" da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, captado pelas câmaras de televisão.
Esta sexta-feira, os dois líderes vão participar lado-a-lado nas celebrações oficiais do Dia da Bastilha; este ano, o 228.º aniversário da Revolução Francesa coincide com o centenário da entrada das forças norte-americanas na I Guerra Mundial.
À BBC, William Jordan, um ex-diplomata americano que trabalhou para o Departamento de Estado, diz que a visita de Trump está a ser vista como uma oportunidade para o Presidente dos EUA "ser levado a sério no mundo", numa altura em que continua a angariar muitas críticas deste lado do Atlântico.
Para Jordan, esta é uma visita em larga medida "simbólica", que hoje deverá gerar alguns protestos contra o líder norte-americano na capital francesa, com manifestantes a organizarem-se no Facebook para criar uma "Zona Sem Trump" na Praça da República.

expresso.sapo.pt

Quanto paga a Altice para ficar com a TVI?


A Altice foi longe no preço oferecido pela Media Capital. A empresa é avaliada em 440 milhões de euros. Tem uma dívida de 100 milhões.
Quanto paga a Altice para ficar com a TVI?

A Altice e a Prisa comunicaram o negócio de compra da Media Capital por um valor da empresa de 440 milhões de euros.
Este valor implica que a Prisa receba pela venda de quase 95% da sua posição na Media Capital um valor superior a 320 milhões de euros, de acordo com o comunicado da Prisa. Além disso, implica a assumpção da dívida da Media Capital que atinge 100 milhões de euros.
"A aquisição avalia a Media Capital com um valor de empresa de 440 milhões de euros", incluindo a dívida e os ajustamentos no fundo de maneio, diz um comunicado da Altice que garante que o impacto desta operação seja imediato ao nível do "free cash flow" da francesa. 
De acordo com as contas trimestrais da Media Capital, o passivo é de 170 milhões. Para um endividamento líquido de quase 100 milhões de euros.
Se considerado todo o valor empresarial implícito na operação, a Altice está a pagar tendo em conta um múltiplo de quase 10 vezes o EBITDA. Em 2016, a Media Capital teve um EBITDA de 41,5 milhões de euros.
Os valores do negócio que estavam a ser falados eram em torno dos 450 milhões de euros, o que os analistas consideravam elevado. 
Além do valor que terá de pagar à Prisa, pelos 94,69% que os espanhóis detêm, a Altice teve de lançar uma OPA obrigatória, na qual se propõe comprar os 5% remanescentes. O que avalia esta compra da posição de minoritários em 11,5 milhões de euros. A maior parte da posição dos minoritários está concentrada no caixa económica galega NCG Banco, que detém 5% dos 5,13% ainda dispersos no mercado.
Tendo em conta os 2,5546 euros oferecidos pela Altice, a Media Capital ficaria avaliada em 215,9 milhões de euros. 
A Prisa já fez saber que deverá ter menos-valias nas contas individuais de 81 milhões de euros e nas consolidadas de 69 milhões.


www.jornaldenegocios.pt

ATACANTES MATAM 11 PESSOAS EM FESTA DE ANIVERSÁRIO NO MÉXICO

Pelo menos 11 pessoas, incluindo dois menores, foram mortas à facada por atacantes que invadiram uma festa de anos infantil no México, informaram as autoridades na quinta-feira.
O procurador do estado de Hidalgo, Javier Ramiro Lara Salinas, disse que as investigações preliminares sugerem que o ataque, numa casa perto de Tizayuca, a norte da Cidade do México, foi "um ajuste de contas".
Entre as vítimas estava um homem que, de acordo com a identificação que tinha consigo, era um polícia da Cidade do México. Lara Salinas disse que o dono da casa tinha cumprido pena por sequestro.
As autoridades receberam uma chamada de emergência durante a madrugada.