domingo, 13 de agosto de 2017

Virgínia: Marcha de ódio da extrema-direita marcada por três mortes


VÍDEO

video

Charlottesville, no Estado da Virgínia, foi este sábado palco de uma marcha da extrema-direita. Após confrontos no protesto que juntou centenas, um carro irrompeu contra a multidão causando  pelo menos uma vítima mortal. De acordo com a Reuters, há ainda 30 feridos.

Nas imagens do vídeo acima é possível ver um carro de cor escura a embater na parte traseira de um outro veículo e que faz depois uma manobra em sentido inverso, contra as pessoas. Vários meios de comunicação dão conta da detenção do condutor do carro em causa, sem revelar, no entanto, pormenores da sua identidade. 

Este incidente ocorreu cerca de duas horas após os confrontos violentos que envolveram hoje apoiantes de um protesto nacionalista, organizado no centro daquela cidade do Estado da Virgínia, e pessoas que contestavam essa mesma manifestação. 

O blogger de direita Jason Kessler planeou aquilo a que chamou "marcha pró-branca" para contestar a decisão de Charlottesville de remover a estátua do general Robert E. Lee de um parque no centro da cidade. O governador da Virginia declarou o estado de emergência em resposta a este protesto e, através da sua conta na rede social Twitter, disse que tomou tal decisão para "ajudar o Estado a responder à violência" na marcha de Charlottesville, a cerca de 160 quilómetros de Washington. Os confrontos vinham já de sexta-feira, quando centenas de brancos nacionalistas marcharam no campus da Universidade da Virginia com tochas.

Donald Trump reagiu à tensão vivida em Charlottesville, condenando no Twitter os atos que representem ódio. "Vamos manter-nos unidos", disse. Apesar disso, não se livrou das críticas de Michael Signer. O governador da cidade responsabilizou Trump pelo incendiar das tensões raciais, especialmente por culpa da campanha eleitoral do ano passado. "Culpo muito a Casa Branca e as pessoas em redor do Presidente pelo que se está hoje a passar na América", afirmou o político de acordo com o jornal Independent. 

Ao final da noite, hora de Portugal, um helicóptero despenhou-se perto da zona que foi hoje palco da manifestação. Do acidente com o helicóptero resultaram dois mortos, segundo o New York Post, citando fontes oficiais que relacionaram o acidente com os confrontos vividos na cidade. Desconhece-se, no entanto, as circunstâncias em que este desastre se deu.



www.noticiasaominuto.com

1 comentário:

  1. O grande legado de Donald Trump foi/é as reacções aos seus discursos:
    - passou a ser mais facilmente visível que OS JORNALISTAS DO SISTEMA SÃO GENTE QUE NÃO PRESTA - são uns nazis armados em humanitários.
    .
    Um exemplo: A alta finança, capital global, está apostada em terraplanar as Identidades, dividir/dissolver as Nações para reinar... como Donald Trump andou a falar em fronteiras (logo, subentende-se, é possível uma Identidade defender-se/sobreviver)... os jornalistas mercenários chegaram ao ponto de andar por aí a evocar a imigração para a América... quer dizer, ao mesmo tempo que os jornalistas mercenários andam por aí a acusar povos de deixarem 'pegada ecológica' no planeta, em simultâneo, eles revelam um COMPLETO DESPREZO pelo holocausto massivo cometido sobre povos nativos na América do Norte, na América do Sul, na Austrália, que (apesar de serem economicamente pouco rentáveis) tiveram o «desplante» de quererem ter o SEU espaço no planeta, de querem sobreviver pacatamente no planeta, e de quererem prosperar ao seu ritmo.
    -» Tal como a alta finança, capital global, os jornalistas do sistemas SÃO NAZIS: eles são intolerantes para com os povos autóctones - economicamente pouco rentáveis - que procuram sobreviver pacatamente no planeta.
    [nota: nazi não é ser alto e louro, blá, blá, blá... mas sim, a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros]
    .
    [não há pachorra para os jornalistas mercenários: apenas separatismo]
    .
    .
    .
    P.S.
    DEMOGRAFIA E SEPARATISMO-50-50: Todos Diferentes, Todos Iguais... ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
    -» Os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
    ---» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
    .
    .
    P.S.2.
    É necessário um activismo global
    -» Imagine-se manifestações (pró-Direito à Sobrevivência) na Europa, na América do Norte (Índios nativos), na América do Sul (Índios da Amazónia), na Ásia (Tibetanos), na Austrália (Aborígenes), ETC... manifestações essas envolvendo, lado a lado, participantes dos diversos continentes do planeta (indivíduos autóctones interessados na sobrevivência da sua Identidade) ... tais manifestações teriam um impacto global muito forte.

    ResponderEliminar