domingo, 13 de agosto de 2017

NAÇÃO FASCISTA


Hordas de fascistas estadunidenses brancos atacaram uma estátua de Thomas Jefferson, um dos pais da nação americana. A poucos quilómetros de Washington (Charlottesville), perante a passividade policial, poucas dezenas de defensores da estátua e do que ela representa na construção jurídica do país, foram impotentes perante a avalancha da KKK e seus apaniguados selvagens.
Ulos guturais que reivindicavam a sua existência nazi perante as câmaras televisivas, tiveram plena liberdade de dar mais um passo (e outro e outro…) em prol da barbárie em setencil da programação dos anos 30 de ascenso hitleriano. Tudo em prol da consolidação da mui “democrática” sociedade demencial norte-americana.
Uma das palavras de ordem repetida à náusea, é que Martin Luther King teria sido o grande desagredador da harmoniosa sociedade de então, dividida entre brancos e pretos e a sã consciência que todos tinham de qual era o seu lugar hierárquico na sociedade esclavagista.
Nem uma só palavrinha as “presstitutes” nacionais Judite de Sousa, Alberta M. Fernandes ou Ana Lourenço ousaram dar sobre o tema desta informação quentinha. Da mesma forma, o pilante da Cia Rodrigues dos Santos ou o jornalista mais estúpido de Portugal, José Alberto Carvalho guincharam sobre semelhante assunto.
Não se passa nada…


Sem comentários:

Enviar um comentário