NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

quarta-feira, 26 de julho de 2017

VÍDEOS - NOVO CANHÃO ELECTROMAGNÉTICO DA MARINHA DOS USA

A marinha americana segue ajustando seu canhão de guia eletromagnético, a arma naval que muito provavelmente substituirá os canhões convencionais dentro de alguns anos. Agora é capaz de disparar salvas de até 10 projéteis por minuto com um alcance de 185 quilômetros. O canhão de guia é um invento antigo. Seu desenho original remonta a 1918 e é obra do inventor Louis Octave Fauchon-Villeplee. Teve que esperar quase um século para que a tecnologia por trás deste conceito fosse realizável.

Novo canhão eletromagnético da marinha americana dispara até 10 projéteis por minuto a 8.000 km/h
A principal vantagem do canhão de guia é que não utiliza explosivos nem materiais combustíveis para conseguir a ignição que dispara os projéteis. É um canhão elétrico. Todo seu impulso se origina em uma série de eletroimãs montados ao longo de todo o comprimento do canhão.

Esses imãs são tão potentes que os projéteis saem do canhão a velocidade hipersônica. A munição nem sequer precisa ser explosiva. Com velocidades de ponta de até mach-6, o impacto de uma destas balas destroça qualquer coisa que interfira em seu caminho em um rádio de até 185 quilômetros.

VÍDEO

A arma acaba de sofrer duas modificações importantes. A primeira é um novo sistema de carga que pode ser apreciado no vídeo sobre estas linhas. O sistema transforma o canhão em uma arma automática capaz de disparar e recarregar até 10 vezes por minuto.

A segunda modificação tem a ver com a durabilidade do canhão. A potência com a que saem os projeteis equivale a 23.000 vezes a de uma bala do calibre 22 e tem o dobro os canhões navais convencionais. As forças que desatam nesse disparo são tão brutais que os primeiros protótipos ficavam destroçados depois de algumas dezenas de disparos. Depois das últimas melhoras, a arma é mais resistente, mas ainda não está preparada para subir a bordo de um navio de guerra. O objetivo dos engenheiros da marinha é conseguir que aguente ao menos mil disparos sem ter que passar a revisão.

VÍDEO

Outro dos grandes problemas do canhão de guia é que nem todos os barcos têm a potência necessária para alimentar o consumo energético de semelhante arma. Atualmente, só os destroyers da classe Zumwalt têm os geradores necessários para alimentá-lo, e só foram construídos 3 dos 32 que haviam planejado.

VÍDEO
www.mdig.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário