AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 1 de julho de 2017

REUMÁTICO MENTAL


Os generais de banana do exército português, entre uma sesta e um lauto almoço em sala luxuosa, certamente embebido em líquidos desequilibrantes, vieram justificar (estas hilariantes criaturas galonadas), com a sua costumada ineficácia linguística, que o ROUBO ocorrido no coração da segurança nacional, são atoardas contra os moinhos de vento, explicados nos parangonais “procedimentos concursais”, nas “rondas móveis” e, ainda, no famigerado “perímetro de segurança”.
Uma linguagem obtusa, criptada e insossa.
O argumento usado a eito das “rondas móveis”, fazem-me perguntar, com alguma graciosidade, o que serão, então, as rondas fixas? Já não lhes basta um pano encharcado nas trombas douradas, pela sua incompetência tradicional, ainda urge modificar o estado de conflito impróprio com a língua nacional de tão destacadas personagens saídas do imaginário literário do grande Eça.

Sem comentários:

Enviar um comentário