NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

sábado, 22 de julho de 2017

QUEM SAI AOS SEUS NÃO DEGENERA - Marcelo elogia a maioria absoluta (no caso, a de Cavaco)


Nuno Ferreira Santos

Numa nota publicada na quarta-feira è noite, o PR deixou um elogio à primeira maioria absoluta da democracia. "Tratou-se - e trata-se - de um feito notável, que atesta a confiança dos Portugueses e o seu apoio a uma determinada solução político-governativa".
Foi com uma nota diferente, no site oficial da Presidência da República, que Marcelo Rebelo de Sousa quis assinalar "o 30º aniversário da primeira maioria absoluta monopartidária da democracia portuguesa". A mensagem surge em pleno fecho de sessão legislativa, e com o Governo em dificuldades para fazer aprovar a reforma da floresta face às divergências entre PCP e Bloco. E em termos sintomáticos: 
"Há precisamente trinta anos, nas eleições realizadas no dia 19 de Julho de 1987, um partido político obteve a primeira maioria absoluta monopartidária da democracia portuguesa. No quadro do nosso sistema eleitoral, tratou-se - e trata-se - de um feito notável, que atesta a confiança dos Portugueses e o seu apoio a uma determinada solução político-governativa", vincou Marcelo Rebelo de Sousa.
Depois, vem o elogio ao autor da proeza (que só foi repetida por outro primeiro-ministro, o socialista José Sócrates): "Para essa vitória, foram decisivos o carisma e a determinação do então líder do partido vencedor, o Professor Aníbal Cavaco Silva, que serviu Portugal como Primeiro-Ministro e como Presidente da República. Nesta ocasião, permito-me saudar, de forma muito especial e calorosa, o Professor Aníbal Cavaco Silva e o partido que então liderava, o Partido Social Democrata, força partidária fundamental do nosso sistema político e do nosso regime democrático."

www.publico.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário