AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 15 de julho de 2017

O PEIXE VOADOR



O peixe-voador, mais conhecido no Brasil como cascudo-voador ou coió, tem aletas que lhe possibilitam dar grandes saltos e planar em alturas de até 6 metros por distâncias que superam os 100 metros (ou mais se o vento estiver a seu favor). O resultado do estudo de um exemplar analisado em um túnel de vento demonstrou que suas barbatanas conseguiam uma melhor elevação e uma menor resistência que as asas de muitos insetos. Seu rendimento nos testes de aerodinâmica foi tão bom quanto o de muitas aves, mas ele não voa, senão que plana com a ajuda do adejo de suas barbatanas.

Em um extrato do programa "The Hunt" Sir David Attenborough fala da vida de incessante perseguição a toda velocidade de um peixe-voador. O pobre peixe evoluiu suas barbatanas para conseguir escapar do veloz dourado cabeçudo (Coryphaena hippurus), seu principal predador nas águas, graças a suas habilidades voadoras, mas então enfrenta outro grande problema: as fragatas e andorinhões. Tal como Attenborough diz no vídeo - "Estão presos entre o diabo e o profundo mar azul".
VÍDEO
www.mdig.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário