NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Deputada palestiniana Khalida Jarrar detida por Israel




De acordo com o grupo de defesa dos direitos dos prisioneiros Addameer, existem cerca de 6 200 palestinianos em prisões israelitas a contar de maio deste ano, incluindo 56 mulheres.
Khalida Jarrar. Fonte: addameer.org
Khalida Jarrar
Forças israelitas detiveram Khalida Jarrar, uma deputada do Conselho Legislativo Palestiniano, durante a madrugada de domingo numa série de raides realizados em todo o território Palestiniano. 
O número de deputados palestinianos detidos em prisões israelitas neste momento eleva-se para 13. 
Pelo menos 11 outros palestinianos foram detidos durante os raides, incluindo a porta-voz da União dos Comités de Mulheres Palestinianas. 
Khalida Jarrar é deputada eleita pela facção de esquerda da Frente Popular pela Libertação da Palestina (PFLP), que elegeu 3 deputados nas eleições de 2006. 
Esta não é a primeira vez que Jarrar é detida. Em abril de 2015, foi pela primeira vez colocada na prisão com um sentença de cinco anos, tendo sido libertada em junho de 2016 com pena suspensa de 12 meses. 
Inicialmente, foi-lhe aplicada uma sentença administrativa - sem acusação ou julgamento - de seis meses, e depois apresentaram acusações relacionadas com o ativismo político de Jarrar dado que Israel considera o PFLP uma organização terrorista. 
Jarrar acusou Israel de condenações militares criadas para a manter na prisão o maior tempo possível, acusando os tribunais militares israelitas de serem “uma farsa, é como estar num grande teatro”. Não reconhece, por isso, legitimidade ao tribunal, declarando que as suas atividades são legais e fazem parte do seu trabalho normal como deputada parlamentar. 
De acordo com o grupo de defesa dos direitos dos prisioneiros Addameer, existem cerca de 6 200 palestinianos em prisões israelitas a contar de maio deste ano, incluindo 56 mulheres.
Termos relacionados Internacional
www.esquerda.net

Sem comentários:

Enviar um comentário