AVISO

OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá, obviamente, da minha aprovação que depende da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente, com a excepção dos que o sistema considere como SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam a apologia do racismo, xenofobia, homofobia ou do fascismo/nazismo.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Caos nos aeroportos de Lisboa e Madeira com hotéis a tentar alojar passageiros na Região




Os aeroportos da Madeira e de Lisboa estão caóticos, dadas as largas centenas de pessoas em espera, muito por culpa da força do vento que se abate desde ontem sobre a Região. A situação é ainda mais alarmante por não haver salvaguarda no alojamento a todos os passageiros.
Quem viaja como independente “não tem direito a hotel, algo que acontece a quem não opte por planear a sua viagem junto de um operador turístico”, disse Sérgio Costa, director geral do grupo hoteleiro Four Views, que tem alojado várias pessoas nas últimas horas, numa questão que “não tem a ver com caridade”, uma realidade com que muitos dos que querem levantar voo ou estão para aterrar têm de encarar.
Os passageiros são normalmente abrangidos por seguros que a maioria das companhias e agentes de viagens já têm incluídos, de maneira a salvaguardar este tipo de situações, estando agora a Direcção Regional de Turismo, na pessoa de Kátia Carvalho, a contactar as várias unidades hoteleiras da Madeira, a fim de assegurar o alojamento aos visados pelo cancelamento de voos.
“Na maior parte das situações há um seguro que salvaguarda este tipo de situações, salvo algumas excepções como é o caso de passageiros que viajam na easyjet ou Transavia, ou seja, quando viaja como independente o cenário muda”, afirmou Sérgio Costa.
“Quando o aeroporto fica condicionado os operadores pedem-nos alojamento, mas é sempre mediante pagamento”, disse o responsável pelas unidades hoteleiras, que tem a lotação “praticamente esgotada” nos três Four Views.
De ontem para hoje ficaram cerca de 80 pessoas no Four Views Baía, dado que o Oásis, hotel mais próximo do aeroporto, não tinha disponibilidade. “Não é por menos 20 quartos por dia que nos vai afectar. Acho que todos nós se pudermos ajudar nestas situações que são desagradáveis, nós estamos disponíveis para dar a mão”.
Entretanto, as operações aéreas no Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo parecem estar a regularizar-se neste momento.

www.dnoticias.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário