AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Restaurantes faturaram mais de três mil milhões em 2016



O segmento da comida rápida foi o que mais cresceu devido aos seus preços competitivos e às mudanças de hábitos alimentares da população.


O volume de negócios dos restaurantes ascendeu a 3730 milhões de euros, em 2016, o que correspondeu a um aumento de 2,2% face ao ano anterior. Esta é uma das conclusões do barómetro Informa D&B.
 .






























O segmento da comida rápida foi o que mais cresceu devido aos seus preços competitivos e às mudanças de hábitos alimentares da população. Em 2016 as vendas de este tipo de estabelecimentos registaram um crescimento de 7,6%, para 780 milhões de euros.

Tendo em conta que, as previsões a curto prazo para a economia portuguesa apontam para a continuação do crescimento do consumo privado, estudo diz que o mercado da restauração deverá atingir em 2017 um valor próximo dos 3800 milhões de euros (+1,9%), sendo expectável um aumento semelhante em 2018.

Segundo o estudo, a oferta do setor apresenta um grau de fragmentação elevado, predominando os operadores independentes e de pequena dimensão. “Contudo, aprecia-se uma tendência de concentração empresarial, impulsionada pelo avanço das principais cadeias de restaurantes, tanto de comida rápida como de restauração informal, as quais têm aumentado o seu peso no mercado nos últimos anos”, salienta.

Em 2015 operavam neste setor 28 610 empresas, aproximadamente menos 3000 do que as existentes em 2008. Estas empresas foram responsáveis por cerca de 114 000 postos de trabalho em 2014, com uma média de quatro trabalhadores por empresa.

Os cinco maiores operadores do setor por volume de negócios detinham em 2016 uma quota de mercado conjunta de 11%, enquanto a dos dez maiores rondava os 15%.

* Portugal deve ser o país europeu onde se come melhor, mais variado e barato. 




apeidaumregalodonarizagentetrata.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário