AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 18 de junho de 2017

Líder trabalhista diz que desalojados do incêndio de Londres deveriam ir viver para casas vazias dos ricos

Polícia britânica admite que tenham morrido 58 pessoas na torre Grenfell



O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, visitou esta quinta-feira as vítimas do incêndio na torre Grenfell, reunidas na igreja de São Clemente
Getty

Proposta foi avançada esta sexta-feira por Jeremy Corbyn, que defende a “posse administrativa” das casas devolutas de pessoas ricas no bairro de Kensington

O líder do Partido Trabalhista defende que as famílias que perderam as suas casas no incêndio da torre Grenfell, em Londres, na madrugada de quarta-feira, deveriam ser realojadas nas propriedades devolutas de pessoas ricas no bairro de Kensington.
Numa altura em que o atual Governo do Partido Conservador já prometeu realojar estas famílias naquela zona da capital britânica, Jeremy Corbyn defendeu esta manhã que a “posse administrativa” destas propriedades seria a melhor forma de cumprir essa promessa.
“A zona [norte] afetada pelo incêndio, é, penso eu, a mais pobre do bairro [de Kensington] e deveria ser tomada posse administrativa das propriedades [da zona sul] – se necessário – para garantir o realojamento dessas pessoas nessa zona”, disse o líder do Partido Trabalhista.
“Não é aceitável que existam em Londres moradias e apartamentos de luxo devolutos quando temos famílias desalojadas e pobres a precisarem de uma casa para viver. Temos de resolver este problema”, acrescentou Corbyn.
O incêndio consumiu a torre Grenfell, um edifício com 24 andares e 120 apartamentos localizado em North Kensington, onde viviam entre 400 e 600 pessoas. O número confirmado de mortos é de 17, mas as autoridades britânicas assumem que seja muito superior. Esta manhã, o tabloide “The Sun¨ contabiliza ainda um total de 65 pessoas desaparecidas, admitindo-se que muitas delas tenham sido carbonizadas pelas chamas.


expresso.sapo.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário