NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

terça-feira, 20 de junho de 2017

GENTE CRUEL NA HISTÓRIA DO NOSSO MUNDO


A humanidade está repleta de histórias sobre pessoas más que realizam atos diabólicos. A maldade é tão imensa que poderia ser criado diversas listas como essa. Nenhum dos piores assassinos em série da nossa época conseguiu alcançar esse nível de atrocidade. Confira  a lista:

7 – Imperatriz Wu

47

Wu Zetian foi imperatriz da China de outubro de 690 a fevereiro de 705. Ela foi a única imperadora na história de seu país. Assassina, cruel, sádica e sexualmente depravada. Sua forma de governar levou seu povo ao caos. Ordenava torturas, execuções e suicídios forçados cotidianamente e tinha o costume de exilar ou executar seus rivais, incluindo a ex-imperatriz Wang.
Membros da sua família também foram executados ou exilados, até mesmo seus sobrinhos e filhos, tendo sido um deles obrigado a cometer suicídio. Ela matou sua própria filha recém-nascida. Muitos cidadãos foram envenenados, estrangulados, mutilados e queimados vivos. Outros tiveram narizes, orelhas, pés e pernas cortados. Ela morreu aos 81 anos, em dezembro de 705.

6 – Qin Shi Huang

46
Qin Shi Huang foi o primeiro imperador da China, tendo governado entre 221 aC e 210 aC. Ele era paranoico, violento, cruel e sádico, o que o levou a massacrar seu povo. Em seu primeiro ano de poder, mais de 120 famílias foram obrigadas a se deslocar de suas casas. Ele mandou queimar quase todos os livros e textos que circulavam na China e executou centenas de estudiosos.
Desenvolveu a agricultura por meio do aumento dos impostos. Em determinado momento, um milhão de homens foram colocados em trabalhos forçados para construir 4.700 quilômetros de estradas. Criou muros e outras edificações que abriram caminho para a construção da Grande Muralha da China, porém centenas de milhares de trabalhadores morreram de fome ou assassinados.
Qin era obcecado por se tornar imortal. Por não descobrirem como isso era possível, 480 cientistas e estudiosos foram enterrados vivos. Ele tinha medo de ser atacado mesmo após sua morte, por isso ordenou que um mausoléu de 4,8 quilômetros de largura fosse construído. Mais de 700 mil pessoas trabalharam nessa construção, mas muitos morreram durante o processo. Acredita-se que ele tenha matado mais de um milhão de pessoas. Qin morreu em setembro de 210 aC.

5 – Godofredo de Bouillon

45

Godofredo de Bouillon era um cavaleiro francês, líder da Primeira Cruzada, uma expedição cristã ocidental que lutava para recuperar a Terra Santa. Durante o conflito, dezenas de milhares de pessoas foram mortas. Godofredo estava determinado a vingar o sangue de Jesus derramado pelos judeus. Em 1099, ele e seu exército chegaram a Jerusalém.
Locais sagrados foram destruídos. Soldados, cidadãos, judeus e mulçumanos foram mortos. As vítimas foram queimadas ou tiveram seus estômagos dilacerados. Os judeus sobreviventes fugiram para uma sinagoga, que depois Godofredo incendiou. Ele ordenou a seus homens que caçassem e matassem todos os sobreviventes que deixaram a cidade.
É possível que 70 mil muçulmanos tenham sido mortos. Ele morreu de peste em julho de 1100, com seu objetivo alcançado.

4 – Herodes

44
O Grande Herodes foi o rei da Judeia de 37 aC até 4 aC. Era um homem sem coração, maligno, paranoico e sanguinário, que cometeu atrocidades inimagináveis. Ele ficou conhecido por querer matar Jesus e por cometer o Massacre dos Inocentes. Segundo a Bíblia, Herodes mandou matar todos os bebês do sexo masculino com até dois anos em Belém.
Há estimativas de que entre 10 mil e 150 mil crianças tenham sido assassinadas, mas estes dados são confusos. Porém, como Belém era apenas uma aldeia, historiadores acreditam que só alguns garotos tenham sido mortos, o que não minimiza a crueldade dos atos de Herodes. Ele ordenou a morte de milhares de pessoas, incluindo o sumo sacerdote, rivais, sogra, cunhado, tio, esposa e três filhos, além de qualquer pessoa que representasse uma ameaça.
A maioria de suas vítimas era inocente, pois ele mataria qualquer pessoa para continuar no poder. Um pouco antes da sua morte, ordenou que os homens mais importantes de Judéia fossem executados para que seu funeral fosse marcado por uma manifestação nacional de luto. Felizmente, essa ordem foi ignorada. Ele faleceu em 4 aC por causas naturais. Seus filhos também se tornaram vilões da Bíblia: Herodes Antipas matou João Batista e foi envolvido no assassinato de Jesus. Já Tiago, filho de Zebedeu, foi decapitado por Herodes Agripa.

 3 – Calígula

43

Ele foi o 3º imperador de Roma, estando no poder entre os anos 37 e 41. Era selvagem, sádico, extravagante, com propensão para aventuras sexuais. Nos primeiros três meses de seu reinado de terror, mais de 160 mil animais foram sacrificados em sua honra. Mais tarde, teve uma febre cerebral que o deixou mentalmente doente.
Ele passou a acreditar que era um Deus. Sob às ordens de Calígula, a lei se tornou um instrumento de tortura. Ele acreditava que os prisioneiros deviam ter uma morte dolorosa, por isso começou a assassinar brutalmente para se divertir. Matava seus oponentes de forma lenta e dolorosa ao longo de horas ou dias. Decapitou e estrangulou crianças. As pessoas eram espancadas com pesadas correntes. Forçou as famílias a participarem da execução de seus filhos.
Serrar pessoas era sua atividade favorita. Ele gostava de mastigar os testículos das vítimas. Matou alguns de seus amigos mais importantes e seu sogro. Em determinada ocasião, Calígula afirmou: “Eu gostaria que Roma tivesse um pescoço para que eu pudesse cortar sua cabeça com um só golpe”. Ele foi assassinado em 41 por Cassius Chaerea, um homem rotineiramente zombado pelo tirano.

2 – Átila

42
O huno Átila governou os hunos entre 434 e 453. Era o líder do Império Huno, que se estendia desde o Rio Ural até a Alemanha e do Mar Báltico ao Danúbio. Era um bárbaro sanguinário, cruel e impiedoso, amante de batalhas. Queria destruir o império romano e todos que entrassem em seu caminho. Matava os cidadãos de Roma que imploravam por misericórdia.
Mostrava-se como uma grande ameaça, tanto para o povo teutônico, quanto para os romanos. Era tão destruidor que as pessoas acreditavam que eram castigadas pelos céus. Seu apelido era Átila, o Flagelo de Deus. Ele estava disposto a torturar e destruir seus inimigos, seu próprio povo e toda a população das cidades. Morreu em 453.

1 – Ghensis Khan

41

Ele foi Khan do Império Mongol entre 1206 e 1227. Nesse tempo, conquistou a maior parte da China através do Mar Cáspio. Era cruel, vingativo e sanguinário. Seu exército destruiu inúmeras cidades, matando soldados, civis e crianças. Pessoas foram mortas com metal fundido e prata derramados nos olhos e ouvidos. Em um único massacre, 700 mil pessoas foram mortas.
Em outro momento, os pobres foram decapitados e os ricos torturados, para entregarem seus tesouros. As mulheres eram estupradas na frente de suas famílias. Centenas de milhares de pessoas tiveram suas vidas arruinadas. Costumava dizer que, se no exército de homens não tivesse água, iriam cortar uma veia de cavalo e beber seu sangue.
Genghis Khan disse uma vez: “A maior felicidade é dar fim a um inimigo, ver as suas cidades reduzidas a cinzas e aqueles que o amam envoltos em lágrimas”. Genghis Khan morreu de causas naturais em 1227.

www.fatosdesconhecidos.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário