NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

segunda-feira, 19 de junho de 2017

19 de Junho de 1867: O Imperador do México, Maximiliano, é capturado e executado


O imperador do México, Maximiliano, irmão do imperador da Áustria-Hungria, Francisco José I foi fuzilado no dia 19 de Junho de 1867 em Querétaro (México), com dois dos seus generais, pelos partidários do presidente Juárez. Maximiliano tinha aceite em 1864, a coroa imperial do México que lhe havia oferecido Napoleão III. Contudo, Maximiliano não conseguiu impor a sua autoridade visto que os mexicanos continuaram fieis a Juárez. 

Em 1861, o liberal mexicano Benito Juárez tornou-se presidente de um país arruinado financeiramente, obrigando-o a deixar de cumprir os seus compromissos de pagamento da dívida aos governos europeus. Em resposta a França, a Grã-Bretanha e a Espanha enviaram as suas forças navais a Vera Cruz a fim de exigir o pagamento. A Grã-Bretanha e a Espanha negociaram com o México e retiraram as suas tropas navais, mas a França, governada por Napoleão III, decidiu valer-se da oportunidade para estabelecer um império em território mexicano. Posteriormente em 1861, uma frota francesa bem armada tomou de assalto Vera Cruz, desembarcando um amplo contingente, obrigando o presidente Juárez e o seu governo à retirada.

Certos de que uma vitória francesa no México viria facilmente e com rapidez, 6 mil combatentes franceses comandados pelo general Charles Latrille de Lorencez desencadearam um ataque a Puebla de Los Angeles, uma pequena cidade no centro-oriente do México. Do seu novo quartel general no norte do país, Juárez reuniu uma força mal treinada, enviando-a a Puebla. Comandados pelo general Ignacio Zaragoza, os 2 mil mexicanos fortificaram a cidade, preparando-se para o assalto francês. Em 5 de Maio de 1862, Lorencez lançou o seu exército, bem-provisionado e apoiado por pesada artilharia, diante da cidade de Puebla, começando o assalto a partir do norte. A batalha durou do raiar do dia até ao final da tarde e quando os franceses finalmente bateram em retirada deixaram perto de 500 baixas contra menos de 100 mortos entre os mexicanos. 

Embora não tenha sido a maior vitória estratégica da guerra  contra a França, a vitória de Zaragoza em Puebla representou uma grande vitória moral para o governo mexicano e simbolizou a capacidade do país de defender a sua soberania contra as ameaças de uma poderosa nação estrangeira. Hoje, os mexicanos celebram o aniversário da Batalha de Puebla como o Cinco de Maio, feriado nacional no país. 

Em nome da Doutrina Monroe (a América para os americanos), Washington exigira em 12 de Fevereiro de 1866, que o imperador francês retirasse as suas tropas do México. Napoleão III recusou e pediu a Maximiliano, imperador do México desde 1864, para implantar um exército nacional.


A expedição francesa ao México começou em 1862 quando o imperador gaulês, decidiu criar um império católico para contrabalançar o poder dos Estados Unidos, maioritariamente protestantes. Colocou na chefia do governo do México o irmão do imperador da Áustria, Maximiliano. Todavia, diante da pressão norte-americana e das guerrilhas mexicanas, Napoleão III retiraria as suas tropas deixando Maximiliano só, diante dos insurgentes mexicanos. Abandonado no México, o imperador Maximiliano foi capturado pelas forças de Juárez e em 19 de Junho de 1867, executado. 

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)

O Imperador Maximiliano
O Imperador Maximiliano - Franz Xaver Winterhalter
A execução do Imperador Maximiliano - Édouard Manet

Sem comentários:

Enviar um comentário