AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 29 de maio de 2017

MATUTANDO


PARA ME INSPIRAR NOS MEUS TEXTOS E COMENTÁRIOS E PARA ME INFORMAR COSTUMO DAR UMA VOLTA PELO UNIVERSO BLOGUER E DEPOIS PELAS PUBLICAÇÕES DO FACEBOOK JÁ QUE O JORNALIXO DOS PASQUINS ME DEPRIME.
HOJE NÃO ME ESCORRE NADA !

A princípio ainda matutei se seria a "culpa" do glorioso já que terminou a época em cheio mas não ! A culpa é mesmo dos que têm a obrigação de informar que ocultam não divulgam o que tem interesse no que cultiva, e não sabem informar com independência e sem dualidades.

A INFORMAÇÃO QUE SE ENCONTRA NO ESTRANGEIRO É MAIS COMPLETA APESAR DA "DOENÇA" QUE ATACOU OS MEDIA EM TODO O PLANETA TODA A GENTE QUE ANDA POR AQUI NA NET SABE QUE EM PORTUGAL SOMOS UMA VERGONHA.

O QUE NÃO SE PLAGIA, INVENTA-SE E O QUE NÃO SE INVENTA DETURPA-SE E NO RESTO MENTE-SE.

Que me perdoem os jornalistas sérios, os que têm gosto na profissão e fazem dela uma profissão que outrora foi digna e prestava um bom serviço aos leitores, aos espectadores das TVÊS.

Para terminar neste excerto lembro que:A ética jornalística é o conjunto de normas e procedimentos éticos que regem a actividade do jornalismo. Ela refere-se à conduta desejável esperada do profissional. Portanto, não deve ser confundida com a deontologia jornalística ligada à deôntica.

A deontologia refere-se a uma série de obrigações e deveres que regem a profissão. Embora geralmente não institucionalizadas pelo Estado, as normas da ética jornalística são consolidadas em códigos de ética que variam de acordo com cada país.

Actualmente, o jornalismo oscila entre a imagem romântica de árbitro social e porta-voz da opinião pública e a de empresa comercial sem escrúpulos que recorre a qualquer meio para chamar a atenção e multiplicar suas vendas, sobretudo com a intromissão em vidas privadas e a dimensão exagerada concedida a notícias escandalosas e policiais.

Jornalismo é também definido como "a técnica de transmissão de informações a um público cujos componentes não são antecipadamente conhecidos". Este particular diferencia o jornalismo das demais formas de comunicação. Actualmente, o termo "jornalismo" faz referência a todas as formas de comunicação pública de notícias e seus comentários e interpretações.
O tipo de jornalismo de ética duvidosa ou contestável é chamado de imprensa marrom, sensacionalista, pimba,


António Garrochinho

Sem comentários:

Enviar um comentário