NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Foi condenado por homicídio mas provou estar inocente 24 anos depois



Shaurn Thomas depois de ser libertado da prisão 





Um norte-americano de 43 anos foi libertado da prisão, 24 anos depois de ter sido detido para cumprir pena por homicídio.

Shaurn Thomas estava acusado de ter assassinado um empresário em 1990, mas sempre alegou estar inocente. Thomas tinha então 16 anos e, na altura do crime, estava num centro de estudos nas imediações; uma testemunha, que garantia tê-lo visto no local do homicídio, retirou depois o depoimento, mas o jovem foi condenado a prisão perpétua em 1993. A vítima do crime estava a depositar 25 mil dólares, cerca de 22 mil euros, quando foi atacada.

Foram os esforços de James Figorski, um antigo agente da polícia que se formou em advocacia, que permitiram que Thomas ficasse agora em liberdade: ao longo de três anos, Figorski trabalhou com Thomas no âmbito do Pennsylvania Innocence Project, projeto que visa provar a inocência de pessoas condenadas erradamente.



Segundo a CBS News, Thomas foi libertado na noite da passada terça-feira e já conseguiu usar um telemóvel pela primeira vez. À estação de televisão, Marissa Bluestine, do Pennsylvania Innocence Project, disse que o processo que envolve Thomas nunca deveria ter chegado à barra dos tribunais.

Stephonia Long, a noiva de Thomas, disse à CBS que todos estão "muito, muito felizes". "Ele sempre foi muito positivo porque acreditava na sua inocência", explicou.



www.dn.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário