AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 6 de maio de 2017

Dezenas de milhares de pessoas participaram em Varsóvia numa marcha em “defesa da liberdade” que estaria ameaçada pelo Governo conservador dos nacionalistas de Jaroslaw Kaczynski.


A chamada Marcha pela Liberdade foi organizada pelo partido de centro-direita Plataforma Cívica (PO, sigla em língua polaca).
O líder da PO, Grzegorz Schetyna, apelou a “uma Polónia democrática, pro-europeia, de amigos e parceiros e não com inimigos.”
Representantes de outros partidos políticos marcaram também presença na manifestação.
PO superou, segundo uma sondagem do final do mês de abril, os conservadores do Lei e Justiça nas intenções de voto, com 31% das intenções contra 29%. É a primeira vez que o partido Lei e Justiça não figura no primeiro lugar das intenções de voto desde as eleições de 2015.
Segundo a câmara municipal de Varsóvia, governada pela PO, cerca de 70 mil pessoas participaram na Marcha pela Liberdade. Segundo a polícia, apenas 9 mil.
A manifestação é uma reação a um conjunto de leis do Governo tendo em vista o Tribunal Constitucional, o sistema de justiça polaco, a educação e outras instituições democráticas.
As reformas impostas pelo Governo têm sido motivo de preocupações na União Europeia, que fala em atentado contra o Estado de Direito.

VÍDEO

video



pt.euronews.com

Sem comentários:

Enviar um comentário