NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

quinta-feira, 11 de maio de 2017

CDS-PP quer levar campanha autárquica para o Parlamento Cristas copia projectos de expansão do Metro e apresenta-os como seus


Assunção Cristas propôs a construção de 20 novas estações de metro em Lisboa, no debate quinzenal desta quarta-feira. No entanto, a proposta não tem nada de novo – constam de propostas da CDU apresentadas nos últimos anos.
https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/imgonline-com-ua-resize-61phhuycsohdamp.jpg?itok=O4nX6mIe
A líder do CDS-PP, que é também candidato do seu partido à Câmara Municipal de Lisboa, tem usado os debates quinzenais para dar visibilidade à sua campanha autárquica
A líder do CDS-PP, que é também candidato do seu partido à Câmara Municipal de Lisboa, tem usado os debates quinzenais para dar visibilidade à sua campanha autárquicaCréditos/ Agência LUSA
A expansão da rede do Metro de Lisboa animou o debate quinzenal com mais um número da líder do CDS-PP, Assunção Cristas. Hoje, para além dos gráficos habituais, levou impresso uma proposta de 20 novas estações, sem prazo nem calendarização.
Proposta de expansão da linha do Metro de Lisboa apresentado por Assunção Cristas, no debate quinzenal de 10 de Maio de 2017 Créditos
No momento em que Cristas mostou o seu mapa, ficou claro que a proposta não era inovadora: o plano de expansão da rede de 2009 já previa grande parte das novas estações.
Na zona Oriental da cidade, absolutamente nada de novo, com a ligação do Aeroporto ao Campo Grande e extensão à Portela e a Sacavém. A norte, a ligação de Telheiras à Pontinha é igual e, na Linha Amarela, a candidata à Câmara Municipal de Lisboa é mais comedida: vai até Loures mas apenas com duas paragens após Odivelas, em Frielas e Santo António dos Cavaleiros. Em 2009, a promessa era chegar ao Infantado e com um ramal que passaria no centro de Odivelas e na Ramada.
Plano de expansão do Metro de Lisboa 2010-2020, apresentado em Setembro de 2009 Créditos
As estações da Avenida do Uruguai e de Benfica também já constavam do plano, mas a chegada prevista ao Hospital Amadora-Sintra (a partir da Reboleira), tal como prometida em 2009, é deicada cair pelo CDS-PP.
A grande novidade parece ser a extensão da rede até Algés, quando em 2009 não ia além de Alcântara e do Alvito. O «rasgo» de Cristas, como apresentou a proposta, inclui paragens em Santo Amaro, na Ajuda e em Belém.
Projecto de expansão da rede do Metro de Lisboa, sem data Créditos
Mas também aqui o «rasgo» não chega tão longe quanto parece. Um mapa oficial, sem data, já previa a ligação do Metro não só a Algés mas a Miraflores.
Os planos já foram muitos, o difícil tem sido colocá-los em prática. Nos últimos anos houve várias propostas nas autarquias afectadas pelos atrasos a exigir a concretização da expansão do Metro de Lisboa. Uma das últimas foi uma moção apresentada pelos vereadores do PCP na Câmara Municipal de Lisboa, em Junho do ano passado, cujo último ponto propunha dar prioridade à «concretização do acesso, via linhas Amarela e Vermelha, a Campolide, Campo de Ourique, Estrela, Alcântara, Ajuda e Belém».
Já em Setembro de 2010, um ano após a apresentação do plano 2010-2020, os eleitos da CDU na Assembleia Municipal de Loures criticavam a retirada da ligação à sede de concelho na alteração ao Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa.


www.abrilabril.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário