AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 11 de maio de 2017

A IMUNDÍCIE



No P”S” é como se vê. No inicio, reconhecimento total da proposta do extremista e filho de extremista, Rui Moreira. Ora, sem fazer juízos de valor, a candidatura de RM é a mais de direita de toda a história autárquica do Porto pós-Abril de 74. O P”S” apoiava-a vigorosamente até que o Ruizinho, finalmente, congeminou uma desculpa para se ver livre daquela ratoeira.
“Ratoeira” é o insalubre Manuel Pizarro, um cromo insignificante, que havia aceitado a missão do aparelho de dirigentes alados da mitologia “democrática” daquela burguesia insípida.
Parecem ratos que saem do seu Largo.
Ginasticados, ei-los todos disponíveis para fazer o que melhor sabem. Saltar daqui para ali e de ali para acolá. Dizer não onde já tinha havido sim. De apoio resplandecente ao actual presidente tripeiro, rapidamente e em força, como num passe de mágica, lá vão eles noutro comboio e siga a “navy”.
Como cereja no topo deste bolo, o cavalheiro Pizarro, do alto da sua filigranada educação democrata e republicana, já anunciou, com noção de Estado, que não fará campanha contra RM.
Colocou os dedinhos dentro do recipiente de água com limão, sacudiu-os com moderação, depois bebeu um excelente conhaque e pagou a conta generosamente
Guilherme Antunes (facebook)

Sem comentários:

Enviar um comentário