NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

domingo, 28 de maio de 2017

28 de Maio de 1884: Abre ao público o Jardim Zoológico de Lisboa


O Jardim Zoológico de Lisboa abriu ao público em 1884 no Parque de São Sebastião da Pedreira, por iniciativa de Pedro van der Laan e José Thomaz Sousa Martins, que contaram com o apoio do rei D. Fernando e do zoólogo e poeta José Vicente Barboza du Bocage. O jardim zoológico, o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica, foi transferido em 1905 para a Quinta das Laranjeiras, onde se fixou definitivamente.

Este parque, para além de servir para entretenimento e diversão, tem preocupações a nível de conservação da Natureza, nomeadamente através da educação.

Ao todo tem mais de 350 espécies animais, entre mamíferos, aves, répteis e anfíbios. As principais atrações são elefantes, pinguins, macacos, pandas, leões, golfinhos, focas, coalas e o Reptiliário, um espaço só para répteis. Os golfinhos são protagonistas de espetáculos diários num espaço próprio, a Baía dos Golfinhos, juntamente com leões-marinhos e focas.

O zoo está ainda dotado de restaurantes, bares, loja, teleférico e de um parque de animação com cinema a três dimensões, jogos de vídeo, carrossel, barcos telecomandados e um lago.

O parque foi fornecido com bastantes animais oriundos de África e do Brasil, o que permitiu a obtenção de uma coleção bastante diversificada de espécies exóticas. Estes animais eram enviados por governadores das antigas províncias ultramarinas portuguesas.

Após a revolução do 25 de abril de 1974 e consequente independência das colónias portuguesas, diminuíram substancialmente as remessas de animais. Esta situação, associada ao corte de apoios estatais, levou a que o Jardim Zoológico não pudesse renovar o parque animal, levando a uma diminuição de público.

Em 1990, o Conselho de Administração do espaço adotou uma nova política e procedeu à modernização do espaço e dos serviços de apoio, nomeadamente no que se refere às condições de vida dos animais. Assim, foi aumentada a coleção de animais e melhoradas as condições a nível de instalações, alimentação e serviços veterinários. Paralelamente, foram criados serviços comerciais, de marketing, de relações públicas e de imprensa, tendo em vista captar mais público.

A nível de visitantes, a administração criou um serviço de promoção para a conservação através de um Centro Pedagógico.

O Jardim Zoológico foi distinguido pela Câmara Municipal de Lisboa,em 1952, com a Medalha de Ouro da Cidade.

Jardim Zoológico de Lisboa. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012. 
Arquivo Municipal de Lisboa






Sem comentários:

Enviar um comentário