AVISO

OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá, obviamente, da minha aprovação que depende da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente, com a excepção dos que o sistema considere como SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam a apologia do racismo, xenofobia, homofobia ou do fascismo/nazismo.


domingo, 9 de abril de 2017

Um passeio genial por dentro de obras de arte no último clipe de diva pop chinesa



Em meados de 2015 o animador Sebastian Cosor criou uma animação simplesmente genial em que retratava uma visão pessoal da obra o "Grito" de Edvard Munch. Foi com base naquele primor, onde o soturno personagem cobra vida, que os produtores realizaram o videoclipe da canção "Dust My Shoulders Off", da diva pop chinesa Jane Zhang. O vídeo simplesmente genial e atrevido, para dizer o mínimo, é uma sucessão de recriações de obras artísticas bastante original.

vídeo





Abaixo compartilhamos também a animação de Sebastian, que conseguiu coadjuvar um diálogo perfeito a respeito da morte, mostrando uma paisagem tão lúgubre e opressiva quanto a do quadro original e colocando um fundo musical perfeito: "A great gig in the sky" do Pink Floyd.

vídeo


 Clare Torry, então com apenas 22 anos, foi contratada pelo equivalente hoje a uns 150 reais, para que fizesse um improviso vocal no arranjo musical da canção. Ela ouviu uma vez e já na segunda tentativa os membros da banda ficaram impressionados com sua performance da moça. Clare pegou sua grana e foi embora pensando que aquela gravação jamais seria utilizada. Ela só ficou sabendo da verdade quando viu o álbum em uma loja de discos, com seu nome nos créditos.

Em 2004 ela processou o Pink Floyd por direitos autorais da composição, com base no fato de que sua espetacular contribuição vocal evidenciava uma co-autoria da canção com Richard Wright. Um ano depois eles fecharam um acordo, e apesar de que os termos nunca foram revelados, acredita-se que ela recebeu grana o bastante para que seus tataranetos não não precisem trabalhar. Ademais todas as publicações e relançamentos a partir de 2005 passaram a listar Clarie Torry como sendo co-autora da canção.



www.mdig.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário