NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

sexta-feira, 21 de abril de 2017

O BE ELEITORALISTA APRESENTOU UM VOTO NA AR COM BASE EM NOTÍCIAS DO facebook

O BE ELEITORALISTA APRESENTOU UM VOTO NA AR COM BASE EM NOTÍCIAS DO facebook
O BE apresentou um voto na assembleia da República com base em notícias do facebook e não tentou verificar com a fonte. A LGBT network - a fonte da denúncia de perseguições a homossexuais na Tchetchénia - não se refere a nenhum campo de concentração e nem sequer tem certeza sobre a origem institucional de todas as perseguições. Se é verdade que é condenável a acção ou permissividade das autoridades em favor da agressão a homossexuais, isso não justifica que se afirme sem nenhuma fonte que existe um campo de concentração para homossexuais.
Tanto quanto a LGBT network consegue apurar, existe uma onda de violência sobre homossexuais na Tchetchénia. Na verdade, todas as pistas que a LGBT network tem são emails recebidos de pessoas que apresentam a queixa de ter sido agredidas/torturadas/espancadas por serem homossexuais.
Contudo, não é nada disto que o voto do BE acusa e condena. O voto do BE acusa e condena a região Tchetchena por ter erguido um campo de concentração para homossexuais, acusação que surge apenas em jornais ocidentais e no facebook, supostamente com base na informação da LGBT network. Ora, basta ler o sítio online da LGBT network para perceber que isso não foi sequer identificado.
Para que não restem dúvidas: condenar todas as perseguições a homossexuais é um imperativo humanista. Mas fazê-lo implica ter razão e fazer um esforço para não ir atrás de fake news do facebook.
Aqui fica o site da organização que denunciou a situação para se poder passar por cima dos jornais que inventam, apesar de citarem a fonte (alguns).
Um "campo de concentração" é uma coisa que não podemos banalizar. A violência sobre homossexuais é algo que não devemos instrumentalizar.

Sem comentários:

Enviar um comentário