NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

quinta-feira, 20 de abril de 2017

LARANJAS DESENTENDEM-SE ! Autárquicas provocam primeira demissão no PSD

Tudo o que podia correr mal, correu de facto muito mal. O PSD passou meses à espera de Pedro Santana Lopes para Lisboa mas acabou por levar uma nega. "Keep calm", disse Santana Lopes no congresso em abril de 2016. "And carry on" sem candidato podia ter pensado Passos Coelho quando soube que o ex-autarca e ex-primeiro-ministro não queria, afinal, voltar a candidatar-se à Câmara de Lisboa.
Daí para a frente foi esperar, convidar, sondar, receber várias recusas e... "carry on". Continuar a procurar um candidato que pudesse representar o PSD em Lisboa. A concelhia do PSD, presidida por Mauro Xavier, tentou de tudo, até que o processo passou para a secretária de Passos Coelho. Sem querer apoiar Assunção Cristas, a líder do CDS que se antecipou e conseguiu condicionar a estratégia do PSD, Passos Coelho acabou por lançar o desafio a Teresa Leal Coelho. A vice-presidente de Passos aceitou mas o nome está longe de ser consensual. Não só porque dentro do partido é considerado um nome perdedor mas, sobretudo, pelo histórico de Teresa Leal Coelho como vereadora na autarquia de Lisboa. Faltou a mais reuniões do que aquelas em que compareceu, o que não é, propriamente, um bom cartão-de-visita.
Logo que o nome de Teresa Leal Coelho foi anunciado, Mauro Xavier apressou-se a discordar no Facebook, não tanto do nome, mas do procedimento escolhido por Passos Coelho. A concelhia do PSD terá ficado à margem desta escolha e isso desagradou. Ainda assim, Mauro Xavier pousou para a fotografia no dia do anúncio e esperou, sentado, que Leal Coelho discutisse com ele a candidatura. Mesmo assim cansou-se de esperar e, agora, bateu com a porta.
Numa carta com quatro parágrafos, o presidente da Concelhia do PSD Lisboa explica a Passos Coelho que "não é por ter uma visão catastrofista das eleições" que se demite e até admite que o PSD pode vencer em Lisboa. Mas, a dois meses de terminar o mandato, e apesar de considerar que "tinha todas as condições políticas para continuar", acredita que a candidata e o líder do partido "devem ter todas a liberdade para tomarem as decisões que entenderem, como entenderem e quando entenderem".
Mas Mauro Xavier vai mais longe. Acusa Teresa Leal Coelho de se ter "recusado expressamente e publicamente a dialogar ou reunir com a estrutura do PSD em Lisboa" e, por isso, sai de cena.
A demissão de Mauro Xavier será explicada e formalizada na reunião da concelhia desta quinta-feira. O ainda líder da concelhia de Lisboa do PSD remata dizendo que vai participar e ajudar na campanha de Leal Coelho à capital.


Sem comentários:

Enviar um comentário