NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Diálogo Orbicular

Diálogo Orbicular
Paez - Estou cansado de viver perto do chão.
Maiz - Perto do chão... assim, como os sapatos?
Paez - Quais sapatos? Eu nem tenho sapatos...
Maiz - Ah, pois não tens, és um sem-abrigo!! Mas, queres colher alguns grãos dourados das minhas espigas? Pode ser que te confortem.
Paez - Um sem-abrigo não quer saber de sapatos, nem de grãos dourados, nem mesmo quer saber da chuva. Na sua bagagem transporta apenas diafragmas azuis.
Maiz - Ah sim? Para quê?
Paez - Ora, para ver as entranhas da cidade como se fossem os aposentos do céu.
Maiz - Mas, disseste que estavas cansado de viver perto do chão. Estou confuso.
Paez - O chão é cinzento. A cinza veio do incêndio da montanha. Na montanha viveu a minha infância. E agora não a encontro no meio desta tralha toda que é a vida.
Maiz - Então, o que pensas fazer?
Paez - Vou pegar no meu saco e sair daqui. Faço um círculo com os pés e volto ao mesmo lugar, sem olhar para o chão.
Alice Caetano
Colagem-pintura de Alberto Esteban Caetano Gonzalez a partir da fotografia de Carlos Alejandro Púrpura Pistarelli feita a um sem-abrigo de Mendoza, Argentina.

Sem comentários:

Enviar um comentário