AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 20 de abril de 2017

DEPUTADO PAULO SÁ (PCP) FALA DE "INVERDADES" SOBRE COMUNICADO DO PS ALGARVE RELATIVAMENTE AO IMI

REPOR A VERDADE: No 18 de abril, a Federação Regional do Algarve do PS divulgou um comunicado intitulado “António Eusébio congratula Governo pela redução do IMI em dez por cento”. Nesse comunicado é apresentada a medida de redução da taxa máxima do IMI de 0,50% para 0,45%, aprovada no Orçamento do Estado para 2016, recorrendo-se – com certeza por lapso – a inverdades, designadamente atribuindo a iniciativa de redução do IMI ao Governo. Na realidade, a proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2016, apresentada pelo Governo, não continha qualquer redução da taxa máxima do IMI. Foi o PCP que, na discussão da especialidade do Orçamento do Estado, apresentou uma proposta de redução de 0,50% para 0,45%. Tendo esta proposta sido aprovada, foi incorporada na Lei do Orçamento do Estado para 2016. Assim, a redução da taxa máxima do IMI, de que muitas famílias beneficiarão, deve-se a uma iniciativa do PCP.
O deputado Paulo Sá, eleito pelo PCP, apelidou de "inverdades" algumas citações do comunicado do PS Algarve enviado ontem aos meios de comunicação social, em que o Algarve Primeiro publicou, com o título "António Eusébio congratula Governo pela redução do IMI em dez por cento".

 
Em direito de resposta Paulo Sá avançou ao nosso jornal que no referido comunicado, "é apresentada a medida de redução da taxa máxima do IMI de 0,50% para 0,45%, aprovada no Orçamento do Estado para 2016, recorrendo – com certeza por lapso – a inverdades".
 
Segundo aquele parlamentar com base nas citações «O presidente do PS-Algarve, António Eusébio, congratula-se com esta medida do Governo...» ou «...através do Orçamento de Estado para o ano de 2016, o Governo propôs e a Assembleia da República aprovou a redução da taxa máxima do IMI em dez por cento, ...»; Paulo Sá esclarece que "a proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2016, apresentada pelo Governo, não continha qualquer redução da taxa máxima do IMI, tendo sido o PCP (na discussão da especialidade do Orçamento do Estado para 2016), a apresentar essa proposta, reduzindo a taxa máxima de 0,50% para 0,45%".
 
Proposta que o deputado sublinha "foi aprovada, e incorporada na Lei do Orçamento do Estado para 2016, cuja redução da taxa máxima do IMI, de que muitas famílias beneficiarão, deve-se a uma iniciativa do PCP".
 
Algarve Primeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário