NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Bruno Amadio, ou "Giovanni Bragolin" o pintor das crianças chorando, as especualções e a maldição dos seus quadros

INTRIGANTE: Giovanni Bragolin e "The Crying boys"






Bruno Amadio, ou "Giovanni Bragolin" (1911-1981), foi um pintor italiano que ficou famoso entre as décadas de 1970 e 1980 ao pintar quadros de crianças chorando que foram vendidos em vários lugares do mundo.
Também foi supostamente conhecido como Franchot Sevilha, Bragolin e J. Bragolin.
As pinturas apresentam uma variedade de crianças chorando olhando melancolicamente para a frente.
Eles são chamados "Gypsy Boys", embora não há nada especificamente que os ligue ao povo Romani.














Obra
Bruno Amadio era um pintor de formação acadêmica e trabalhou na Veneza pós-guerra, produzindo pinturas para os turistas.
27 pinturas dos "Crying Boys" foram feitas sob o nome de Bragolin, e suas reproduções foram vendidas no mundo inteiro.
Na década de 1970 ele foi encontrado vivo e ativo, ainda pintando em Pádua.
Amadio faleceu de um câncer no esôfago em 1981.
Em museus da Europa é possível se encontrar as réplicas e os originais.
Bruno Amadio pintou também outros quadros, a maioria entretanto ligado ao estilo natureza morta.






Carreira
Os quadros "The Criyng boys" -as crianças que choram, foram as principais obras de Bragolin que o popularizaram e o tornaram comentado em todo o mundo.













Vida
A vida de Bragolin foi com certeza uma polêmica.
Especula-se que ele era fascista, mas nada se pode provar.
Não há sites que indiquem clara e convictamente onde ele nasceu, de quem era filho, onde passou sua infância.
Tudo que se sabe é sobre sua misteriosa lenda urbana.

Esse quadro que circula na internet sob o nome de Bragolin, na verdade não é de sua autoria, e sua origem é um mistério:





Suposta Lenda
Diz-se que o pintor Bruno Amadio decidiu fazer um pacto com as forças malignas para que assim passasse a vender suas obras já que estava tendo muita dificuldade para vendê-las.
Bruno passou a usar o pseudônimo Giovanni Bragolin e então passaria a pintar somente crianças chorando.
Os quadros ficaram muito famosos inclusive no Brasil, e se espalharam pelo mundo.
Mais tarde, arrependido, teria pedido para que todos destruíssem suas obras, que só trariam maus destinos aos seus donos.
Confessou que algumas crianças retratadas traziam a pupila dilatada porque estavam mortas, eram crianças reais, desaparecidas de suas famílias e encomendadas para o mal.


The Sun
Há ainda outro fato de um bombeiro que ao relatar que em incêndios ocorridos na Inglaterra, nos anos 70, estranhamente os quadros não se queimavam.
Um jornal da época, o THE SUN (famoso por histórias sensacionalistas) confirmou a história.
O jornal dizia que poderiam se tratar de quadros satânicos fruto de um pacto demoníaco do pintor.
O The Sun estava enfrentando uma época difícil na briga pelo primeiro lugar com outro tablóide popular o The Daily Mirror, e precisava de um "furo" para conseguir destaque.
Foi aí que a história ganhou força.



Após isso então as pessoas escreviam para o jornal relatando tragédias que ocorreram depois da aquisição de tais quadros, grupos queimavam-no em fogueiras, e uma histeria coletiva tomou conta das pessoas na Europa.
Como os quadros de Bragolin eram muito populares, logo, era comum tê- los nas maiorias da casas da Europa, inclusive nas citadas dos incêndios mencionados, o que explica mais uma vez o caso.
E de fato todas essas afirmações que o jornal alegou sobre os quadros na época não provem de fontes seguras, o que as caracterizam simplesmente como boatos.




Nos anos 90, a história virou lenda urbana no Brasil, onde os quadros também foram comercializados na mesma época.
Aqui, a história contada era que Bragolin, um pintor fracassado, fez um pacto com o oculto para obter sucesso.
Ele teria então sonhado com crianças que eram torturadas e sacrificadas, as quais teria pintado em sua série.
Um fato que liga o pintor italiano fortemente com o Brasil, é de ele ter, supostamente, ido ao Fantástico (exibido aos domingos pela Rede Globo) ceder uma entrevista nos anos 80, onde teria feito um apelo para que as pessoas que tivessem seus "Crying Boys" em suas casas, os queimassem.
Mas, no entanto, nunca houve uma prova de que a entrevista realmente foi dada, ou seja ela não é comprovada e provavelmente não aconteceu.









Gypsy boys
Outra teoria para que Giovanni Bragolin tenha pintado crianças deste modo, seria para lembrar o sofrimento delas na segunda guerra mundial.
Muitas destas imagens podem responder eficazmente a uma estética que se encaixa com esta teoria: roupas danificadas, atmosfera cinzenta, paredes derrubadas, ansiedade, sensação de sujeira e escuridão, incompreensão e tristeza.
Alguns dos quadros de crianças chorosas que circulam por aí são atribuídos falsamente a Bragolin, mas foram pintados pela pintora escocesa Anna Zinkeisen, é comum a confusão devido a informações falsas na internet.



Mitos que envolvem os quadros

Dizem que o pintor ao fugir para a Espanha após a guerra usou crianças de um orfanato como inspiração para as obras demoníacas.
Existem, de fato, no meio dessas obras mensagens subliminares, em algumas delas imagens escondidas nos detalhes da pintura são claramente visíveis.
Existe também o rumor que diz que todas as casas que possuíam essas obras pegavam fogo e eram resumidas em cinzas, menos os quadros.









Maldição dos Quadros de Bragolin

Houve um caso em 1985, na Inglaterra, localizado na cidade de Rotherham em que uma casa pegou fogo, não foi reduzida em cinzas, porém seu térreo ficou destruído e eis que ocorreu o curioso, um suposto quadro de uma criança chorando estava intacto no local. Seria esse o nascimento do mito?
Eles concluíram que isso se deu pelo fato dos quadros serem impressos em um tipo de papel difícil de queimar.

Se não fosse pelo detalhe de que o irmão do proprietário da casa era um bombeiro e que através dele outras histórias que relatavam quadros intactos após um incêndio veio a tona, talvez a história tivesse acabado por lá.
Por causa da grande atenção que esses rumores estavam ganhando, o sensacionalismo com certeza se aproveitou e assim a lenda cresceu.



Por último, existem relatos de que durante a noite é possível ouvir a criança do quadro chorando.

Único quadro comprovado de Bragolin em que uma criança aparece sorrindo:




Acho este caso interessante e misterioso, de fato não posso afirmar o que realmente aconteceu e pouco se pode provar a respeito, mas é no mínimo intrigante.
Tenho uma amiga que alega ter tido um desses quadros na sua residência durante a infância, e o clima do local onde o quadro ficava era pesado e sombrio, indagada sobre o fato, ela se alterou e se recusa a falar mais a respeito até hoje, mas afirma que realmente sempre se sentiu mal na presença do quadro, e que só pode haver algo de estranho relacionado.

Bragolin em seu estúdio no momento em que pintava uma de suas obras:


helenadalillah.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário