AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 3 de abril de 2017

Administração local exige aumentos salariais e descongelamento de carreiras


Os trabalhadores da Administração Local convocaram uma manifestação, de carácter nacional, para o dia 21 de Abril, em Lisboa, com o objectivo de exigir aumentos salariais, o descongelamento das carreiras, a regulamentação de suplementos e a regularização dos vínculos.
https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/manif_stal_2015.jpg?itok=6oj_Pclr
Trabalhadores do STAL defendem, entre outras questões, o fim da precariedade
Trabalhadores do STAL defendem, entre outras questões, o fim da precariedadeCréditos
A acção de protesto começará por uma concentração, pelas 14h, no Rossio, de onde irão partir em manifestação até ao Ministério das Finanças.
Numa nota enviada à imprensa, o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional (STAL), expõe as principais reivindicações, como o aumento geral dos salários para actualizar «o poder de compra perdido nos últimos anos». Os trabalhadores defendem igualmente o descongelamento das progressões e o direito à contratação colectiva «em todo o universo de entidades da Administração Local».
A nota refere ainda a exigência «da recuperação das profissões, com a negociação de uma nova estrutura de carreiras para a Administração Local», assim como a regulamentação dos suplementos de insalubridade, penosidade e risco, e de disponibilidade.
A precariedade é outra das questões levantadas: os trabalhadores defendem que a ocupação de um posto de trabalho permanente ou a funções executadas de acordo com um dado horário de trabalho e submetidos a uma dada hierarquia, corresponda um vínculo efectivo.
Os trabalhadores exigem também o alargamento dos mapas de pessoal e a abertura de concursos ajustados às necessidades reais de prestação dos serviços públicos.
Quanto às pensões, é defendida pelos trabalhadores a reposição da forma de cálculo e das condições gerais para aposentação com 36 anos completos de serviço, independentemente da idade, assim como a revogação dos factores de penalização anual (6%) e de sustentabilidade (13,88%).


www.abrilabril.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário