NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

sábado, 15 de abril de 2017

A mudança do padrão de beleza feminino ao longo da história


Não é difícil ao ver as fotos antigas das nossas mães e avós pensar:  Mas que cabelo é este???”! 
Mas elas juram que “arrasavam” na época e era super tendência. 
A questão é que o padrão de beleza feminino mudou, aliás, está em constante mudança e nunca mudou tão rápido como agora!
O que era maravilhoso ontem, hoje é feio e talvez amanhã seja lindo outra vez. 

O interessante é pensarmos no quanto somos reféns de um padrão tão inconstante e se o que fazemos hoje com nossos corpos e rostos – nunca houve tanta cirurgia plástica na história!
Há alguns anos um peito turbinado era mais do que necessário e muita gente aderiu ao silicone, hoje o bumbum é que está em alta 
VÍDEO
Egito antigo (1292 a.C. a 1069 a.C.)
As mulheres deveriam ter cabelos longos, rosto simétrico e um corpo magro e alto com cintura e ombros estreitos.
Grécia antiga (500 a.C. a 300 a.C.)
Pele branca, seios fartos, coxas grossas e cintura larga configuravam o padrão da época.
Dinastia Han – China (206 a.C. a 220 d.C.)
A sociedade esperava que as mulheres tivessem olhos grandes, pés pequenos, cintura fina, cabelo longo e bem escuro, dentes brancos e pele pálida.
Renascença italiana (1400 a 1700)
Um corpo arredondado, com quadris largos e seios grandes, era sinônimo de beleza. O padrão ainda impunha pele branca, cabelo loiro e testa grande.
Era vitoriana (1837 a 1901)
sociedade obrigava as mulheres a vestirem corsets apertados para afinar a cintura o máximo possível. Elas também usavam o cabelo longo como símbolo de feminilidade.
Anos Loucos (década de 1920)
O visual mais desejado era andrógino: sem curvas, com seios pequenos e cabelo curto.
Era do Ouro de Hollywood (1930 – 1950)
Estrelas como Marylin Monroe, com corpo curvilíneo e cintura fininha, eram objeto de desejo.
Década de 1960
O jogo se inverte e a modelo Twiggy passa a ser o padrão da vez: magra, alta, sem curvas e com aparência adolescente.
Era das supermodelos (1980)
A top Cindy Crawford era a representação da beleza daquele tempo com seu corpo alto, magro, atlético e torneado.
Década de 1990
O corpo extremamente magro e quase andrógino de Kate Moss era o que as mulheres desejavam.
Século XXI
Corpo magro, mas saudável, seios e bumbum grandes, mas barriga chapada. Este é o padrão regente.


www.fashionbubbles.com

Sem comentários:

Enviar um comentário