AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 6 de abril de 2017

6 teorias “científicas” que atrasaram o progresso da humanidade

Teorias como a eugenia ou aquelas que discriminam com base no sexo, raça ou orientação sexual são extremamente prejudiciais para a sociedade. Eles criam divisões entre nós, geralmente por razões “científicas” falsas ou ignorantes.
Enquanto algumas das idéias nesta lista têm sido amplamente desacreditadas, ainda existem adeptos dessas teorias em todo o mundo, com alguns desses tópicos sendo amplamente creditados pela maioria da população.
Conheça algumas teorias que atrasaram o progresso da humanidade:

Homens gays e doação de sangue

Prevalente em alguns países, incluindo os Estados Unidos, França e Alemanha, a proibição de doadores de sangue homossexuais masculinos são muitas vezes baseadas em medos infundados ou homofobia declarada. Desde a década de 1980, quando a AIDS começou a ser vista como uma ameaça pública, leis como proibição de doações de sangue por gays foram impostas.
Eles estão colocados em uma categoria de alto risco, no mesmo patamar de usuários de drogas injetáveis. Na época, parecia ser a única maneira de combater a AIDS, considerando que a maioria dos infectados eram homens homossexuais. Além disso, em 1985, um grande número de pessoas contraía o vírus HIV a partir de transfusões de sangue, justificando essa abordagem cautelosa.
No entanto, homens heterossexuais que se envolvem em situações sexuais de risco ou que tenham contraído DST’s e receberam tratamento, podem doar quantas vezes quiser. Atualmente existem testes que podem detectar com 99,9 por cento de precisão se o sangue está contaminado com HIV, fazendo dessa proibição vitalícia, irracional.

Medicina Tradicional Chinesa

2
Medicina tradicional chinesa, tem origem no século 28 a.C, com um homem chamado Shennong. Ele catalogou cerca de 400 espécies de plantas medicinais. Ao longo dos séculos esse catálogo se expandiu para incluir cerca de 1.000 diferentes plantas e 36 animais diferentes.
A ameaça da Medicina Tradicional Chinesa vem de seu dano real a um número de animais ameaçadas de extinção, incluindo tigres, rinocerontes e cavalos-marinhos, que faz com que isso seja parte da causa do que os cientistas chamam de “sexta extinção em massa da Terra”.
Muitos dos supostos benefícios para a saúde relacionados com partes de animais (chifre de rinoceronte reduz a pressão arterial, carne de jacaré previne o câncer, etc.) têm sido provados falsos por vários estudos científicos.

Teoria do puro sangue na Coreia

3
A ideia coreana de “sangue puro” deriva da crença de que as pessoas do país descendem de um só homem, Dangun, que se diz ter fundado o primeiro reino coreano. Por causa disso, o país é “teoricamente” tem uma única linhagem, que deveria unir as pessoas, mesmo quando reis ou dinastias caíssem.
Alguns historiadores afirmam que isso surgiu devido a subjugação japonesa e é resultante da tentativa de assimilação da cultura do Japão. Além disso, esta teoria do “puro sangue” afeta todo o relacionamento de um coreano com um não coreano. As pessoas que se relacionam com pessoas de uma etnia diferente podem ser insultadas e até mesmo agredidas. Na Coréia do Sul, uma pesquisa de 2008 revelou que 42 por cento da população nunca tinha visto pessoalmente alguém que não era coreano.

Feitiçaria

Old woman on bonfire
As pessoas podem pensar em feitiçaria e associar a Idade Média ou as bruxas de Salém, concluindo que tudo isso está no passado. No entanto, a crença em feitiçaria ainda vive e prejudica seus seguidores. Acusações de feitiçaria, tendo como alvo mulheres, ainda acontecem devido as crenças religiosas extremistas.
A maioria dos “julgamentos” contra bruxas confiam em testemunhas oculares ou falsas confissões geralmente provocada por tortura. Por exemplo, em 2013, na Papua Nova Guiné, uma mulher foi queimada viva por ser um “sanguma”, um de bruxa. Muitos outros países, incluindo Arábia Saudita, ainda punem as pessoas por feitiçaria, com penas que vão de prisão a até execução.

Determinismo biológico

5
Determinismo biológico é a crença pseudocientífica que o nosso comportamento é determinado por nossa composição genética. Embora esta “teoria” levante questões sobre nossas próprias escolhas, ela é principalmente usada para justificar o comportamento racista, sexista ou homofóbico, sob o pretexto de superioridade por parte do abusador.
A ciência moderna tende a concordar que nossas ações são uma combinação de nossas tendências biológicas e nosso meio ambiente, tornando-os um fenótipo. Casos de racismo declarado são extremamente comuns quando se trata de determinismo biológico.

Frenologia

6
A frenologia é uma pseudociência intimamente relacionada ao determinismo biológico. Ela faz estudos sobre a forma do crânio e sua influência na capacidade mental de uma pessoa, bem como no caráter de uma pessoa. Desenvolvida pela primeira vez no final do século 18 por um médico vienense chamado Franz-Joseph Gall, a frenologia era imensamente popular até no século 20.
Donos de escravos se beneficiaram dessa “ciência” e usaram as informações para justificar a escravidão, alegando que africanos não eram inteligentes o suficiente para serem livres. Em uma reviravolta estranha, frenologia também foi usada por abolicionistas, que argumentavam que a timidez dos escravos significava que eles não iriam se tornar violentos se todos fossem libertados, medo de muitos proprietários de escravos.


www.fatosdesconhecidos.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário