AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 18 de março de 2017

Sócrates recebido por protesto na Universidade de Coimbra



Estudantes acusam Sócrates de ser responsável pela passagem da universidade a fundação

O antigo primeiro-ministro José Sócrates foi hoje recebido por cerca de 20 estudantes em protesto contra a passagem da Universidade de Coimbra a fundação, considerando o ex-governante responsável pelo regime fundacional.
"Sócrates ladrão, não queremos a fundação", gritaram os estudantes, enquanto José Sócrates entrava no auditório da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, onde discursa hoje à tarde no painel "Haverá uma política apartidária?", no âmbito do primeiro Encontro Nacional de Estudantes de Sociologia.
Os responsáveis pelo protesto marcado para hoje acusam o antigo primeiro-ministro de ser um dos responsáveis pela possibilidade de passagem ao regime fundacional nas universidades portuguesas, por ter sido no Governo de José Sócrates que, em 2007, foi introduzido o Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES).
Os estudantes envergavam cartazes onde podia ler-se "Nem RJIES, nem fundação. Não esquecemos o que fizeram em 2007" ou "UC a fundação é mais um prego no caixão".
Pedro Pinheiro, estudante de Filosofia presente na ação de protesto, sublinhou que foi o Governo de José Sócrates que abriu portas à passagem a fundação das universidades, o que a seu ver pode ser um passo à privatização das instituições do ensino superior.
"Põe em causa a universidade pública, democrática e inclusiva", sublinhou.
A transformação ou não da instituição em fundação deverá ser discutida no Conselho Geral eleito recentemente, depois de o reitor ter proposto o início do debate da passagem ao regime fundacional em julho.


www.dn.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário