NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

sexta-feira, 24 de março de 2017

Seminário


Amanhã irei participar num seminário/debate intitulado “O Euro e a união económica e monetária. Defender o desenvolvimento económico e social e a soberania”. Organizado pelo PCP e pelo grupo em que se integra no Parlamento Europeu, terá lugar no Seminário de Vilar (R. Arcediago Vanzeller, 50), Porto.

Estarão presentes, entre outros, Heiner Flassbeck, economista alemão e antigo vice-ministro, quando Oskar Lafontaine foi por um breve período Ministro das Finanças do SPD nos anos noventa. Rompendo com uma social-democracia rendida, este último acabou por ser um dos fundadores e líderes do Partido da Esquerda alemão. Hoje, defendem o desmantelamento da zona euro também para salvar alguma integração funcional para os povos.

Keynesiano, Flassbeck tem aprofundado o diagnóstico sobre as responsabilidades da política alemã de superávites na crise da zona euro. Conseguida muito à custa da compressão salarial, no seguimento de reformas neoliberais das relações laborais, foi o outro lado dos défices de uma periferia trancada numa moeda feita para impedir a reacção cambial dos parceiros estruturalmente mais fracos ao equivalente económico da ocupação política, como defende num dos melhores livros publicados sobre a crise da zona euro (em co-autoria com o economista marxista grego Costas Lapavitsas).

Também com esta presença intelectual de peso, confirma-se que, por certa esquerda portuguesa, patriotismo e internacionalismo são duas faces da política que não se confunde com esta integração. Entretanto, o livro colectivo acabado de lançar, a avaliar pelas primeiras páginas, promete. Quando o tiver lido, talvez escreva qualquer coisa por aqui

ladroesdebicicletas.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário