AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 6 de março de 2017

OLHÃO: A DESTRUIÇÃO DE HABITAT DO CAIMÃO!


 

Objectivo
Requalificação ambiental da frente ribeirinha de Olhão, no prolongamento da Av. 5 de Outubro no sentido poente dos mercados, criando novos espaços de fruição colectiva que permitam uma nova vivência da cidade e da sua relação com a Ria.

Localização
Olhão

Actividades a desenvolver
Projectos e Obras:
Criação do parque ribeirinho poente de Olhão. Este projecto deverá incluir: a requalificação e valorização do espaço público com adequado equipamento urbano e serviços de apoio, em articulação com a marginal de Olhão, ao qual se associaram percursos ribeirinhos e interpretativos em torno das salinas adjacentes.

Parque Ribeirinho de Olhão (Poente)

Adjudicatário: Traço Alternativo – Arquitectos Associados, Lda.
Valor do Projecto: 160 000,00€
Fase do Projecto: Em elaboração
Data de Conclusão: Novembro de 2011

Objectivos do projecto:
- Criar novos espaços de fruição colectiva junto às margens da Ria na cidade de Olhão;
- Prevê requalificar a zona poente da cidade, a oeste da marina, no prolongamento da avenida 5 de Outubro. A área de intervenção é de cerca de 9 hectares, em terrenos que incluem os actuais armazéns municipais, frente às salinas;
- Requalificação e valorização do espaço público com adequado equipamento urbano e serviços de apoio, em articulação com a marginal de Olhão bem como a criação de um espaço multiusos, devidamente infraestruturado, destinado à realização de feiras, exposições, concertos e outros eventos ao ar livre;
- Criação de percursos ribeirinhos e interpretativos, pedonais e cicláveis, em torno das salinas adjacentes.














Como amiúde somos acusados de boateiros, trazemos hoje, a transcrição da página da Sociedade Polis Litoral da Ria Formosa, onde se pode ver o projecto de intervenção para a Zona Poente de Olhão e com o qual Pina estava de acordo, tendo-o aprovado em 2011 e que custou a módica quantia de 160.000 euros, agora jogados fora com as novas ideias de construção de um novo resort naquele espaço.
Acontece que aquela área está classificada como Parque Natural e Rede Natura 2000 e aí em frente é possível observar o Caimão, símbolo do Parque Natural da Ria Formosa e uma espécie protegida.
Para quem fez tanta questão de lutar em defesa do camaleão e do ambiente é no mínimo curioso que agora pretenda destruir aquele habitat e que certamente contará com a nossa oposição.
Tudo isto ocorre num momento em que o governo da geringonça pretende entregar às autarquias a gestão das áreas protegidas como as Reservas Ecológica e Agrícolas Nacionais. E para completar a destruição total de áreas protegidas, tal medida faz-se acompanhar da entrega da direcção das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional, responsável pelo ambiente, aos mesmos patifes.
E não podemos nem devemos esquecer que a tais medidas se juntam a gestão dos Espaços Ribeirinhos, até há pouco nas mãos da Docapesca.
No momento Pina pretende assumir também a liderança do Parque Natural de Ria Formosa para depois fazer muito bem o que quer e entende das áreas protegidas, entregando-as de seguida à ganancia dos patos  bravos que já afiam os dentes com o euromilhões que lhes saiu em sorte (política).
Para que o futuro do nosso concelho não passe pela ocupação de caixotes de betão onde se deve salvaguardar a natureza como base da sustentabilidade dos recursos naturais muito maltratados pelas entidades pouco publicas e responsáveis pela situação calamitosa em que se encontram, torna-se necessário derrotar este Pina nas próximas eleições autárquicas, apesar de não vermos qualquer trabalho da dita oposição nesse sentido.
Fora com o Pina!
 

1 comentário:

Anónimo disse...
Parece que a máscara de defensor do camaleão de António PIna está a cair pela base pois já no julgamento do Camaleão o advogado pago por António Pina com o nosso dinheiro, foi colocada na Barra do Tribunal ao Sebastião Brás Teixeira quantos camalões mataram as máquinas de destruição maciça nos Ilhotes do Coco e das Ratas.???
Mas o que fez António Pina presidente da CMOlhão nesse caso de demolições nesses ilhotes que pertencem ao concelho de OLhão??? NADA afianço eu nem acodiu às pessoas que tinham como 1ª habitaçao as casas nesses ilhotes.
Mas quando chegou a hora de demolir as casas na Ilha do farol que pertencem a Faro António Pina armou-se em defensor do camaleão e pagou a um advogado para interpor uma providência cautelar na defesa do Camaleão.Será que estava preocupado com a defesa do camaleão ou estava preocupado com a casa do pai tão ilegal como as que vão agora abaixo na orla costeira da Ria Formosa, e que o Pina e os seus lambe cus aplaudem chamando radicais a quem está contra essas demolições.
Não bastando isso agora esse criminoso ambiental que todos os dias envenena as aguas da Ria Formosa com esgotos tóxicos não tratados, quer fazer hoteis de charme em Habitats da galinha de agua que é símbolo do Parque Natural da Ria Formosa?
Saberá essa figura sinistra que TODA essa Zona é Rede Natura 2000 e faz parte da Rede Nacional das Áreas Protegidas?
É essa figura sinistra que faz parte da Administração do Polis Ria Formosa, que é um programa de renaturalização da Ria Formosa e não de destruição das Ria Formosa?
É essa figura destruidor a do ambiente na Ria Formosa o candidato do PS às autárquicas deste ano?



olhaolivre.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário