AVISO

OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá, obviamente, da minha aprovação que depende da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente, com a excepção dos que o sistema considere como SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam a apologia do racismo, xenofobia, homofobia ou do fascismo/nazismo.


sábado, 4 de março de 2017

Impasse político - Se unionistas e nacionalistas não se entenderem nas próximas três semanas, a Irlanda do Norte volta a ser governada diretamente por Londres



O impasse político promete continuar na Irlanda do Norte após as eleições mais disputadas desde o Acordo de Paz de 1998.
Os unionistas venceram novamente o escrutínio mas o Sein Fein alcançou o melhor resultado de sempre, com os dois partidos a ficarem separados por pouco mais de 1000 votos.
O Partido Democrático Unionista (DUP), da primeira-ministra Arlene Foster perdeu 10 deputados, acabando por ser penalizado pelo apoio que deu ao ‘brexit’ e pelo escândalo em torno de alegadas irregularidades num programa de incentivo à utilização de energias renováveis, que esteve na origem da cisão no executivo e provocou estas eleições antecipadas, 10 meses após o último escrutínio.
O Sein Fein, agora liderado por Michelle O’Neill, fica com apenas menos um deputado do que os unionistas e já disse que só entra no governo se Foster se afastar.
O Acordo de Paz obriga à partilha do poder entre os dois partidos mais votados. Se unionistas e nacionalistas não se entenderem nas próximas três semanas, a Irlanda do Norte volta a ser governada diretamente por Londres.
VÍDEO



pt.euronews.com

Sem comentários:

Enviar um comentário