AVISO

OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturasedesacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá, obviamente, da minha aprovação que depende da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente, com a excepção dos que o sistema considere como SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam a apologia do racismo, xenofobia, homofobia ou do fascismo/nazismo.


segunda-feira, 20 de março de 2017

Despedimentos coletivos diminuíram 22% em 2016


Dos 421 processos de despedimento coletivos realizados em 2016, quase todos foram desencadeados por micro e pequenas empresas

Desde 2008 que o mecanismo de despedimento coletivo não era tão pouco utilizado por empresas portuguesas. No ano passado, 421 empresas fizeram despedimentos coletivos para dispensar 4712 trabalhadores. Por comparação com números de 2015, o número de despedimentos coletivos caiu 22%, conta o “Diário de Notícias” esta segunda-feira.
Dos 421 processos de despedimento coletivos realizados em 2016, a grande maioria foi desencadeada por micro e pequenas empresas – uma tendência recorrente nos últimos anos.
Segundo os dados da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho, 2016 foi o ano em que a diferença entre o universo de trabalhadores sinalizados para serem despedidos e aqueles que efetivamente o foram mais se acentuou. Nos últimos anos, os despedidos equivaliam a cerca de 93% dos sinalizados, mas em 2016 foram 84%.

Sem comentários:

Enviar um comentário