AVISO

O administrador deste blogue não é responsável pelas opiniões veiculadas por terceiros, nem a sua publicação quer dizer que delas partilhe, apenas as publica como reflexo da sociedade em que se inserem, dando-lhes visibilidade, mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia de situações menos claras do ponto de vista ético.

Atenção este blog tem tradutor se quiser traduzir clique com o botão direito do rato ou procure o tradutor no fim da publicação e clique onde diz traduzir para português ou outro idioma.


sábado, 18 de março de 2017

A VIGARICE A A BRUXARIA AFINAL SÃO PREFERÊNCIAS DO PAPA XICO - Papa Francisco defende os exorcismos


O papa Francisco recomendou ontem aos sacerdotes 

que não hesitem em recorrer a exorcistas quando testemunharem uma grande 

inquietação espiritual durante o acto da confissãoPapa Francisco defende os exorcismos


O papa Francisco recomendou ontem aos sacerdotes que não hesitem em recorrer a exorcistas quando testemunharem uma grande inquietação espiritual durante o acto da confissão.
Um bom confessor deve ser "um homem de discernimento", especialmente quando é confrontado com "verdadeiras perturbações espirituais", sublinhou o pontífice durante uma formação para sacerdotes promovido pela Penitenciaria Apostólica, um dos três tribunais do Vaticano.
O papa recordou que uma grande parte destes transtornos tem uma natureza "psicológica" e, como tal, tais casos devem ser acompanhados "através de uma colaboração saudável com as ciências humanas".

No entanto, segundo referiu Francisco, o confessor "não deve hesitar em consultar", no seio da respetiva diocese, "exorcistas (...) escolhidos com muito cuidado e prudência".
O exorcismo, que Jesus terá realizado segundo a tradição dos Evangelhos, consiste em orações e cerimónias do prelado ou do sacerdote para ordenar ao demónio que deixe a pessoa "possuída".
A prática não é reconhecida e nem apreciada por todos no seio da Igreja Católica.


www.sabado.pt

Sem comentários :

Enviar um comentário