NOTA

OS TEXTOS ASSINADOS POR OUTRÉM OU RETIRADOS
DE OUTROS BLOGUES OU SÍTIOS NÃO REFLECTEM NECESSÁRIAMENTE
A OPINIÃO OU POSIÇÃO DO EDITOR DO "desenvolturasedesacatos"

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Três Músicas Que Marcaram A Primeira Grande Guerra


Durante as guerras algumas armas culturais são utilizadas para defender e contrariar a sua realização. Bandas como Metallica,System Of A Down e The Black Eyed Peas se mostraram contra a guerra entre Estados Unidos e Iraque, gravaram músicas, ganharam milhões e provavelmente influenciaram as opiniões de muitos de seus fãs.

Aqui três músicas famosas durante a Primeira Grande Guerra – ou Primeira Guerra Mundial, como preferir.
  1. Over There – George M. Cohan
Over There
Como muitas canções daquela época, Over There fazia uma apologia  ao alistamento dos jovens no exército americano. A letra veio à cabeça de George durante uma viagem de trem, ao ouvir os Estados Unidos declarar guerra à Alemanha.
Algum tempo depois Cohan foi condecorado pela criação desta música, e algumas outras, pelo presidente Roosevelt, ganhando a Congressional Gold Medal, o maior prêmio que um civil pode conquistar nos Estados Unidos.
Esta música também foi utilizada num episódio dos Simpsons, quando o pai de Homer está cuidando de Bart e Lisa, na segunda temporada do desenho.

  1. It’s A Long, Long Way To Tipperary – Jack Judge
It's_a_Long_Way_to_Tipperary_-_cover
A primeira citação relacionando esta canção ao conflito aconteceu  num jornal chamado Daily Mail – que existe até hoje na Terra da Rainha –, pelo correspondente George Curnock. Na matéria,o jornalista noticiava que estavam regendo o Connaught Rangers – (agora pare que esse travessão vai ser longo) um exército irlandês, na verdade, a parte irlandesa do exército britânico, famoso durante a Guerra Peninsular (1807 – 1814) por serem fanfarrões e aprenderem só observando  enquanto eles marchavam em direção a uma cidade no norte da França, com a criação de Judge, em 13 de agosto de 1914.
Não demorou muito e outras unidades do exército britânico adotaram o mesmo sistema, porém a música só ganhou o mundo quando gravada pelo  John McCormack 
Diferente das músicas dos nossos amigos da Terra da Liberdade, os britânicos, em suas canções sobre a guerra, cantavam a espera e o longo caminho feito dos campos de batalha até suas respectivas casas. Não sei se isso seria mais nobre ou mais indiferente.

 It's_a_Long_Way_to_Tipperary_-_cover
  1. I Didn’t Raise My Boy to Be a Soldier – Alfred Bryan e Al Piantadosi
Vocês tem noção do quão badass é dizer, “eu não criei meu filho para ser soldado”, nos Estados Unidos pré-Primeira Guerra Mundial? É por isso que essa é minha música favorita quando se fala da tal guerra.
Para vocês terem uma pequena noção, o presidente Roosevelt ficou tão irritado com a música que dizem que ele fez o seguinte comentário:
“[…] pessoas estúpidas que aplaudiram a canção intitulada ‘I Didn’t Raise My Boy To Be A Soldier’ (Eu Não Criei Meu Filho Para Ser Soldado) são as mesmas que, em seus corações, aplaudiriam uma música intitulada ‘I Didn’t Raise my Girl To Be A Mother’ (Eu Não Criei Minha Filha Para Ser Mãe)”
A questão é que o impacto desta canção em especial foi imenso, os movimentos antiguerra começaram a aparecer e a adotaram como hino, e, com o passar do tempo, a música também se tornou um sucesso em lugares já em guerra, como o caso do Reino Unido.
Aliás, esta música  gera discussões até hoje sobre a frase que dá seu título

www.iluminerds.com.br

Sem comentários:

Enviar um comentário