AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 24 de dezembro de 2016

psd não é de direita


ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE A 1ª GUERRA MUNDIAL



41-01-Primeira-Guerra-Mundial
A Primeira Guerra Mundial começou em 28 de julho de 1914 e durou até 11 de novembro de 1918. Na guerra, mais de 70 milhões de militares, incluindo 60 milhões de europeus, foram mobilizados em uma das maiores guerras da história. A guerra teve um grande marco no mundo e deixou várias histórias curiosas que as pessoas adoram ouvir.
Para você que gosta de curiosidades sobre guerras. nós fizemos uma pesquisa vasta pela internet e tentamos selecionar as curiosidades mais insanas de bizarras sobre a Primeira Guerra Mundial, e existem algumas dela que vão deixar vocês impressionados. Então, confira agora a nossa lista com 10 curiosidades insanas e sangrentas sobre a Primeira Guerra Mundial, veja:


1 – Soldados britânicos não usavam capacetes

Publicidade
Quando a guerra começou, os soldados britânicos entraram em combate com apenas um boné de pano para proteçao Felizmente, os capacetes de aço foram introduzidos em 1915. O exército alemão não gostou muito da ideia porque os capacetes eram desconfortáveis, mas sabiam que tinham de usar para protegê-los.
galipoli-desembarque-soldados-britanicos-praia


2 – Ferimentos faciais


Muitas pessoas sofreram ferimentos faciais na primeira guerra mundial e como os médicos ainda não eram especialistas em cirurgia plástica, alguns artistas começaram a criar máscaras de cobre para ocultar as lesões. As máscaras foram feitas e pintadas para combinar com o tom de pele de cada soldado e faziam até cílios com metal enrolado.

shiloh-confederate-soldiers

3 – Zeppelins

article-2117162-123C3BCA000005DC-458_966x609

Aviões ainda eram muito novos no ao de 1914 e por isso, os alemães faziam os bombardeios em Londres usando os famosos Zeppelin. Os canhões britânicos tentaram derrubá-los, mas as balas não causavam nenhum dano. Em 1917, novas balas foram inventadas e conseguiram causar uma explosão usando o gás do Zeppelin, e eles não foram mais problemas para os britânicos.


4 – Americanos e afro-americanos serviram a guerra

Apesar do fato de que os afro-americanos não teriam conseguido a cidadania nos Estados Unidos até 1924, cerca de 13.000 nativos americanos lutaram na guerra, cerca de 200.000 afro-americanos também serviram, mas penas 11% em combate e em divisões separadas.

black-soldiers-2


5 – Uma explosão no campo da França foi escutado em Londres

s_w33_10119027_thumb2

Quando a guerra se alastrou, estava acontecendo algo diferente em baixo da terra. Um grupo de mineiros, operando em total sigilo, cavaram vários túneis para plantar bombas e detonar em baixo do inimigo. Grande parte da linha de frente da Alemanha foi destruída e as explosões foram ouvidas 140 milhas de distância pelo primeiro-ministro britânico em Downing St.


6 – As mulheres ficaram com a pele amarela

wwomen-farm_2994112k

Enquanto os homens iam para a guerra, mais de um milhão de mulheres tomaram a frente no mercado de trabalho. Elas trabalhavam longas horas, em condições precárias e com produtos químicos perigosos. As chamadas “canárias” eram as mulheres que trabalhavam com TNT, que causava ictéria tóxicas e deixavam a pele das mulheres amarela.


7 – O pombo Cher Ami

13

Em 1918, um pombo chamado Cher Ami, um dos cerca de 100.000 pombos-correio usados durante a guerra, conseguiu salvar 500 soldados americanos. Apesar de ter sido baleado por soldados alemães, o pombo conseguiu entregar a mensagem aos soldados que tinham sido contados por trás das linhas inimigas. Ele perdeu um olho e uma perna, mas os médicos do exército americano salvaram a vida dele e ainda fizeram uma perna de madeira.


8 – Máscaras para gás

Não existia máscaras eficazes contra gases tóxicos no início da guerra. A única proteção dos soldados contra ataques com gás eram um pano, muitas vezes trapos velhos, como uma meia velha, molhados em sua própria urina.

Art-Craft-Resin-Handcraft-CS-Fallout-Terrorist-font-b-Mask-b-font-Ghost-Radiation-font-b


9 – Escassez de alimentos


7e54f790-e1d8-11e3-84ab-454c842bb745_8
Devido a escassez de alimentos, os britânicos foram proibidos de jogar arroz nos casamentos e alimentar os pombos. Eles também foram proibidos de falar ao telefone e uma língua estrangeira, a comprar binóculos e chamar um táxi à noite.


10 – O soldado britânico mais novo

9jul2014--em-foto-sem-data-da-primeira-guerra-mundial-soldados-franceses-ajudam-companheiro-ferido-durante-a-batalha-do-somme-proxima-ao-rio-somme-na-picardia-franca-1404934596588_726x500

Sidney Lewis tinha apenas 12 anos quando mentiu sobre sua idade e se juntou ao exército durante a Primeira Guerra Mundial. Ele foi um dos milhares de meninos menores de idade que se alistaram e acabaram lutando ao lado de adultos. Alguns eram motivados pelo patriotismo e outros eram como se fosse uma fuga de suas vidas pobres e tristes.

esquadraobr.blogspot.pt

SABIA QUE.....


O Galgo é um cão espanhol usado por caçadores na Espanha. É tradicional na Espanha no final da temporada de caça, os caçadores matarem os seus cães, pois eles não querem cuidar deles quando a caça está temporariamente fechada.
Parece uma tradição de outro mundo, mas infelizmente, esta tradição ainda está muito viva entre os caçadores espanhóis.
A maneira mais tradicional de os caçadores matarem os seus cães é pendurá-los em uma árvore. Os animais morrem numa prolongada e assustadora agonia.
www.adestramento-rio.com.br

A Origem da Sauna



A sauna é uma das terapias mais relaxantes e benéficas para o corpo humano. Essa técnica é bastante antiga e foi criada oficialmente na Finlândia, apesar de já existir de forma rústica em antigas civilizações.

Entre os benefícios diretos da sauna estão: limpeza da pele, eliminação de toxinas, relaxamento físico e mental, entre outros. Os banhos de sauna são extremamente agradáveis e, por isso mesmo, eles têm sido utilizados desde os tempos mais remotos por vários povos.

A história da sauna

Segundo relatos históricos, os povos egípcios foram os responsáveis pelos primeiros registos da sauna no ano 4.000 a.C. Outros povos, como os fenícios, os chineses e os árabes, também empregavam a técnica do chamado banho de vapor.
Desde o princípio, a sauna já era usada para tratamentos de saúde e relaxamento. Estes banhos terapêuticos eram recomendados para ressaca, insônia, estresse, artrite, reumatismo, sinusite, para a pele, para combater o envelhecimento precoce, entre outros sintomas.
Na Finlândia, a sauna seca surgiu com povos nómadas e tornou-se um símbolo do país. Hoje, existem mais de 2,2 milhões de saunas espalhadas pela Finlândia, e estes ambientes são considerados sagrados, um espaço para purificar o corpo e a alma.
Anos depois da criação da sauna seca pelos finlandeses, surgiu a sauna a vapor na Grécia antiga, técnica que foi aprimorada pelos turcos com o uso de caldeirões de bronze cheios de água, o chamado banho turco.

Uma terapia popular

A sauna foi e ainda é uma terapia popular entre diversos povos. Desde o tempo do Grego Hipócrates, já havia uma suposição de que as altas temperaturas eram eficazes para tratar qualquer doença.
Pessoas na Sauna
Actualmente, sabe-se que essa técnica é positiva para a inalação, eliminando a secreção dos pulmões e do nariz. A terapia só não é recomendada para pessoas com problemas cardíacos.

Relaxamento em altas temperaturas

A tradição do banho de sauna manda as pessoas passarem por um choque térmico depois da exposição às altas temperaturas. O choque térmico, feito por um banho gelado, seria responsável por benefícios ao sistema circulatório.
Algumas saunas utilizam o banho de calor com ervas e aromas no ambiente. Em algumas regiões, o costume determina que homens e mulheres tomem o banho de sauna separados, para que possam frequentar o ambiente sem roupas.

Img - A Origem da Sauna
www.sitedecuriosidades.com

QUAL O MAIS INTELIGENTE ? O CÃO OU O GOLFINHO ?

Os golfinhos sociáveis, brincalhões e comunicativos são amplamente considerados como os segundos animais mais inteligentes após os humanos. Mas nos últimos anos cresceu o interesse pela capacidade cognitiva dos cães e os pesquisadores de centros especializados dizem que no cérebro dos cães acontecem muito mais coisas do que se cria, possibilitando questionamentos se já não é o momento de considerá-los pessoas não-humanas.

Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
O caso é que em alguns testes cognitivos, de fato, os cães superam os grandes símios e golfinhos demonstrando que têm capacidade digna de ser considerada e que nos permitem entender melhor como funciona a inteligência animal. Mas então, o que diz a ciência? Podem os cães serem rivais intelectuais dos golfinhos?

Entender os humanos

- "Há muitas evidências de que os cães têm mais habilidade do que os primatas para interpretar as intenções comunicativas de uma pessoa", diz Laurie R. Santos, uma psicóloga da Universidade de Yale, EUA, que estuda primatas e cães para entender melhor a mente humana.

- "Eles entendem que as pessoas tentam comunicar informação e usam esses sinais comunicativos melhor do que os primatas".
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Essa habilidade dos cães faz com que sejam dos poucos animais que compreendem o que os humanos querem dizer quando assinalam algo. Nem sequer os chimpanzés olham para além da ponta de um dedo quando uma pessoa assinala um prato de comida. Um cão pode usar o sinal do dedo e a direção do olhar como pistas para localizar objetos. Esta capacidade é muito pouco habitual no reino animal, ainda que os golfinhos também tenham.

Vocabulário

Mas há uma façanha cognitiva em que os cães superam a quase todos os animais. Segundo os psicólogos estadunidenses que treinam Chaser, uma cadela Border Collie, ela pode entender mais de 1.000 palavras utilizadas para denominar seus brinquedos. Quando pedem que traga Bamboozle, um cavalo laranja, Chaser o distingue facilmente entre outros vários objetos.
VÍDEO

Kanzi o bonobo, um famoso símio treinado no uso da linguagem, atinge um vocabulário de menos da metade de palavras que o de Chaser.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
E os golfinhos prodigiosos do Laboratório de Mamíferos da Base Marinha de Kewalo só manejam 40 palavras. Os cães ganham longe, ao que parece, se o caso for aprender o significado de símbolos individuais.

Mais de 1.000 palavras

Diferente dos cães, parece que os golfinhos são bons resolvendo problemas. Em um experimento, pediram que buscassem uma série de pesos espalhadas em uma piscina para colocar sobre uma caixa e assim conseguir uma recompensa (um alimento). Quase de imediato, os animais tiveram a ideia de recolher todos os pesas ao mesmo tempo em vez de colocar uma a uma sobre a caixa. Isto sugere que os golfinhos planejam seu comportamento e reflexionam sobre possíveis soluções.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Ademais, os golfinhos encontram-se entre os poucos animais que entendem que estão vendo a si mesmos quando estão em frente a um espelho -outros são os chimpanzés, os elefantes e os corvos-.

Os pesquisadores usaram o teste de auto reconhecimento no espelho para ver se os animais compreendem que existem como entes separados no mundo -agentividade-, com seus próprios pensamentos e mentes. Este nível de consciência de si mesmos abre a porta a uma maior flexibilidade ante problemas novos ou quando se trata de averiguar o que ocorre na mente de outros animais.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Os cães, por sua vez, não passam neste teste de inteligência em particular.

Uma questão de inteligência

À primeira vista, a capacidade de resolver problemas dos golfinhos e a consciência de si mesmos podem suscitar evidências que apóiam que estes encantadores mamíferos são mais inteligentes que os cães. Mas é mais inteligente alguém bom para resolver equações algébricas do que alguém que pode determinar rapidamente as motivações de outros?
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Para começar, o conceito de inteligência humana em uma mistura mal definida de várias habilidades cognitivas, e os esforços para avaliá-la, como os teste de QI, são controversos. Ser capaz de recordar dados é um sinal de inteligência? É mais ou menos importante que o razoamento lógico? Inclusive se existisse uma definição de inteligência humana constante e universalmente aceita, por que teria que ser aplicado a outros animais?

Odiosas comparações

Os cães foram criados para viver em um meio gerado pelo homem: são particularmente adeptos a ler os indícios sociais humanos. Os talentos com os quais sobressaem -entender quando assinalam algo ou identificar objetos- são em grande parte resultado de que os humanos passamos milhares de anos educando os para que entendam conceitos importantes para nós. Em outras palavras eles são moldados segundo nossa definição de inteligência.

Por outro lado, os golfinhos desenvolveram suas habilidades cognitivas em um mundo não alterado pelos humanos. Ainda assim, parecem-nos inteligentes porque seu complexo comportamento social recorda-nos a nós mesmos. Os golfinhos são talvez os animais não primatas mais parecidos aos humanos, e por isso precisamente são considerados inteligentes.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Mas o cérebro de um golfinho evoluiu para produzir um comportamento que o ajude a lidar com problemas de golfinhos. Isso inclui a capacidade para encontrar peixes enterrados na areia com ecolocalização ou dormir só com metade do cérebro por vez para poder subir a respirar à superfície.

Outra forma de pensar

O modo que um golfinho "pensa" é resultado direto de suas necessidades físicas, sociais e ecológicas, assim como os cães. Como cada espécie tem necessidades diferentes, cada uma tem uma forma única de pensar.

Um exemplo de por que inteligência é um termo tão problemático é como as diferentes espécies desempenham em testes de permanência do objeto. Esta é a capacidade de entender que as coisas continuam a existir mesmo quando não possam ser vistas, ouvidas ou tocadas, algo que os humanos conseguem aos 2 anos e que não supõe um problema para os grandes símios.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Em uma versão do teste, mostram, por exemplo, uma bolinha ao animal, que depois é colocada em uma caixa e coberta com uma manta. Se o animal compreender a permanência do objeto, deveria ser dado conta de que a bolinha está debaixo da manta. No entanto, nem cães nem golfinhos conseguem passar no teste. Isso quer dizer que são menos inteligentes? Poderia, em vez disso, indicar que pensam diferente.

Olfato e ecolocalização

Os cães vivem em um mundo de cheiros, e seu entendimento dos objetos implica em parte rastros químicos que permanecem durante horas ou dias. Talvez, então, as coisas que não estão presentes à vista seguem tendo para eles uma presença química. Isto pode fazer com que seja difícil entender o que os pesquisadores pedem.

Os golfinhos, por sua vez, têm um sentido extra que pode fazer com que o conceito de permanência do objeto seja complicado. São capazes de ver através de alguns materiais ao penetrá-los com ondas de som. De modo que um peixe escondido na areia pode ser invisível para o olho, mas detectável para um golfinho ecolocalizador. Por isso, talvez os objetos nunca em verdade desaparecem para os golfinhos.
Quem são mais inteligentes, os cães ou os golfinhos?
Em definitiva, tem tanto sentido perguntar-se um animal é mais inteligente do que outro como o de perguntar se um martelo é melhor ferramenta que um alicate. A resposta depende da tarefa que devem realizar.


www.mdig.com.br

As assimetrias regionais em Portugal

No estudo com o título "AS ASSIMETRIAS REGIONAIS EM PORTUGAL: um país que continua profundamente desigual. E A SITUAÇÃO NO MONTEPIO" analiso, utilizando dados do INE, as desigualdades profundas que continuam a existir entre as diferentes regiões e concelhos do país que são, em mutos casos, superiores às que existem entre Portugal e os países mais desenvolvidos da Europa.
Tal facto contribui para uma profunda desigualdade nas condições de vida dos portugueses a viver no mesmo país.
E apesar da criação recente de uma "unidade de missão para a valorização do interior" pelo atual governo, e desta ter já apresentado um vasto conjunto de medidas de boas intenções (são 164 medidas/intenção, sem contar outros desafios e objetivos), corre-se o risco dos seus efeitos serem muito reduzidos devido à falta de afetação de meios (o único que tem alguns meios - o Portugal 2020 - na aprovação dos projetos não estar a ter em conta as profundas desigualdades regionais como mostro).
Mapa Portugal4

Neste estudo, utilizando dados sobre o «Poder de compra concelhio» do INE, mostramos que:

  • (1) Continuam a existir grandes desigualdades no poder de compra dos portugueses a viver nos diferentes concelhos do país (em 2013, e são os últimos dados disponíveis, segundo o INE, o poder de compra médio de um habitante do concelho de Lisboa, o concelho mais desenvolvido, era ainda 3,7 vezes superior ao de um habitante do concelho de Cinfães, que era o concelho menos desenvolvido do país);
  • (2) A soma do poder de compra dos habitantes do concelho de Lisboa correspondia, em 2013, a 10,2% do poder de compra da população de todo o país (o concelho do Porto representava apenas 3,62%);
  • (3) Entre 2007 e 2013, a desigualdade de poder de compra entre os portugueses a viver nos diferentes concelhos diminuiu não porque a riqueza criada no país tenha aumentado e beneficiado mais os habitantes dos concelhos menos desenvolvidos (entre 2007 e 2013, o PIB real por habitante diminuiu 7% no nosso país), mas devido à redução muito significativa do poder de compra dos habitantes dos concelhos mais desenvolvidos, quando comparado com a média nacional, devido ao disparar do desemprego, ao congelamento e mesmo redução de salários que atingiram mais estes concelhos;
  • (4) Apesar de constar do programa do atual governo a criação de “uma unidade de missão para a valorização do interior, na dependência direta do Primeiro-Ministro”, esta “unidade” só foi criada em Nov.2016 (Resolução do Conselho de Ministros 72/2016) com muitas boas intenções mas sem meios como se conclui da análise da Resolução e da execução do “Portugal 2020”.

«As diferenças de poder de compra e, consequentemente, de nível de vida entre portugueses a viver nos diferentes concelhos do país é, em muitos casos, maior que as diferenças existentes entre Portugal e os países mais desenvolvido da União Europeia.
Destas últimas, fala-se e critica-se, mas das primeiras pouco se fala e muito pouco se faz para as eliminar.
Os diversos governos fazem promessas que constam mesmo dos seus programas mas cujos resultados, depois, são de efeitos reduzidos ou mesmo nulos país.»

Assimetrias_1
Assimetrias_2
Assimetrias_3


ocastendo.blogs.sapo.pt

AOS PAPO-SECOS


Primeiro fizeram algumas tentativas para apanhar o terrorista de Berlim, avançaram mesmo alguns nomes. Todos falhados. Total desorientação da melhor polícia do mundo e arredores. Acontece nas melhores famílias.
E os papo-secos seguem os acontecimentos estupefactos.
Passou um tempito, os génios foram para os laboratórios sofisticados de contra-informação e, coincidentemente, deu-se MAIS UM DESCUIDO de um terrorista. Não é que o muçulmano, é claro, tinha-se esquecido (também ele) da sua documentação identificativa no banco do camião. Cada vez a malta nova se queixa mais de problemas de memória (já com o meu filho é o mesmo).
E os papo-secos assimilam, maravilhados, o discernimento policial.
Mas o melhor estava para vir. Nem Clint Eastwood realizaria uma destas cenas com a necessária credibilidade cinematográfica. O condutor do camião de Berlim conseguiu, em tempo fulminante, passar por meia Alemanha, que o procurava em cada beco, atravessar a Suiça, entrar na França e dar uma guinada para a esquerda até Turim, donde apanhou um comboio para Milão.
E, ainda, a perplexidade manifestada no fácies dos papo-secos desta vida.
Então, não é que não sabendo quem era o homem, afinal, a polícia alemã estava em contacto com a italiana para assim que vissem o terrorista o pudessem matar imediatamente. Dirão vocês que matar cidadãos, mesmo fugidos à justiça, não é o “metier” policial por excelência. Pois não, respondo eu. Então porque não prenderam o homem? Calculo que a “operação” policial contasse com várias dezenas de super- operacionais (ao que nos dizem) no local e o Gary Cooper estivesse sozinho.
Assassinaram-no com a vertigem islamizada por meta, porquê? Na ignorância que possuo destas coisas dos senhores da guerra, questiono que se o homem fosse apanhado vivo, não haveria a possibilidade de se saber mais?
É a hora dos papa-secos irem dormir, exaustos.
Guilherme Antunes (facebook)

SEM EFEITOS DE NATAL


PARA LÁ DO 25 ABRIL O CORRER COM A DIREITA FASCISTA DO PODER FOI A MAIOR CONQUISTA PARA O POVO PORTUGUÊS.

A REPOSIÇÃO DOS DIREITOS NÃO FOI UM "FAVOR" POIS ESTÃO CONSAGRADOS NA CONSTITUIÇÃO E TINHAM SIDO ROUBADOS AO LONGO DOS TEMPOS PELOS GOVERNOS SUCESSIVOS DO PS/PSD/CDS/CAVACO.

NÃO PODEMOS ANDAR A SONHAR COM UMA MUDANÇA DENTRO DO PS POIS INFELIZMENTE TUDO NOS DIZ QUE CONTINUARÁ A DAR-NOS DESGOSTOS E A SER IGUAL A SI PRÓPRIO, UM PARTIDO ALIADO AO CAPITAL.

NÃO PODEMOS ANDAR A SONHAR COM UMAS FORÇAS ARMADAS PARA NOS SALVAREM POIS O CONTEXTO POLÍTICO SOCIAL DE HOJE NÃO É O MESMO DE 1974.

NÃO PODEMOS ANDAR MERAMENTE REIVINDICANDO QUE SE TOMEM MEDIDAS ECONOMICISTAS ÀS "MIJINHAS" ENQUANTO O PODER, A FORÇA DOS TRABALHADORES SE VAI DETERIORANDO COM O FECHO DE FÁBRICAS, EMPRESAS E A DESTRUIÇÃO DE EMPREGO.

QUE TEM O POVO ?
A VERGONHA DO DESEMPREGO, SALÁRIOS MISERÁVEIS, JUSTIÇA SÓ PARA OS RICOS, CORRUPÇÃO, FALÊNCIAS FRAUDULENTAS, FUGA DOS GRANDES MONOPÓLIOS AOS IMPOSTOS, SAÚDE PRECÁRIA, TRABALHO PRECÁRIO, EDUCAÇÃO À CRATO ?

HÁ QUE LUTAR PELO PODER POLÍTICO DE QUEM REPRESENTE OS QUE TRABALHAM, OS QUE SEMPRE PRODUZIRAM E SEMPRE FORAM ARREDADOS E TRAÍDOS NAS SUAS ASPIRAÇÕES POR UMA VIDA MELHOR E COM DIGNIDADE.

QUARENTA E DOIS ANOS SE PASSARAM DEPOIS DO 25 DE ABRIL.

QUASE MEIO SÉCULO IGUAL AO QUE DUROU A DITADURA SALAZARISTA/MARCELISTA.

O POVO CONTINUA SEM NADA ! ENGANADO E MANIPULADO PELAS MÃOS DOS NEO LIBERAIS/FASCISTAS, DO IMPERIALISMO E DO DIRECTÓRIO CAPITALISTA DA UE.

CHEGA !
HÁ QUE ABRIR A PESTANA DE VEZ !


António Garrochinho

Marcelo admite que contribuintes poderão ter de pagar BES



A solução para os lesados do Banco Espírito Santo (BES) é "um veículo privado", fora da esfera do Estado, mas pode implicar "algum pequeno custo" para os contribuintes, reconhece o presidente da República.
.

Marcelo Rebelo de Sousa considerou, esta sexta-feira, em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, que a solução apresentada não é "a solução ideal", mas "diminui a situação de sofrimento e de penosidade" dos lesados do BES.

Quanto a um eventual impacto no défice, o chefe de Estado disse que, "para já, sendo um veículo privado, não se coloca o problema de ir ao défice deste ano ou do próximo ano".

A prazo, no entanto, "se houver custo para os contribuintes, como é uma realidade extraordinária, pode não ser considerada pela Comissão Europeia para efeitos de défice excessivo".

A gestão do processo "está prevista para três anos. Depois se verá se há uma diferença negativa. Se houver, pode significar algum pequeno custo em termos de contribuintes. Se não houver, não haverá custo para os contribuintes", prosseguiu.

Na segunda-feira, dia em que o Governo anunciou a solução para os lesados do BES, o presidente da República foi questionado sobre o assunto, mas disse que ainda não conhecia os termos do acordo e que, antes de fazer qualquer comentário, queria perceber exatamente qual era "o esquema em termos de financiamento".

Esta sexta-feira, interrogado novamente sobre este tema, declarou: "É um compromisso do Governo que é cumprido. Por outro lado, não sendo uma solução ideal, e deixando às pessoas a hipótese de ir para tribunal, se quiserem, é para muitos uma forma de não esperar por processos que não se sabe quando terminarão".

* Os contribuintes portugueses já pagam as vigarices de Ricardo Salgado e família há vários anos.

apeidaumregalodonarizagentetrata.blogspot.pt

O falso problema da dívida pública


 


VÍDEO


A esquerda que faz da reestruturação da dívida pública o eixo do seu discurso comete um erro estratégico: sugere ao povo que um dos sintomas da crise é a causa da própria crise. Como o povo não é estúpido, evidentemente suspeita de que não lhe querem dizer a verdade toda.

No fim de contas, o discurso é pouco convincente porque toda a gente percebe que dentro do euro nada de relevante se fará a respeito da dívida - nem depois das eleições alemãs, das últimas, das próximas ou das futuras - e fica-se com a sensação de que a omissão da causa da crise - a participação na zona euro e o seu bloqueio ao desenvolvimento do país - se deve a receios e divisões ideológicas internas. Enquanto não tivermos em Portugal uma grande coligação política - uma frente de libertação do euro - a dizer sem papas na língua que o euro nos tornou um protectorado da Alemanha, não haverá luz ao fundo do túnel.

 ladroesdebicicletas.blogspot.pt

24 de Dezembro de 1871: Estreia-se, no Cairo, a ópera "Aida", de Giuseppe Verdi

Em 24 de Dezembro de 1871 estreou no Cairo a ópera "Aida", de Giuseppe Verdi. Encomendada para a inauguração do Canal de Suez, ela só ficou pronta dois anos depois da inauguração.

As descobertas  arqueológicas no Egipto em finais do século XIX, desencadearam uma espécie de egiptomania na Europa. Esse fascínio pelo país dos faraós encontrou a sua apoteose musical na ópera Aida.

Nessa época, crescia também a influência europeia no Egipto, marcada pela construção do Canal de Suez. Em 1869, Ismael Pasha, vice-rei egípcio, encarregou o egiptólogo Auguste Mariette de encomendar a Giuseppe Verdi a composição de uma ópera para a inauguração do Teatro Real do Cairo durante as festividades de abertura do canal.

Verdi, porém, não entregou a ópera no prazo previsto (Pasha contentou-se com uma apresentação de Rigoletto) e o mundo teve que esperar até o Natal de 1871 pela obra monumental do compositor italiano.


Unidos na morte


A acção desenrola-se no antigo Egipto, tendo como personagem principal uma escrava etíope (Aida) que serve a filha do faraó, Amneris. Aida apaixona-se pelo jovem guerreiro Radamés, comandante dos exércitos do pai de Amneris, que promete resgatá-la do cativeiro. Pelasuas proezas de guerra, Radamés conquista a mão de Amneris, que vê uma rival em Aída.

Ao revelar, acidentalmente, um segredo militar, Radamés é acusado de traição e condenado a ser enterrado vivo, sem que Amneris possa impedir a execução da pena. Aida, que supostamente teria escapado com o seu pai, surge das sombras da câmara mortuária de Radamés para compartilhar o seu triste destino. Assim, um drama que poderia ter um tom nacionalista transformou-se na história dos amantes que, acima de todas as paixões, têm a sina de perpetuar o seu amor, ao compartilhar a passagem ao mundo dos mortos.

A ópera baseou-se num texto do próprio Mariette, reescrito por Camille Du Locle e transformado em libreto pelo italiano Antonio Ghislanzoni. Verdi compôs a música em apenas quatro meses. Ajustada à estrutura tradicional da época, em quatro atos, Aida não é uma epopeia dos feitos militares do Egipto. Apesar dos cenários grandiosos e triunfais, a obra conserva também um carácter íntimo, ao falar do indivíduo e das suas paixões.

A estreia no Cairo já estava prevista para Janeiro de 1871, mas foi impedida por conflitos internacionais. Como a França estava em guerra com a Prússia, os figurinos e cenários, produzidos na Paris sitiada, demoraram quase um ano para chegar à capital egípcia. Apesar do atraso, Aida teve uma excelente repercussão junto ao público e da crítica. Em 1872, foi levada para Milão, iniciando um triunfo que dura até hoje.


Giuseppe Verdi


Giuseppe Verdi foi o mais famoso compositor italiano de óperas e um dos principais expoentes do canto lírico mundial. Nascido em 9 (ou 10) de Outubro de 1813, filho de um dono de albergue em Parma, Verdi foi um autodidacta. Em 1839 já estreava no Scala de Milão com Oberto. Os seus primeiros sucessos de público foram Ernani, baseada em Victor Hugo, Joana d'Arc, Átila e Macbeth, na qual investiu um ano de intenso trabalho.

Durante temporadas em Londres e Paris, compôs as suas obras de maturidade O trovador e La Traviata, de êxito mediano na época, mas que se tornariam clássicos. Após ter feito carreira como grande trágico, o autor de 27 óperas surpreendeu o mundo em 1893 com uma incursão no mundo da comédia. Aos 80 anos de idade, apresentou a hilariante e profunda Falstaff, baseada em As alegres comadres de Windsor, de William Shakespeare. Ao falecer em Milão, em 1901, Verdi era um dos grandes heróis nacionais italianos.


 Fontes:DW
wikipedia(imagens)  

                                                                          Cartaz de 1908

File:Aida poster colors fixed.jpg
File:Set design by Philippe Chaperon for Act1 sc2 of Aida by Verdi 1871 Cairo - Gallica (adjusted).jpg
Esboço do cenário por  Philippe Chaperon

VÍDEOS