AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Estrada entre Valados e Santa Bárbara de Nexe vai ser repavimentada


 

Santa Bárbara de Nexe 


A estrada entre Valados e Santa Bárbara de Nexe, no concelho de Faro, vai ser repavimentada. O contrato para a execução da obra já foi assinado, anunciou hoje a Câmara de Faro.

Segundo a autarquia, os trabalhos consistem na «repavimentação e nivelamento de todo o troço, no arranjo das bermas e na implementação de sinalização horizontal e vertical».

Para além do CM520-1, que liga Santa Bárbara de Nexe a Valados, também a Avenida da Venezuela vai receber trabalhos.

A obra, que está inserida no programa municipal “Faro Requalifica 1”, vai custar cerca de 169 mil euros +IVA e foi adjudicada à sociedade “José Barra & Filhos Lda.”. 

Segundo a autarquia, «com este investimento pretende-se melhorar as condições de segurança e conforto na circulação naquela via, também designada de Estrada Valados / Santa Bárbara de Nexe, a qual não recebia qualquer melhoramento há muitos anos».




www.sulinformacao.pt

O ESFORÇO HUMANO – Jacques Prévert

O ESFORÇO HUMANO – Jacques Prévert


VÍDEO
(dito por Serge Reggiani)


O ESFORÇO HUMANO


O esforço humano
não é aquele belo rapaz sorridente
de pé na sua perna de gesso
ou de pedra
graças aos pueris artifícios da estatuária
dando a ilusão imbecil
da alegria da dança e do júbilo
evocando com a outra perna erguida
o prazer do regresso a casa
Não
o esforço humano não traz uma criança no ombro direito
outra à cabeça
e outra no ombro esquerdo
as ferramentas a tiracolo
e a jovem esposa feliz de braço dado
O esforço humano tem uma cinta hernial
e as cicatrizes dos combates
travados pela classe operária
contra um mundo absurdo e sem lei
O esforço humano não tem casa
tem o cheiro do trabalho
e tem os pulmões destruídos
o seu salário é magro
os seus filhos também
trabalha como um negro
e o negro trabalha como ele
O esforço humano não tem boas maneiras
o esforço humano não tem a idade da razão
o esforço humano tem a idade das casernas
a idade dos reformatórios e das prisões
a idade das igrejas e das fábricas
a idade dos canhões
e ele que por toda a parte plantou todas as vinhas
e que sempre pagou as favas
alimenta-se de pesadelos
e embebeda-se com o vinho azedo da resignação
e como uma grande cobaia frenética
não pára de andar às voltas
num universo hostil
poeirento e abafado
e não pára de fabricar a cadeia
a terrível cadeia onde tudo se encadeia
a miséria o lucro o trabalho a carnificina
a tristeza a desgraça a insónia e o tédio
a terrível cadeia de ouro
de carvão de ferro e de aço
de escória e de poeira
que é posta ao pescoço
de um mundo desamparado
a miserável corrente
onde vêm pendurar-se
os berloques divinos
as relíquias sagradas
as cruzes de guerra e as cruzes gamadas
os indecorosos amuletos
as medalhas dos velhos lacaios
os atavios da desgraça
e a grande peça de museu
o grande retrato equestre
o grande retrato de pé
o grande retrato de frente e de perfil e ao pé-coxinho
o grande retrato dourado
o grande retrato do grande profeta
o grande retrato do imperador
o grande retrato do grande pensador
do grande prestidigitador
do grande moralizador
do digno e triste impostor
o rosto do grande maçador
o rosto do agressivo pacificador
o rosto policial do grande libertador
o rosto de Adolf Hitler
o rosto do senhor Thiers
o rosto do ditador
o rosto do carrasco
de qualquer país
de qualquer cor
o rosto odioso
o rosto infeliz
o rosto antipático
o rosto imundo
o rosto do medo.
 
(1900-1977) “Paroles
(tradução de Manuela Torres)
L’effort humain
L’effort humain
n’est pas ce beau jeune homme souriant
debout sur sa jambe de plâtre
ou de pierre
et donnant grâce aux puérils artifices du statuaire
l’imbécile illusion
de la joie de la danse et de la jubilation
évoquant avec l’autre jambe en l’air
la douceur du retour à la maison
Non
l’effort humain ne porte pas un petit enfant sur l’épaule droite
un autre sur la tête
et un troisième sur l’épaule gauche
avec les outils en bandoulière
et la jeune femme heureuse accrochée à son bras
L’effort humain porte un bandage herniaire
et les cicatrices des combats
livrés par la classe ouvrière
contre un monde absurde et sans lois
L’effort humain n’a pas de vraie maison
il sent l’odeur de son travail
et il est touché aux poumons
son salaire est maigre
ses enfants aussi
il travaille comme un nègre
et le nègre travaille comme lui
L’effort humain n’a pas de savoir-vivre
l’effort humain n’a pas l’âge de raison
l’effort humain a l’âge des casernes
l’âge des bagnes et des prisons
l’âge des églises et des usines
l’âge des canons
et lui qui a planté partout toutes les vignes
et accordé tous les violons
il se nourrit de mauvais rêves
et il se saoule avec le mauvais vin de la résignation
et comme un grand écureuil ivre
sans arrêt il tourne en rond
dans un univers hostile
poussiéreux et bas de plafond
et il forge sans cesse la chaîne
la terrifiante chaîne où tout s’enchaîne
la misère le profit le travail la tuerie
la tristesse le malheur l’insomnie et l’ennui
la terrifiante chaîne d’or
de charbon de fer et d’acier
de mâchefer et de poussier
passée autour du cou
d’un monde désemparé
la misérable chaîne
où viennent s’accrocher
les breloques divines
les reliques sacrées
les croix d’honneur les croix gammées
les ouistitis porte-bonheur
les médailles des vieux serviteurs
les colifichets du malheur
et la grande pièce de musée
le grand portrait équestre
le grand portrait en pied
le grand portrait de face de profil à cloche-pied
le grand portrait doré
le grand portrait du grand divinateur
le grand portrait du grand empereur
le grand portrait du grand penseur
du grand sauteur
du grand moralisateur
du digne et triste farceur
la tête du grand emmerdeur
la tête de l’agressif pacificateur
la. tête policière du grand libérateur
la tête d’Adolf Hitler
la tête de monsieur Thiers
la tête du dictateur
la tête du fusilleur
de n’importe quel pays
de n’importe quelle couleur
la tête odieuse
la tête malheureuse
la tête à claques
la tête à massacre
la tête de la peur.
Jacques PRÉVERT
Via: voar fora da asa http://bit.ly/2avf7iX

O momento da Telma


INSURGÊNCIAS DE ESQUERDA LIDERADAS POR CORBYN E SANDERS NÃO DESAPARECERÃO, por DIANE ABBOTT




By joaompmachado


OBRIGADO A DIANE ABBOTT, THE GUARDIAN E CARTA MAIOR






Diane Abbott, Leftwing insurgencies led by Jeremy Corbyn e Bernie Sanders won’t melt away

The Guardian, 2 de Agosto de 2016

Carta Maior, 8 de Agosto de 2016



Nenhum dos movimentos é sobre apenas um homem. São um reflexo de milhões de pessoas querendo ir além do neoliberalismo.

Eu passei a semana passada na Convenção Nacional Democrata na Filadélfia. Logo cedo no primeiro dia da convenção, houve uma tempestade espetacular com raios e trovões. Se você era um apoiador de Bernie Sanders e de alguma denominação religiosa, você até poderia ter se perguntado se era Deus, a própria, deixando claro seu descontentamento com a perspectiva de o Partido Democrata nomear Hillary Clinton como candidata.

Apenas um assunto estava na boca da maioria – os delegados de Sanders e como eles podiam ser controlados. Muitas das pessoas que conheci estavam interessadas em Jeremy Corbyn, quem eles viam como a resposta britânica para Sanders.

Existem muitas similaridades entre Corbyn e Sanders. Ambos, tendo arado seu próprio terreno na política progressiva por mais de 30 anos, se encontraram de repente no centro dos eventos. Sanders chegou próximo de arrebatar a nomeação do partido e de derrotar a máquina Clinton. Mas ele está envolvido em batalhas com as elites de Westminster – políticas, jornalísticas e aquelas raramente envolvidas em thinkthanks.

Ambos são felizes de se intitularem socialistas. No novo Partido Trabalhista esse era o beijo da morte para uma carreira política. Nos EUA, é ainda mais perigoso: ser acusado de ser socialista já é suficiente para tê-lo caçado para fora da vida pública.

Ambos têm programas políticos similares. Defendendo ou argumentando por um serviço de saúde gratuito é vital para ambos – mesmo que Sanders possa só sonhar com uma versão yankee do NHS. Ambos acreditam em justiça social. Eles fazem campanha pelos 99% contra o 1%. eles batalham contra o poder dos grandes bancos e instituições financeiras. Ambos acreditam em um salário mínimo maior e investimentos em infraestrutura. Ambos são defensores de longa data da ação contra a mudança climática. E também é válido pontuar que ambos parecem mais confortáveis quando não estão usando gravata.

No entanto, talvez o mais chocante, são os seguidores entusiasmados compostos por pessoas jovens. Sanders tem 74 e Corbyn, 67 anos, mas eles mobilizaram os jovens em números sem precedentes, e trouxeram muitos, que antes rejeitavam, para a política.

São os apoiadores apaixonados de Sanders, jovens e idosos, que apresentaram um desafio ao establishment do Partido Democrata nessa convenção. Eles chegaram com raiva e tristes porque seu herói havia perdido. Muitos desprezam Clinton, quem eles veêm como tudo que é corporativo e compromissado sobre o establishment do partido. Eles suspeitaram que o processo das primárias podia ter sido falso. Emails vazados pareceram comprovar isso.

Houve protestos fora da convenção quase todos os dias e vaias altas dentro do hall todas as vezes que o nome de Clinton era pronunciado. Representantes do partido se esforçaram para manter todo mundo calmo. Tinha muitos fãs de Sanders insatisfeitos no chão, muitos ansiosos por uma luta (metaforicamente).

Muitos se descreviam como “Bernie ou nada” – em outras palavras, não tinham intenção em votar em Clinton. Alguns até apareciam na TV dizendo que preferiam votar em Trump do que em Clinton. Então, Sanders pessoalmente enviou uma mensagem a cada um de seus delegados para estimulá-los a ficarem calmos e respeitosos. Mas enquanto a convenção se desgastava, até as pessoas do “Bernie ou nada” se acalmaram.

Eles foram encorajados a se acalmar por causa de discursos excelentes como o de Michelle Obama. A convenção terminara, e, enquanto os delegados retornavam para casa, a maioria das pessoas ainda acredita que os apoiadores de Sanders mais apaixonados ainda votarão em Clinton. Não é porque eles foram persuadidos de seus méritos, mas porque a perspectiva de uma presidência Trump é horrível.

Então, com todos os paralelos entre Corbyn e Sanders, veremos membros saírem em grande número se Corbyn perder a eleição de liderança esse verão? Sua liderança teve um efeito transformador. O Partido Trabalhista está maior do que nunca, com mais de 450.000 membros. Mas a ideia de que novos membros são um exército fantasma que irá desaparecer se Corbyn sair da liderança é uma desilusão espalhada por seus inimigos.

Como Sanders, a insurgência de esquerda que Corbyn está associado não é sobre um homem ou um culto a uma personalidade. A insurgência em ambos os lados do Atlântico é sobre milhões de pessoas percebendo que “um jeito melhor é possível” e querendo mover para além do neoliberalismo. Essa percepção não irá desaparecer.

Como isso se dá em termos de partido depende nos atores políticos envolvidos. Mas seria um erro para o establishment do partido, em ambos os lados do Atlântico, descartar essa insurgência, e achar que coisas irão voltar ao que eram antes.

Enquanto terminava a convenção, a tempestade parou, mas continuou a chuva. Às vezes, a mudança vem com uma trovoada. Mas, mais frequentemente, vem com uma persistência gentil que a esquerda, tanto no Reino Unido, quanto nos EUA, terá para mostrar a seguir.

________

Pode ler este artigo de Diane Abbott em Carta Maior e The Guardian clicando em:




aviagemdosargonautas.net

MENTIRAS E MEIAS VERDADES, por HENRIQUE NETO

By joaompmachado





Ao longo dos anos tem sido com crescente surpresa que assisto à facilidade com que a maioria dos portugueses se deixa enganar pelos sucessivos governos, presidentes da República e, principalmente, pelos partidos políticos que conduziram o País ao longo das últimas décadas. Nas últimas semanas tem sido o psicodrama das sanções da União Europeia, a capitalização da Caixa Geral de Depósitos e o inquérito do Banif, onde a meia verdade e a mentira se confundem. Mas a lista é longa, desde o bom aluno europeu de Cavaco Silva até à suposta modernidade de José Sócrates e à recuperação económica de Passos Coelho, passando pela economia de sucesso de António Guterres, períodos em que foram esgotadas todas as formas de enganar os papalvos que, aparentemente, somos todos nós.

Durante estes anos diferentes políticos foram pintando sucessivas imagens de um Portugal que não existe e o resultado tem sido pago pelos portugueses,  na perda de competitividade da economia, no empobrecimento crescente das famílias, na estagnação do progresso económico e no desemprego. Os sucessivos desastres são parte da paisagem, desde o desaparecimento das pescas, da marinha mercante e de parte da indústria no tempo de Cavaco Silva, até ao engano de “dar uma casa a cada família” e à especulação fundiária e imobiliária de António Guterres, os erros sucederam-se, mas sempre apresentados como virtudes da governação.

O apogeu da mentira como arma política atingiu a perfeição nos governos de José Sócrates, através de investimentos sem critério e do endividamento sem avaliação dos seus custos e perigos, tudo apresentado aos portugueses como factores de modernidade e de progresso. Foi o tempo do dinheiro fácil e da corrupção resultante, de decisões destinadas a satisfazer sectores poderosos, mas empresarialmente incapazes, da sociedade portuguesa. Segue-se o tempo de fazer as contas aos prejuízos acumulados pelas más governações anteriores  e de passar as culpas sem qualquer esforço de rigor e de verdade. É o tempo de cada partido defender os seus contra todos os outros.

Durante estes anos a mentira sofisticou-se e actua agora por antecipação dos acontecimentos, como é o caso recente das imaginárias sanções da União Europeia e, antes disso, do Novo Banco, do Banif e da Caixa Geral de Depósitos. A braços com prejuízos enormes resultantes das diferentes governações e não se querendo fazer uma avaliação séria das suas causas, o que colocaria a nu a origem dos erros e da corrupção, inventam-se estratagemas de desinformação e mascara-se a falta de transparência através de  leis apresentadas como  defendendo os cidadãos da suposta devassa pública, ou escondendo acontecimentos e documentos, nomeadamente das comissões de inquérito da Assembleia da República. É interessante, ainda que trágico, verificar como os deputados são, simultaneamente, inquisidores e justiceiros relativamente às governações adversárias e verdadeiras madres Teresas de Calcutá quando se trata de defender os da casa, ou os que circunstancialmente se encontram  no mesmo campo.

A incapacidade de milhões de portugueses fazerem com rigor  a sua própria avaliação dos acontecimentos passados e de resistirem aos sucessivos cantos das sereias partidárias nos diferentes presentes, faz com que a verdade e o conhecimento da realidade sejam cada vez mais difusos, mais intricados e mais difíceis de desvendar. Tal como aconteça em todas as guerras, na guerra partidária dos nossos dias a verdade é a primeira vítima.

A cultura da mentira política e a promoção da irracionalidade na avaliação dos acontecimentos, passados e presentes,  elimina toda a possibilidade de previsão dos acontecimentos e desenvolvimentos futuros, o que, por si só, transforma o nosso País no “pato sentado” entre as nações, neste tempo de aceleração da mudança. Factor que, independentemente de outras causas, impede o progresso da Nação Portuguesa.

31-07-2016

Henrique Neto

aviagemdosargonautas.net

TELMA MONTEIRO ACABA DE CONQUISTAR A MEDALHA DE BRONZE NOS JOGOS OLÍMPICOS DO RIO


Putas velhas armadas em virgens puritanas


Corria o ano de 2003, era o primeiro-ministro essa figura tão querida do PSD de nome Durão e de alcunha “O Cherne”, quando foi notícia que tal criatura tinha passado oito dias de férias de luxo à conta de um amigo que tem uma ilha paradisíaca no Brasil. Lia-se na comunicação social que “Durão Barroso viajou para o Brasil no passado dia 26 com a mulher, Margarida Sousa Uva, e os seus três filhos, o Luís, de 19 anos, o Guilherme, de 15, e o Francisco, de 14, e um grupo de amigos, entre os quais, o seu primo João Luís Barroso, que tem uma casa em Angra dos Reis e que já foi membro do Governo Federal Brasileiro”. E nem sequer teve de se incomodar com a viagem, foi de avião particular mais os restantes membros da distinta família.

O mesmo cidadão exemplar da direita portuguesa, símbolo das suas virtudes, foi mais tarde notícia quando, já membro da Comissão Europeia, fez umas férias de luxo, um cruzeiro pago pelo banqueiro grego Spiro Latsis, desta vez na companhia da esposa. Não me recordo de alguma vez a direita ter pedido a demissão de tão viajada personagem. Da mesma forma que Marcelo disse que é bom ver "portugueses reconhecidos em lugar cimeiros", quando o Cherne foi para a Goldman, temos que admitir que ficamos todos cheios de orgulho de ver o dito em locais tão luxuosos.
  
A lista de penduras preencheria muitas páginas e no meio jornalístico são poucos os que não viajaram à conta de terceiros. Há algum tempo vários jornalistas foram ao Rock in Rio de Las Vegas por conta da EDP para dias depois saírem vários artigos muito elogiosos em relação 
àquela empresa em jornais muito puritanos como o Expresso. A verdade é que o turismo à conta de terceiros é uma prática nacional.

Agora, muito de repente toda a gente parece desconhecer o país em que vivemos e vemos na comunicação social as putas velhas armadas em virgens puritanas.

jumento.blogspot.pt

DANÇAS DOS ANOS 80




VÍDEO


A BORBOLETA E AS LONTRAS


VÍDEO

Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo

Se antigamente um cruzeiro consistia em viajar a diferentes lugares para visitá-los, utilizando um barco como método de transporte, tentando que fosse o mais confortável e que a estadia a bordo fosse também o mais curta possível, o que primava era as visitas a terra, sendo as escalas as mais longas possíveis. Hoje em dia as coisas mudaram. O itinerário vai simultaneamente à oferta de lazer oferecida pelo navio. O barco converteu-se em um destino em si mesmo, como é o caso do Harmony of the Seas, o maior cruzeiro do mundo, pertencente a companhia Royal Caribbean, que fez sua apresentação oficial em Barcelona dias atrás.

01
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 01
Em frente a este novo enfoque, a concorrência entre as diferentes companhias navais, faz com que se esmerem em oferecer novidades e atrações cada vez mais surpreendentes. A oferta culinária cada vez é mais ampla e completa e a de bem-estar pessoal, com áreas cada vez maiores para o balneário.

A grande inovação foi a possibilidade de ter terraços nos camarotes, algo impensável nos navios. O tradicional era ter uma pequena janela ou uma portinhola, nada mais; hoje em dia os navios novos têm mais da metade de suas camarotes com o consabida terraço, e muitos barcos mais antigos são reciclados acrescentando um balcão exclusivo aos camarotes.

Harmony of the Seas é um paradigma disso, e em grau superlativo. Sua oferta de lazer inclui coisas impensáveis há alguns anos como o Ultimate Abyss, o maior tobogã instalado em um navio de cruzeiro, com mais de 33 metros de queda. Tem também outros trio de tobogãs, diferentes piscinas bem como dois simuladores de surf e dois paredões de escalada.

A parte de alimentação conta com 20 bares e restaurantes com capacidade simultânea de 4.908 comensais, servidos por um total de 1.056 pessoas, nos oito restaurantes especializados onde é possível degustar todo tipo de cozinhas: italiana, mexicana, oriental. Destaque para o Bionic Bar onde dois robôs se dedicam a preparar coquetéis.

Como não podia ser de outra maneira dispõe de uma rua, como outros navios semelhantes, a Royal Promenade, onde se alternam os locais de alimentação e as lojas, e na cobertura oito tem o Central Park, um autêntico parque com árvores e plantas naturais, onde é possível escutar o som do canto de pássaros.

O navio foi construído pelo estaleiro STX France, em Saint Nazaire. Demorou 32 meses para ser concluído e o investimento foi de mais de 1 bilhão de dólares. Ao redor de 2.000 pessoas integram a tripulação que atende as necessidades de mais de 6.000 passageiros, que devem ser distribuídos por seus 2.747 camarotes, dos quais 1.768 são dotados de terraço.

A companhia Royal Caribbean International faz parte do conglomerado Royal Caribbean Cruises, um dos principais grupos mundiais de cruzeiros que engloba também outras empresas como Celebrity, Azamara, Pullmantur e CDF Croisières da France. Foi fundada em 1968 e desde que em 1970 estreou seu primeiro barco, o Song of Norway, não parou de crescer, tendo atualmente em serviço um total de 25 navios.
02
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 02
03
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 03
04
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 04
05
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 05
06
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 06

07
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 07
08
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 08
09
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 09
10
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 10
11
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 11

Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 12
13
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 13
14
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 14
15
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 15
16
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 16

Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 17
18
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 18
19
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 19
20
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 20
21
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 21

Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 22
23
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 23
24
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 24
25
Harmony of the Seas: a bordo do maior navio de passageiros do mundo 25
Fonte: Royal Caribbean.
www.mdig.com.br

Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo

Os fabricantes de xampu esperam a cada ano ganhos milionários, mas no fundo das montanhas da província de Guangxi, ao sul da China, as mulheres do povoado Huangluo não estão contribuindo nem um centavinho à indústria porque, ao que parece, elas acham que não vale nada. Para a maioria das mulheres da etnia Yao o cabelo é sua posse mais preciosa. A antiga aldeia onde vivem é conhecida na China inteira como o "Povoado do Cabelo Longo", e inclusive é reconhecida no livro dos Recordes Guinness.

Seus cabelos negro azeviche chegam a medir até mais de 2 metros de comprimento, e elas mesmas cuidam deles para manter seu aspecto forte e saudável, e livre de cabelos brancos quando forem idosas.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 01
Seu segredo? Lavam com água de arroz fermentado, ou seja, a água branca que fica quando o arroz é fervido. Este é o segredo para um cabelo formoso entre estas mulheres do povoado, bem como para princesas imperiais do Oriente desde tempos antigos.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 02
Em Huanglou consideram tão sagrado o cabelo longo das mulheres, que é proibido exibi-lo em público.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 03
Elas acreditam que quanto maior o cabelo, mais tempo irão viver, e maior será a riqueza e a boa sorte. Quanto mais longo o cabelo, mais afortunadas serão.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 04
A aldeia tem de 82 casas e 400 habitantes, e durante a temporada alta, chegam a ganhar mais de 300 dólares ao mês mostrando seu cabelo aos turistas, enquanto cantam e dançam.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 05
As mulheres de Huangluo só podem cortar o cabelo uma vez em suas vidas, em seu aniversário de 18 anos. As mechas cortadas são dadas à avó da moça que a convertem em uma peça ornamental.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 06
Neste momento, a jovem dispõe-se a buscar um namorado. Quando se casa, o cabelo é presenteado ao marido, e depois, ela o usará como parte de seu penteado de cada dia.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 07
Então seu cabelo estará composto por três partes: seu próprio cabelo, o cabelo que foi cortado antes de se casar, e o terceiro que é feito por cordões tecidos sobre a cabeça e que tem que recolher diariamente.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 08
As três partes unem-se para formar um elaborado penteado que só um especialista poderia envolver. De acordo com o penteado usado é o status social da jovem.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 09
Por exemplo, se o cabelo for envolvido como um coque circular, significa que está casada, mas não tem filhos. Se está casada e tem filhos, o cabelo deve ser trançado naa parte dianteira.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 10
Se usar um lenço ao redor da cabeça e o cabelo ficar oculto, significa que está buscando marido e, por tradição, seria o único homem com a mordomia de ver toda a beleza de seu cabelo.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 11
Atualmente, sem importar que estejam casadas, elas se mostram mais dispostas a compartilhar com o mundo suas esplendorosas melenas.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 12
Elas utilizam o água de arroz, porque é rica em antioxidantes, minerais e vitamina E. Deixa o cabelo mais brilhante, suave, forte e saudável.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 13
Ademais dizem que essa água ajuda a curar cicatrizes, a reduzir as linhas de expressão e a inflamação, deixando a pele com um brilho saudável...
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 14
A verdade é que as mulheres desta tradicional etnia afirmam que a maioria delas não tem nenhum fio de cabelo branco até passados os 80 anos de idade.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 15
Nós já falamos certa vez que a maioria dos xampus não serve para nada, é pura perfumaria. Mas parece evidente que a tal água de arroz ajuda mesmo a melhorar o aspecto do cabelo.
Nesta aldeia vivem as “Rapunzels” com o cabelo mais longo do mundo e guardam um curioso segredo 16
Fonte: Funtime.
www.mdig.com.br