AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 4 de julho de 2016

Palavras com música, ouro e política.


E anda por aí cada um e cada qual a tratar da sua vidinha.
Uns "artistas" ! que misturam ranho pimba com música decente para estragar e contaminar a comunidade com os roncos porcinos do quase fascismo.
Claro que estou políticamente falando do triste "fado" que é a vida deste povo que ainda fala do ouro do Salazar e gosta sempre, ou quase sempre do que não presta.
Falam (só falam) do tempo em que uma sardinha tinha que dar para três mas havia (o povo nunca viu) ouro no Banco de Portugal.
Se havia porque éramos uns desgraçados ? se havia quem o roubou e onde está agora ? Para que raio serve a porra do ouro quando a cabeça está cheia de caca.
Que triste "sina" !
Que "destino" nacional cançonetista tem o povinho que se fartou de Zeca Afonso, José Mário Branco e nem agradece a quem levou, a quem leva, uma vida a oferecer palavras de abrir os olhos.

António Garrochinho

4JULHO2026 - O MUNDO MARAVILHOSO DOS GRAFFITIS











































é assim que funciona !


Os alemães nossos amigos


Esta semana o professor pediu aos alunos para escreverem uma redacção sobre a Alemanha.

O Zequinha foi novamente o primeiro a terminar mas o professor, receando ouvir algum disparate susceptível de provocar um conflito diplomático, pediu à Joaninha para ser a primeira a ler a redacção.

Leiam lá o que ela escreveu.

A Alemanha é um país muito grande que manda na Europa. Pelo menos é o que diz o meu pai que está sempre a dizer " Olha a vaca da merda!", quando aparece na televisão uma senhora gorda com ar de militar transgender, que o meu pai diz ser a dona da Europa.

Não sei por que razão o meu pai não gosta daquela senhora, mas a minha mãe zanga-se muito com o meu pai por causa disso e jura que a culpa de a Alemanha ser tão má é de um senhor de cadeira de rodas com cara de mau e olhos de coruja, que anda a roubar os europeus e, segundo a minha mãe, é uma reencarnação do Hitler, um tipo que deve ser muito mau, porque o meu pai responde logo à minha mãe: não me fales desses cabrões. O paraplégico precisava era de um tiro nos cornos para acabar o serviço que alguém não soube fazer bem feito.

Eu não percebo nada do que  os meus pais falam sobre a Alemanha, mas parece-me injusto que culpem os pais do senhor da cadeira de rodas por não terem sabido fazer um tipo decente.
Sei é que na Alemanha vivem alemães e que, segundo diz o meu tio, um grande admirador da Alemanha, é um país de gente muito esperta, porque importa escravos para fazerem os Mercedes, os BMW e os Audis que depois vendem a preços malucos aos americanos e aos outros europeus.

Eu gosto muito de Mercedes de BMW e do Audi do meu pai, por isso, também gosto da Alemanha como o meu tio e penso que os alemães são uns porreiros. 

Cá para mim, são tão nossos amigos como as vacas do Zequinha



cronicasdorochedo.blogspot.pt

Portugal vai ter uma "route 66" para ligar o país de lés-a-lés



Presidente da República foi convidado a apadrinhar o projeto turístico

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, foi hoje convidado, no Douro, a apadrinhar o projeto turístico que quer ligar Portugal de lés-a-lés comparado à "route 66" americana.

Marcelo Rebelo de Sousa percorreu poucos dos mais de 700 quilómetros da estrada nacional 2, entre Chaves, no norte, e Faro, no sul de Portugal, e foi no concelho impulsionador do novo projeto, em Santa Marta de Penaguião, que recebeu o convite e iniciou hoje pela manhã o segundo "Portugal Próximo" por Trás-os-Montes e a Guarda, durante dois dias e meio.

Sob um sol tórrido, logo pela manhã, o Presidente foi recebido na antiga escola primária de Concieiro agora lar de três famílias que visitou e onde falou para os jovens e população que o aguardavam e recebeu o convite para apadrinhar a nova rota turística.

Santa Marta de Penaguião, nas encostas do Douro, "é terra que não se lamenta, como sublinhou o autarca local, Luís Machado, impulsionador de vários projetos, entre eles o de transformar a estrada nacional 2 num projeto turístico para unir Portugal de lés-a-lés.

O processo encontra-se em fase de formação da associação dos 32 municípios por onde passa a estrada e propõe-se criar um rota turística indicando os lugares e atrativos a visitar e desfrutar ao longo do trajeto.

Esta "é a oportunidade de unir o país", defendeu o autarca.

Já o Presidente da República aplaudiu a iniciativa e vincou que é preciso haver mais turismo, que o turismo não estraga a terra, valoriza terra, seja o turismo gastronómico, religioso, cultural, ou do vinho.

As vias de comunicação, como a nacional 2 são consideradas fundamentais para o presidente que recordou que ainda recentemente apoiou jovens das Aldeias SOS, as quais vão dar a volta ao país e que começaram por aqui.

As primeiras palavras de Marcelo Rebelo de Sousa na segunda edição do programa presidencial "Portugal Próximo" foram para a juventude, sobretudo crianças do concelho duriense que o esperavam logo pela manhã, nesta aldeia com cerca de 100 habitantes.

O Presidente explicou que começou por aqui esta volta do Portugal Próximo a pensar neles, que são o futuro desta terra, mas também nos menos jovens.

"É preciso criar condições sociais para prender as pessoas à terra", sublinhou o chefe de Estado e considerou que "a antiga escola primária transformada em habitação social é um pequeno esforço".

O Presidente da República ouviu "com muita alegria" os contributos da autarquia local, nomeadamente ao nível dos apoios sociais e das bolsas para estudantes.

"Não pode haver hoje em Portugal filhos de ricos que podem fazer os seus estudos até onde quiserem e filhos de pobres que não podem", insistiu.

Vitor Rodrigues, de 46 anos, estudou na sala da antiga escola primária de Santa Marta, que passou a ser a habitação da família de quatro pessoas há pouco mais de um mês.

Vitor e a família regressaram à aldeia muito devido a esta ajuda da Câmara e foi "com muito orgulho" que recebeu hoje em casa o Presidente da República.

"Isto não é para todos", brincou a esposa Sara Mesquita, de 34 anos, contente com a nova casa que "é sossegada".

"Parece que estamos sempre de férias aqui. Estamos na casa de férias", comparou.

De outra forma, dificilmente regressariam à aldeia, não fosse esta oportunidade de a antiga escola primária ser transformada em habitação social, acolhendo três famílias.

O Presidente Marcelo despediu-se com uma garantia: "Santa Marta já estava no meu coração, mas é diferente agora como Presidente estar convosco".

O chefe de Estado quis mostrar indo a um concelho de difícil acesso, embora o autarca local tenha insistido em não lhe chamar interior porque "o Porto está ali mesmo ao lado", que não é Presidente da República só de Lisboa, mas sim de todos os portugueses, sobretudo dos que vivem nos concelhos mais pequenos".

www.dn.pt

UNIÃO EUROPEIA


Arábia Saudita: Atentado suicida falhado ao consulado norte-americano de Jeddah


Um atentado suicida visou esta manhã o edifício do consulado norte-americano na cidade de Jeddah, na Arábia Saudita, tendo provocado a morte do atacante e dois feridos.

Um homem armado com um cinto de explosivos dirigiu um carro em direção à mesquita, perto do consulado americano em Jeddah quando foi parado pela polícia e se fez explodir.

A tentativa de ataque surge dois dias depois do atentado mortífero à zona diplomática em Daca, no Bangladesh, que deixou 20 mortos.

Mais três deflagrações foram sentidas perto da embaixada que terão correspondido à explosão controlada de artefactos por parte da polícia.

VÍDEO

video
pt.euronews.com

A pintura de Stephen Wright