AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016


LÚCIA BARRACOSA BORDEIRA - SANTA BÁRBARA DE NEXE





VÍDEO



Com factura, se faz favor



Com factura, se faz favor



Ricardo Araújo Pereira na Visão de hoje:

«Os Medici, uma família do século XV, tinham um banco e faziam mecenato. Os portugueses, um povo do século XXI, fazem mecenato a bancos. (…) Os Medici patrocinavam artistas com o seu banco; os portugueses são artistas a patrocinar bancos. (…)
Gostaria ainda que, sempre que ajudo a resgatar um banco, me passassem factura.»

E RAP sugere à Santa Casa um novo jogo, o Totobanco: qual o próximo a falir?

Na íntegra AQUI



entreostextosdamemoria.blogspot.pt

DESEJOS E PROFECIAS CONTRA O PCP


Carta à Directora” de o Público 04-02-2016
Desejos e profecias contra o PCP
Alguns politólogos de retórica emplumada vaticinam há décadas o passamento do PCP. Basta um insucesso, um recuo eleitoral, ou uma frase do secretário-geral menos feliz, para que se desate a magia verbal incandescente que converte em cinzas a fortaleza que perdura há quase um século da nossa História. 

Os ataques vêm quase sempre da direita, liberal ou extremada, que se esqueceu do nosso meio século XX de ditadura fascista, mas cuja descendência ficou muito traumatizada com o 25 de Abril, o PREC e a Constituição da República. 

E, é claro, a força do PC, ora demonizada como poder oculto por detrás do novo Governo PS, ora minimizada e reduzido à insignificância de quase duas centenas de milhares de votos do candidato Edgar Silva. 

Confundem-se desejos com realidades, para apoucar o inimigo. 

A verdade é bem diferente, o barómetro eleitoral oscila em todos os quadrantes, CDS, PSD, PS, Bloco de Esquerda e PCP. São permeabilidades e flutuações dos eleitorados. Os juízos que passam nos media terão de fazer prova na próxima ronda.


José Manuel Jara, Lisboa

Via: as palavras são armas http://ift.tt/1L1itl3

O papel aguenta tudo

Já há muito tempo que não me ria tanto
E já repararam que, tirando os dedos em V, o desenho 
tem alguma coisa de «soviético» ?