AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

AS INTOLERÁVEIS AGRESSÕES SEXUAIS SOBRE AS MULHERES

























AS INTOLERÁVEIS AGRESSÕES SEXUAIS SOBRE AS MULHERES











http://aviagemdosargonautas.net/

Um texto honesto no DN - Edgar Silva em Mangualde



Edgar Silva em Mangualde
  |  NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA


Peugeot/Citroen. “Aqui dentro sofre-se muito”, denunciou coordenador da comissão de trabalhadores, um presidente de junta eleito pelos sociais-democratas, que deixou críticas a Cavaco Silva
Começou timidamente a ação de campanha à porta das instalações da Peugeot / Citroen em Mangualde, distrito de Viseu. “Aqui um camarada foi despedido porque questionava demais”, comentava-se na organização, enquanto avisava os jornalistas que iria ser “difícil” que algum dos trabalhadores se disponibilizasse a falar. “Há muita precariedade e muito medo”, dizia-se. O PCP quis, com esta ação de campanha alerta para a precariedade e para o banco de horas em uso na fábrica, que causa “total desregulação” dos horários de trabalho.
Boa parte dos operários, de facto, passou velozmente, cabeça baixa, alguns pegando discretamente nos panfletos que Edgar Silva lhe passava. Mas, a certa altura, o inesperado aconteceu, surpreendendo até o candidato comunista. Um trabalhador parou em frente a Edgar Silva e olhos nos olhos, sem qualquer receio das palavras nem das câmaras, declarou: “É o primeiro candidato a vir aqui, sabemos que conhece bem os nossos problemas e que tudo faz para os resolver. Sei que defende os trabalhadores. Há quem venha só para a fotografia. É muito importante ter alguém na Presidência da República que conheça verdadeiramente os nossos problemas. Infelizmente nos últimos anos temos sido muito maltratados pelo atual Presidente da República”, começou por salientar.
Edgar Silva sorriu sinceramente e agradeceu. “É muito importante para nós o que está a dizer, valorizamos muito. Posso dar-lhe um abraço?” perguntou. E veio o abraço forte de Jorge Abreu que se apresentou, entretanto, como coordenador da Comissão de Trabalhadores, explicando assim a “liberdade de expressão”. Mas não disse o mais inusitado e que se veio a saber a seguir, através de alguns apoiantes locais do PCP, que ali se encontravam. Abreu é presidente da junta de freguesia de Santar, Nelas, eleito nas listas do PSD. Questionado pelos jornalistas, frisou que era “independente, sem filiação” e que “apenas estava a falar enquanto representante dos trabalhadores”. Mas aproveitou os holofotes mediáticos para dizer mais, para denunciar como era a vida naquela fábrica, numa oratória muito mais comum entre os comunistas. “Ali dentro daquelas quatro paredes sofre-se muito. É trabalhar, trabalhar, trabalhar. Pagar, não!”, sublinhou. “Estamos a trabalhar mais uma hora por dia, sábados, domingos e não recebemos nem mais um tostão. É insustentável. Está-se a por em risco a vida das pessoas. O nosso trabalho tem tanta qualidade e intensidade como os nossos colegas em França ou em Espanha e ganhamos um terço dos franceses e metade dos espanhóis. Temos agora 750 trabalhadores que fazem o trabalho que antes era feito por 1350 e ainda querem aumentar mais a produção. Se isto não é explorar a mão de obra o que será?”, interrogou-se. E deixou um aviso sério à administração, prometendo, “caso não haja diálogo com os trabalhadores” algumas “medidas drásticas”, entre as quais a “greve e a paralisação da fábrica”.
Edgar Silva não podia ter tido melhor neste quinto dia de campanha, dedicado à denúncia da precariedade e exploração no trabalho. “Reconhece da minha candidatura os compromissos consequentes na defesa dos direitos dos trabalhadores e considera que o atual Presidente não o faz. Congratulo-me com isso, porque é verdade”, afirmou. O candidato comunista lamentou que “nos últimos anos tivesse siso aprovada muita legislação que veio precarizar o trabalho” e deixa o compromisso de “vetar qualquer diploma, venha do governo ou da assembleia da república, que atente contra os direitos dos trabalhadores. Os trabalhadores não são escravos, nem são moldados para ser servis. Têm direito à vida, às suas famílias, a atividades culturais”.
Via: as palavras são armas http://ift.tt/1UUWBNv

Aprovada reposição das 35 horas de trabalho



É oficial, as 35 horas de trabalho semanais estão de volta.



A Assembleia da República aprovou hoje, na generalidade, os projetos do PCP, "Os Verdes", Bloco de Esquerda e PS para a reposição aos trabalhadores em funções públicas do horário de trabalho de 35 horas semanais.

Perante estes quatro diplomas, PSD e CDS-PP votaram contra, mas o deputado do PAN (Pessoas Animais e Natureza) esteve com a esquerda parlamentar na aprovação dos projetos.
Entre os quatro projetos aprovados, o do PS distingue-se por remeter a entrada em vigor da jornada de 35 horas de trabalho para julho, enquanto os restantes da esquerda parlamentar têm aplicação imediata após a publicação da nova lei em Diário da República.
Outra diferença reside no facto de os diplomas do PCP e de "os Verdes" já terem um mês de discussão pública, o que não aconteceu seguramente com o do PS.
Os socialistas alegam que, no âmbito da administração pública, alguns serviços necessitam de um período de adaptação em termos de organização interna para responder à redução do horário de trabalho.
Também o ministro das Finanças, Mário Centeno, advertiu que a redução do horário de trabalho em funções públicas deverá fazer-se sem custos adicionais para o Estado.
Na mesma sessão de votações, foi ainda aprovada uma proposta sobre 35 horas semanais de trabalho provenientes da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, diploma apoiado pela esquerda parlamentar, que teve a abstenção do PSD e voto contra do CDS-PP.

Furacão "Alex" passou cerca de 20 quilómetros a leste da Terceira



O furacão "Alex" passou, esta sexta-feira, a leste da 
Terceira, a ilha dos Açores que tinha "uma elevada 
probabilidade de sofrer o impacto direto" da situação, 
mas que acabou por ser afetada pela parte menos ativa 
do fenómeno.







"O furacão passou a cerca de 20 quilómetros a leste da Terceira, que foi afetada, mas pela parte menos ativa do furacão", afirmou o meteorologista Carlos Ramalho, da delegação regional dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em declarações à agência Lusa pelas 12.30 horas locais (mais uma hora em Portugal continental), Carlos Ramalho explicou que "a parte mais forte do mau tempo está, neste momento, a leste da ilha, muito próximo, mas no mar, a cerca de dez, vinte quilómetros".
O meteorologista esclareceu que no grupo central a situação "já acalmou nas ilhas de São Jorge, Faial e Pico". Na Graciosa e na Terceira "ainda pode haver um pouco mais de vento".
Quanto ao grupo oriental, ilhas de Santa Maria e São Miguel, "deverá haver algum vento até às 15 horas, mas a partir daí com uma melhoria significativa do estado tempo", notou.
"Ainda continuamos com o aviso vermelho e vamos ver se não há mais nenhum desvio que possa ocorrer. Só depois disso são levantados os avisos meteorológicos", acrescentou.
Carlos Ramalho informou ainda que "os valores mais elevados de vento" foram registados em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, com "o vento médio de 80 kms/hora e com rajada máxima de 110 kms/hora".
O furacão 'Alex' é o primeiro fenómeno meteorológico desta natureza a acontecer no mês de janeiro em quase 80 anos, de acordo com meteorologistas norte-americanos, motivando a emissão de avisos vermelhos para vento, agitação marítima e chuva para os grupos central e oriental, que vigoram até ao início da tarde.
O aviso vermelho é o mais grave numa escala de quatro e representa uma situação meteorológica de risco extremo.
O agravamento do estado do tempo no arquipélago levou ao encerramento de tribunais nestas sete ilhas, enquanto nas escolas não houve aulas, assim como nos três polos da Universidade dos Açores, que funcionam em Ponta Delgada (São Miguel), Angra do Heroísmo (Terceira) e Horta (Faial).
O Governo Regional recomendou ainda o encerramento das creches e jardins-de-infância, tendo o presidente do executivo, Vasco Cordeiro, determinado o fecho dos serviços da administração regional para as sete ilhas.
A exceção foram "os serviços considerados urgentes e essenciais, nomeadamente hospitais, centros de saúde, serviços de proteção civil, assim como os demais considerados pelos respetivos diretores regionais da tutela".
Também pelo menos seis municípios -- Praia da Vitória (Terceira), Nordeste, Povoação e Ponta Delgada (São Miguel) e Lajes e São Roque (ambos do Pico) -- decidiram pelo encerramento dos serviços.
No porto de Ponta Delgada, o maior do arquipélago, que em dezembro sofreu vários danos decorrentes da agitação marítima, foram tomadas medidas preventivas, como a deslocação de embarcações comerciais para o norte da ilha, e o reforço da amarração das embarcações de recreio e pesca.

Funcionário da ARS Norte apanhado com meio milhão de euros


A Polícia Judiciária anunciou, esta sexta-feira, a detenção de um funcionário da Administração Regional de Saúde do Norte, acusado de corrupção. Em buscas domiciliárias, no local de trabalho e num banco, a PJ apreendeu cerca de meio milhão de euros em dinheiro.
 
ARQUIVO

O funcionário, de 63 anos, tinha à sua responsabilidade a adjudicação e o acompanhamento de obras em centros de Saúde da Zona Norte, e, de acordo com a PJ, "terá violado as suas obrigações funcionais", causando "elevado prejuízo ao erário público".
Além do dinheiro, a Policia Judiciária apreendeu objetos de ourivesaria e coleções de relógios de valor avultado.
As autoridades não descartam a existência de outros envolvidos neste esquema de corrupção e a PJ prossegue com as investigações
.

SANTA BÁRBARA DE NEXE - CARNAVAL 2016


PCP quer mais aumentos nas pensões, Costa diz não ser possível ir mais longe


O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, instou o primeiro-ministro a aumentar ainda mais os rendimentos dos pensionistas, mas António Costa afirmou não haver condições para "ir mais longe" durante o ano de 2016.
 
TIAGO PETINGA/LUSA
Jerónimo de Sousa, do PCP

Durante o debate quinzenal que decorreu esta sexta-feira na Assembleia da República, Jerónimo de Sousa questionou o Governo acerca do aumento das pensões e reformas.

"Depois de anos de congelamento da grande maioria das pensões, e os cortes vários e por várias vias do seu valor - particularmente nestes últimos quatro anos - a decisão de descongelamento pelo seu Governo é claramente insuficiente, tendo em conta a elevada perda do poder de compra verificado", afirmou o secretário-geral do PCP.
Em resposta, o primeiro-ministro referiu que o Governo também gostaria de "poder ir mais longe", não havendo, porém, condições para tal. "Gostaríamos de ir, sim, gostaríamos de poder recuperar nos anos futuros, sim, mas neste ano de 2016, neste condicionamento, não temos condições de poder assumir que iremos mais longe do que aquilo que fomos e que anunciámos ir", sublinhou Costa
.

CONTRIBUÍMOS, PAGAMOS MILHÕES, À CÂMARA MUNICIPAL DE FARO - SANTA BÁRBARA DE NEXE, OS SEUS HABITANTES SEM EXCLUSÃO TÊM O DIREITO DE TER MAIS ATENÇÃO POR PARTE DA CMFARO.

CONTRIBUÍMOS, PAGAMOS MILHÕES, À CÂMARA MUNICIPAL DE FARO
SANTA BÁRBARA DE NEXE, OS SEUS HABITANTES SEM EXCLUSÃO TÊM O DIREITO DE TER MAIS ATENÇÃO POR PARTE DA CMFARO.
HOJE NO "CAFÉ CENTRAL" O PRESIDENTE DA CÂMARA ROGÉRIO BACALHAU EM "PRESIDÊNCIA ABERTA" VEM FALAR DOS PROBLEMAS (PENSO EU) QUE AFECTAM A NOSSA FREGUESIA E CONCELHO.
NADA DE MAL VEJO NESTA INICIATIVA DO PRESIDENTE SE DESLOCAR À FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE UMA DAS MAIS IMPORTANTES DO CONCELHO DE FARO (SENÃO A MAIS IMPORTANTE) E PELA QUAL A CMF E O PSD POUCO OU NADA FAZ HÁ MUITOS ANOS.
SÃO MUITOS OS PROBLEMAS QUE AFECTAM OS MUNÍCIPES, SÃO MUITAS AS RECLAMAÇÕES QUE SE FAZEM NAS REDES SOCIAIS, NOS CAFÉS, NOS BANCOS DO LARGO DO ROSSIO E TAMBÉM EXISTEM RECLAMAÇÕES COLOCADAS NAS REUNIÕES DA JUNTA DE FREGUESIA.
QUERO VER OS NEXENSES, OS BORDEIRENSES, OS GORJONENSES, VALADOS, FALFOSA E HABITANTES DE OUTRAS ZONAS DA FREGUESIA COLOCAREM TODOS ESSES ENSEJOS E DIREITOS, AGORA QUE O PRESIDENTE DECIDE VISITAR A FREGUESIA NESTA NOVA ESTRATÉGIA ELEITORAL.
OS BURACOS ESTÃO AÍ, OS PREJUÍZOS QUE DAÍ ADVÊM TAMBÉM, E ENQUANTO NÃO ACONTECE ALGO DE MAIS GRAVE É BOM QUE SE DÊ A CARA APRESENTANDO OS PROBLEMAS QUE NOS AFLIGEM INDEPENDENTE DE POSICIONAMENTOS IDEOLÓGICOS.
FORÇA E CORAGEM !
AG

Sucateiro do Face Oculta deve 40 milhões ao Fisco


 | 
Manuel Godinho e a mulher, Maria de Fátima, devem quase 41 milhões de euros ao Fisco. Contas de outubro de 2015, quando as Finanças emitiram uma certidão de dívida do casal para constar do processo de insolvência de ambos - requerida pelo banco BIC -, que corria na secção de comércio da comarca de Aveiro, em Anadia.
 


Bens de Manuel Godinho, considerado insolvente, não 



chegam para pagar tanta dívida. Só ao irmão são 117 mil 
euros
A sentença deste processo foi conhecida esta semana, quando ambos foram declarados insolventes. As dívidas são herdadas, em grande parte, da O2, empresa do sucateiro de Ovar também arguida no caso Face Oculta, que foi declarada insolvente em abril de 2013

.

Edgar Silva em campanha no Algarve a 15 Janeiro - A jornada deste dia de campanha eleitoral, encerrará com um comício a realizar no Auditório da Escola Superior de Saúde em Faro que contará com a participação de centenas de apoiantes, a animação de um grupo de charolas e as intervenções de António Mendonça, mandatário distrital da candidatura e do próprio Edgar Silva.

FAIXA_EDGAR_15_A

2016_presidenciais_logo_cor
Edgar Silva em campanha no Algarve a 15 Janeiro

No próximo dia 15 de Janeiro, Edgar Silva, candidato à Presidência da República regressa ao Algarve, depois de uma anterior presença em Novembro, para a realização de um conjunto de iniciativas reforçando a crescente dinâmica da sua candidatura.

Assim, depois de um encontro com os eleitos da CDU na Câmara Municipal de Silves, Edgar Silva percorrerá as ruas daquela cidade pelas 11:30, numa acção de contacto com as populações, terminando com uma intervenção pública na rua na zona histórica de Silves.

Durante a tarde, pelas 16:00, Edgar Silva estará também em Vila Real de Santo António, numa arruada que percorrerá a baixa da cidade, terminando com uma intervenção pública na rua junto à Escola de Hotelaria.

A jornada deste dia de campanha eleitoral, encerrará com um comício a realizar no Auditório da Escola Superior de Saúde em Faro que contará com a participação de centenas de apoiantes, a animação de um grupo de charolas e as intervenções de António Mendonça, mandatário distrital da candidatura e do próprio Edgar Silva.

Estas acções, que se realizarão no Algarve a uma semana das eleições que terão lugar a 24 de Janeiro, constituem momentos altos de uma campanha que está a percorrer toda a região, dando a conhecer o perfil, os valores e objectivos da candidatura. Uma candidatura vinculada aos valores de Abril, a candidatura dos trabalhadores e de todos aqueles que têm sido vítimas da exploração, da pobreza e das injustiças. Uma candidatura que assume sem hesitações a defesa da soberania nacional e o cumprimento da Constituição da República. Uma candidatura que irá tão longe quanto o povo português quiser e que contribuirá sempre para derrotar os objectivos dos grupos económicos e financeiros que aspiram a colocar na Presidência da República alguém que, como Cavaco Silva, sirva os seus interesses.

O Gabinete de Imprensa da candidatura de Edgar Silva

Estado dá super benefícios fiscais para atrair príncipe Aga Khan

A sede da comunidade ismaelita virá para Lisboa com benefícios fiscais para a igreja e o seu líder, o magnata e príncipe Aga Khan, atribuídos ao abrigo do estatuto diplomático, como se de um Estado estrangeiro se tratasse. Projecto trará mais empregos e apoios sociais e científicos.
A fixação da sede mundial da comunidade ismaili em Lisboa chega com contrapartidas fiscais para o príncipe Aga Khan e a sua igreja equiparáveis às que são atribuídas aos Estados estrangeiros.







ANA LOURENÇO





A jornalista Ana Lourenço deixou a SIC e a SIC agradeceu-lhe a “dedicação e trabalho realizado.”

Com a sua saída a SIC perde uma profissional credível, competente e séria.

Segundo leio, Ana Lourenço “aceitou sair sem indemnização” e devido a alegadas “incompatibilidades” com os actuais responsáveis pela Informação da estação. A “pivot” também não terá gostado das “alterações introduzidas nas noites da SIC Notícias”.

A jornalista, que sempre recusou travestir-se de vedeta televisiva, nunca foi a papagaia de serviço.

E isso paga-se caro.

Muito caro.


http://aviagemdosargonautas.net/

REIVINDICAR PARA MELHORAR AS CONDIÇÕES DE VIDA


A CGTP-IN reuniu, dia 14 de Janeiro de 2016, o Plenário de Sindicatos, órgão mais importante entre Congressos, no Cinema S. Jorge, em Lisboa, para analisar e definir as prioridades reivindicativas da CGTP-IN para os próximos tempos; o XIII Congresso, a realizar nos dias 26 e 27 de Fevereiro e a posição desta central sindical sobre as eleições presidenciais.
encontro nacional cgtp 02Resolução aprovada no Plenário. A CGTP-IN saúda as trabalhadoras e os trabalhadores pela resistência e luta desenvolvida contra o Governo PSD/CDS, a política de direita e o memorando da troika. A luta contribuiu para elevar a consciência social e política de todos quantos nela participaram e foi determinante para combater a ingerência externa, acabar com a tese das inevitabilidades, alterar a relação de forças na Assembleia da República, colocar o PSD/CDS em minoria e forçar a queda do seu Governo. Uma luta que valeu e vale a pena continuar, para romper com as políticas de exploração e empobrecimento, pela melhoria das condições de vida e de trabalho, por um Portugal de progresso e justiça social!
O ano que agora se inicia perspectiva grandes desafios e potencialidades para o desenvolvimento da acção sindical. Vivemos um momento que não só não se compadece com “expectativas paralisantes”, como exige uma forte participação de todos quantos lutam por uma efectiva mudança de política. Este é o momento para promover a ruptura com a política de direita que atacou a contratação colectiva; os direitos laborais e sociais; reduziu salários e pensões; destruiu a produção nacional e centenas de milhar de empregos; generalizou o desemprego, a precariedade e os baixos salários; forçou a emigração; privatizou empresas e sectores estratégicos e encerrou e desorganizou serviços públicos; pôs em causa as Funções Sociais do Estado e deixou o país mais empobrecido, endividado e dependente.
Este é o tempo de acabar com a política que colocou os assalariados a trabalhar mais, a receber menos e a pagar mais impostos.
Neste quadro, a CGTP-IN valoriza um conjunto de medidas aprovadas pela maioria de deputados na Assembleia da República, nomeadamente, a reposição dos quatro feriados roubados, a reversão da concessão da gestão a operadores privados das empresas públicas de transportes de Lisboa e do Porto, a eliminação de algumas das mais gravosas medidas na educação, assim como salienta a importância da rápida aprovação de outras medidas, tais como a aplicação imediata das 35 horas para todos os trabalhadores da Administração Pública e a restituição do complemento de reforma aos aposentados da Carris e do Metro.
Mas é necessário que o Governo vá mais longe e enfrente os interesses instalados e do grande capital. A persistência na privatização da CP Carga, a solução encontrada para o BANIF (que penaliza directamente os trabalhadores do Banco, os demais trabalhadores e o povo, para salvar os accionistas), a redução da TSU dos patrões a pretexto do aumento do SMN, a não revogação da caducidade das convenções colectivas de trabalho e o despacho ministerial que tenta coarctar o direito constitucional de greve na Petrogal, constituem, entre outros, exemplos que justificam uma redobrada acção dos trabalhadores, na exigência de resposta positiva aos problemas com que se confrontam e às reivindicações que apresentam.
A mudança de política implica uma resposta imediata a questões concretas que têm uma relação directa com o bem-estar, a qualidade de vida dos trabalhadores e a coesão económica e social em todo o território nacional. O desenvolvimento do país é indissociável da valorização do trabalho e dos trabalhadores. Neste sentido, a CGTP-IN dará o seu apoio a todas as medidas laborais e sociais que sejam positivas para os trabalhadores e o país e combaterá as que sejam negativas e lesivas dos direitos dos assalariados e de cedência a interesses dos grupos económicos e financeiros.
A hora é de acção. Vamos esclarecer, mobilizar e apresentar reivindicações concretas que, respondendo aos inúmeros problemas que subsistem, façam dos trabalhadores os protagonistas do processo que concretize a mudança necessária.
Vamos dar mais força à acção reivindicativa nos locais de trabalho para potenciar o aumento do SMN que, apesar de insuficiente, deve constituir uma alavanca para exigir o aumento geral dos salários e a evolução de todas as grelhas salariais, no quadro do respeito e valorização das profissões, competências, experiências e qualificações. O aumento dos salários constitui um factor determinante para a melhoria das condições de vida das famílias, a dinamização da economia, o aumento da procura interna e do consumo, potenciando ainda o investimento na produção nacional e a criação de mais e melhor emprego.
A valorização do trabalho passa, necessariamente, por uma mais justa distribuição da riqueza, que combine uma nova política de rendimentos com um sistema fiscal que alivie os trabalhadores e as suas famílias da brutal carga de impostos a que têm sido sujeitos e que ponha o capital a pagar o que deve aos trabalhadores e à sociedade. Uma política que garanta o financiamento e a melhoria do funcionamento dos Serviços Públicos e das Funções Sociais que, constitucionalmente, cabe ao Estado garantir.
A política alternativa, que afirma os valores e conquistas de Abril, tem de ser alicerçada na defesa da contratação colectiva, como instrumento de consagração de direitos conquistados e da harmonização social no progresso, bem como na ruptura com a política de exploração, desigualdades e o empobrecimento, que promoveu a insegurança e a desestruturação da vida pessoal e familiar dos trabalhadores e dos pensionistas.
A mobilização, acção e luta dos trabalhadores no activo e desempregados, dos reformados e dos pensionistas, dos jovens e outras camadas da população, é fundamental para a concretização de uma política de Esquerda e Soberana, por um Portugal com Futuro.
Neste sentido, o Plenário de Sindicatos decide:
1. Intensificar a acção reivindicativa nos locais de trabalho dos sectores público e privado:
4 Exigindo o aumento geral dos salários; a passagem ao quadro de efectivos dos trabalhadores com vínculo precário; a redução do horário para as 35 horas e o combate à sua desregulação; a defesa e efectivação dos direitos individuais e colectivos; a melhoria das condições de saúde e segurança no trabalho; o combate ao assédio moral (tortura psicológica) com a denúncia e exigência de penalização dos patrões que recorrem a este tipo de atentado contra direitos fundamentais;
4 Reclamando o desbloqueamento da negociação da contratação colectiva, a revogação da caducidade das convenções e a reintrodução do princípio do tratamento mais favorável; a revogação das normas gravosas da legislação laboral nos sectores público e privado; a reposição das férias e de outros direitos roubados; a melhoria da protecção social aos trabalhadores e às suas famílias; a reversão das privatizações e a defesa e melhoria dos serviços públicos; a defesa e valorização do Serviço Nacional de Saúde, da Segurança Social pública, universal e solidária e da Escola Pública democrática e inclusiva.
2. Exortar os Sindicatos a dar um novo impulso à divulgação, discussão e mobilização para o XIII Congresso da CGTP-IN, que terá lugar nos dias 26 e 27 de Fevereiro, em Almada. A preparação do Congresso é indissociável de uma ampla participação e discussão com os trabalhadores, a partir dos problemas e reivindicações concretas, em articulação com o reforço da organização de base e o aumento da sindicalização.
3. Definir, também, como iniciativas prioritárias da intervenção sindical a preparação, desde já, das comemorações: do Dia Internacional da Mulher (8 de Março); do Dia Nacional da Juventude (28 de Março); do 40º Aniversário da Constituição da Republica Portuguesa (2 de Abril); do 130º Aniversário dos trágicos acontecimentos ocorridos em Chicago, no dia 1 de Maio de 1886 e que estão na origem das comemorações do Dia Internacional do Trabalhador.
Lisboa, 14 de Janeiro de 2016
O Plenário de Sindicatos
Via: CGTP-IN

MARCELO E O ESPLENDOR DO RELVAS



Marcelo e o esplendor do Relvas
O candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa foi entrevistado pelas jornalistas da Antena 1 Maria Flor Pedroso e Natália Carvalho. 

Foi uma entrevista interessante – e, apesar da sua arte de encanar a perna à rã, patente em toda a conversa, Marcelo espalhou-se ao comprido na parte final. De mão dada com Miguel Relvas, um produto tóxico que continua por aí.

Flor Pedroso, citando a revista Visão, que tinha acabado de anunciar que Relvas tem dado uma ajudinha à campanha de Marcelo, perguntou ao candidato o que se lhe oferecia dizer sobre tão interessante e elucidativo assunto.
O professor ficou por momentos estático no seu sorriso de plástico. Mas recuperou, embora ‘touché’: “Tenho ouvido as notícias mais espantosas sobre as pessoas que me têm dado uma ajudinha na campanha” – começou a balbuciar, para logo de seguida, fugindo à pergunta, debitar nomes de quem o acompanha para todo o lado: dois jovens ‘patriotas’, o motorista e o ‘velho’ Rui Ochoa (um excelente fotógrafo, diga-se passagem), “como a Natália, que está a cobrir a minha campanha, sabe muito bem”.

Natália Carvalho, atenta, aproveitou a deixa e acrescentou um nome que Marcelo, seguramente por esquecimento involuntário, deixara na sombra: “Falta um, o Pedro Duarte, um antigo líder da JSD que é o seu director de campanha”.
Silêncio rádio por parte do candidato, que, qual Garrincha a fazer fintas na relva, assobiou para o lado acrescentando mais alguns nomes de pessoas que o vêm ajudando na campanha: um núcleo informal, mandatários e directores de campanha a nível regional…

Flor Pedroso, porém, que já tinha repetido a pergunta mais duas vezes sem que Marcelo lhe respondesse, não desarmou e interrompeu-o com elegante firmeza: “Se tivesse a gentileza de responder à minha pergunta: Miguel Relvas não?”

Apanhado como um rato na sua própria ratoeira, inventou uma resposta esfarrapada: “Não tenho nada contra Relvas, mas devo reconhecer que, não sabendo o que vai na cabeça dele, não tenho beneficiado desse apoio de Miguel Relvas, que, aliás, está afastado da política há tempos”.

A entrevista teve outros momentos de interesse, mas fico-me por aqui, reforçando cada vez mais a ideia que já tinha e esta campanha vem comprovando: Marcelo, apesar de extremamente popular graças à rádio e à televisão onde, durante décadas, teve palco para dizer o que lhe viesse à cabeça sem que nada nem ninguém o contraditasse, afinal não passa de um bluff. E de um catavento ou um troca-tintas: contra todas as evidências, com a maior cara de pau que se possa imaginar, anda por aí a tentar fazer de todos nós um bando de idiotas, querendo convencer-nos que a sua candidatura é transversal a todo o espaço político. 
Candidato da direita, eu? 
Passos Coelho? 
Quem é? 
Miguel Albuquerque? 
Alberto João Jardim? 
Barroso? 
Cavaco? 
Universidade de Verão do PSD? 
Portas? 
Já não se recordam da Vichysoise? 
Férias com o ex-dono disto tudo? 
Eu? 
Eu só quero paz e concórdia, ser árbitro, não quero jogar o jogo, quero facilitar a vida do governo Costa para bem do bom povo português.

Pois, pois. Basta que jornalistas deixem de ser pé de microfone reverente e façam o seu trabalho com dignidade e tudo treme – e a estrela brilhante cai da cátedra e transforma-se num ápice numa estrela cadente. É dos livros. Do jornalismo e não só.

Mas apesar de tudo o que acabo de escrever e do muito que continua por dizer, há que reconhecer que o homem, em muitas situações a fazer lembrar o lacrau, tem piada. Quanto mais não seja por ser incapaz de resistir a divertir-se julgando que ninguém o topa. Então não é que, numa das mais recentes deslocações ao sul, sabendo que dele se dizia que tem andado deliberadamente a fazer de morto, decidiu mesmo – bravo ! – visitar uma agência funerária? 

Ribeiro Cardoso


Via: as palavras são armas http://ift.tt/1Q2oAJX

Suspeitas de Bioterrorismo contra uma Rede de Fast Food Perpetrado por Empresas de Biotecnologia


Partidários da rede de fast food norte-americana Chipotle, suspeitam que a rede possa estar sendo alvo de bioterrorismo... perpetrado por grandes corporações de transgênicos e de biotecnologia como a Monsanto.

As suspeitas ocorreram porque a Chipotle é a única empresa de fast food que denunciou publicamente os produtos geneticamente modificados e decidiu não usá-los em seus produtos.


E é assim, que a Chipotle sofreu inúmeros eventos suspeitos durante o ano de 2015:

- Em julho, cinco pessoas em Seatle, Washington, adoeceram com E. coli. A fonte do surto continua desconhecida.

- 234 pessoas adoeceram com o norovírus em Simi Valley, Califórnia, após consumir alimentos em um recinto da Chipotle. No entanto, a origem do surto é desconhecido.

- 64 pessoas adoeceram com salmonela entre agosto e setembro em Minnesota. A origem do surto foram tomates servidos em 17 dos estabelecimentos da Chipotle no estado.

- 52 pessoas contraíram E.coli em 9 de outubro de 2015, no estabelecimento da Califórnia, Illinois, Maryland, Minessota, Nova York, Ohio, Oregon, Pensilvânia, e o estado de Washington. Igual aos primeiros surtos, a fonte é desconhecida.

- Em dezembro, mais de 140 estudantes universitários adoeceram com o norovírus após comer em uma Chipotle em Boston. A origem do surto também é desconhecida.

Como nenhuma fonte conhecida para 4 dos 5 surtos, começaram a aparecer crescentes suspeitas de que alguém poderia estar sabotando a rede.

Segundo Mike Adams do site Natural News:

"Os surtos de E. coli da Chipotle não são uma casualidade. São resultado de ataques da indústria biotecnológica contra a única empresa de fast food que denunciou publicamente os transgênicos".

"O que realmente está acontecendo na Chipotle é que os cúmplices da indústria biotecnológica estão contaminando deliberadamente os alimentos da Chipotle com cepas de E. coli na intenção maliciosa de destruir a reputação e as finanças da rede alimentar Chipotle".

Adams afirma que os relatórios do CDC mostram que vários dos surtos de E. coli foram provocados por uma cepa genética extremamente rara que não é vista em alimentos.

Embora não haja provas disso, não se pode negar que as suspeitas tem muito fundamento...

 http://www.anovaordemmundial.com

SER

SER INTELIGENTE
SER ÍNTEGRO
SER SOLIDÁRIO
SER UM BOM ORADOR
SÃO QUALIDADES EXCELENTES MAS NÃO BASTA QUANDO TUDO ISSO SE RESUME NAS PALAVRAS.
SÓ PALAVRAS !
A PRÁTICA ANDA MUITAS DAS VEZES LONGE DO QUE SE DIZ, DO QUE SE APREGOA.
HÁ QUE MUDAR.
EU NÃO TENHO MEDO DAS MUDANÇAS QUE VIEREM POR BEM !
NÓS MUDAMOS, TEMOS QUE IR ACOMPANHANDO O MUNDO LUTANDO CONTRA O QUE ESTÁ MAL E O CONSPURCA.

Político bávaro envia a Merkel autocarro cheio de refugiados



Peter Dreir quer deixar claro que a política atual de refugiados é insustentável
Veículos com 31 refugiados a bordo fez viagem de 550 km até Berlim.


Irritado com Angela Merkel, um politico da Baviera enviou um autocarro com dezenas de refugiados para o gabinete da chanceler alemã em Berlim, num protesto contra a politica de portas abertas adotada pelo governo federal. Peter Dried admitiu ter noção que Merkel não estaria presente para receber o autocarro de refugiados
Um porta voz de Peter Dreir, líder politico do distrito de Landshut, confirmou à Reuters que um autocarro com 31 refugiados tinha iniciado a viagem de 550 quilómetros até Berlim e teria chegada prevista para ontem tarde. 
Relatos indicam que Dreir estará a agir de acordo com uma ameaça feita a Merkel no ano passado, numa chamada telefónica. 

O jornal alemão Die Welt citou o político a ameaçar a chanceler: "Se a Alemanha receber 1 milhão de refugiados isso indica que 1800 virão para o meu distrito. Esse número, aceito, os restantes irei enviar para o seu gabinete".
De acordo com outro jornal alemão, o The Local, a chanceler terá respondido " Se me enviar refugiados, terei que encaminhá-los de volta para a Grécia mas eles eventualmente regressarão, pelos seus próprios meios, para si".

Segundo os media alemães, os refugiados terão concordado em participar na iniciativa.

Dried, que não estava disponível para comentar o assunto, representa o Freie Waehler, um grupo local de políticos conservadores que fazem campanha principalmente em assuntos de interesse regional. 

O governo da Baviera, da CSU, a irmã bávara da CDU de Merkel, não apoia a política da chanceler no que toca aos refugiados e o ministro-chefe do estado, Horst Seehofer, já ameaçou avançar com uma queixa constitucional contra o governo. A região é o principal ponto de entrada de refugiados na Alemanha.

ESCULTURA GIGANTE DE LEÃO EM SEQUÓIA LEVOU TRÊS ANOS A SER ESCULPIDA











A nova atração majestosa na Fortune Plaza Times Square em Wuhan, capital da província central de Hubei, na China, está sendo saudada como um dos grandes marcos da cidade. O enorme leão foi esculpido em um único tronco de sequóia gigante pelo renomado escultor Dengding Rui Yao e uma equipe de 20 escultores ajudantes na Birmânia, durante um período de três anos. Uma vez terminado, ele foi transportado por 5.000 quilômetros, chegando a China em dezembro de 2015.










Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 01
O batizado "Leão Oriental", com 15 metros de comprimento, 5 de altura e 4 de largura, agora detém o recorde do Guinness para a maior escultura de sequóia do mundo.

A maior parte do corpo do Leão Oriental mantém a textura original da madeira, apenas a sua cabeça, patas e cauda parecem ter sido esculpidas, alisadas e polidas. Não informaram ao certo se a madeira utilizada teve origem na China. Na verdade não está bem claro nem a espécie da madeira utilizada. Mas muito provavelmente se trata da metasequoia, uma árvore nativa considerada um fóssil vivo, que cresce rapidamente e fornece madeira de ótima qualidade.

Desde os tempos antigos, o leão é considerado um animal auspicioso na China como um símbolo de poder e grandeza. Os chineses também acreditam que os leões afastam os maus espíritos, razão pela qual imponentes estátuas de leões podem ser vistas nas portas dos palácios imperiais, residências oficiais, templos e túmulos. Então não é nenhuma surpresa que o povo de Wuhan e adjacências apareceu em grande número para saudar a chegada desta majestosa obra de arte em sua cidade natal.

Mas como este mundo contemporâneo está muito crítico e PC, não faltaram vozes detratoras criticando que nenhuma árvore magnífica e idosa mereceria ser derrubada para a realização deste ambicioso projeto, apesar da inegável beleza do "Leão Oriental".
02
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 02
03
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 03
04
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 04
05
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 05
06
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 06
07
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 07
08
Escultura gigante de um leão levou 3 anos para ser esculpida em único tronco de sequóia por 20 pessoas 08
Fonte: Youth.

http://www.mdig.com.br